Abenc promove 25º Congresso Brasileiro de Engenheiros Civis em Florianópolis

Paulo Guimarães, presidente da Mútua; Joel Krüger, presidente do Confea; Júlio Russi, diretor geral da Mútua-PR; e Carlos Nakazima, presidente da ACE

Com a participação de centenas de profissionais, além de lideranças do Sistema Confea/Crea de todo o país, foi aberto na noite de quarta (7), em Florianópolis, o 25º Congresso Brasileiro de Engenheiros Civis – Cbenc. O evento contou com a participação do ex-ministro da Secretaria de Governo, engenheiro civil Carlos Aberto dos Santos Cruz, que defendeu a importância da Engenharia Civil para o desenvolvimento do país. Conselheiros federais e presidentes de Creas também participaram da cerimônia.

O evento é promovido pela Associação Brasileira de Engenheiros Civis (Abenc), com apoio do Sistema Confea/Crea e Mútua, e se encerra nesta sexta-feira. A abertura contou com a presença dos presidentes da Mútua, eng. civil Paulo Guimarães, do Confea, eng. civil Joel Krüger, e do Crea-SC, eng. agr. Ari Geraldo Neumann.

Com 40 anos de história e representação em 26 estados brasileiros, a Abenc é voltada ao aperfeiçoamento técnico, científico e cultural dos Engenheiros Civis, focada no desenvolvimento nacional. Atualmente a Engenharia Civil é a maior profissão regulamentada pelo Sistema Confea/Crea e Mútua com mais de 300 mil profissionais registrados.

O Cbenc é o maior evento técnico de engenheiros civis do país, e sua a programação aborda questões como infraestrutura rodoviária, saneamento básico, construção civil e o ensino da Engenharia, com a presença de grandes profissionais e estudiosos da área tecnológica brasileira. “Engenharia Civil: conhecimento e base para o desenvolvimento” é o tema principal dos debates deste ano.

Palestra da Mútua na programação
Além de participar da abertura oficial do Cbenc, o presidente da Mútua também foi um dos palestrantes do evento. Nesse segundo dia de programação, Paulo Guimarães detalhou aos profissionais presentes as atividades da Mútua, os projetos em desenvolvimento e enfatizou a importância dos engenheiros fazerem parte da Caixa de Assistência.

Um dos grandes destaques, indicou ele, é o TecnoPrev – o plano de previdência complementar exclusivo dos associados da Mútua. Taxa de carregamento zero, alta rentabilidade, sem fins lucrativos e outras vantagens foram citadas por Guimarães.
Cbenc confirma a engenharia civil a serviço do Brasil

“Tenho certeza de que a Engenharia Civil estará sempre à disposição do Brasil. O Sistema Confea/Crea e Mútua, os nossos um milhão de profissionais e as nossas 300 mil empresas de Engenharia nas diversas modalidades que nós representamos estarão sempre defendendo a soberania nacional, defendendo o nosso capital tecnológico, defendendo a valorização das nossas profissões, dos nossos profissionais e as empresas brasileiras, sejam públicas ou privadas”, ressaltou o presidente do Confea.

Durante sua fala, Krüger destacou os temas em discussão pelo Confea, dividindo-os entre os de interesse no dia a dia das profissões abrangidas pelo Sistema e ainda as discussões as diversas políticas públicas em desenvolvimento pelos governos federal, estaduais e municipais. “Temos atuado no dia a dia das nossas profissões. Hoje, publicamos uma nota de apoio aos engenheiros de avaliação e perícia, importantíssima atividade na qual muitos engenheiros civis atuam diretamente”, apontou.

Defesa da sociedade
“Nós estaremos juntos revolucionando o país para que possamos atingir os maiores interesses do nosso sistema profissional, que são defender a sociedade e garantir a qualidade de vida para toda a população. Para isso, precisamos de entidades fortes como a Abenc, a fim de garantir os modelos de regulação que têm sido eficazes nos nossos 85 anos de existência”, disse Krüger, homenageando a entidade realizadora do evento pela passagem dos seus 40 anos.

O compromisso renovado pelo presidente do Confea também é compartilhado pelas demais lideranças presentes à abertura do evento, quase todos também engenheiros civis: presidente da Mútua, Paulo Guimarães; conselheiros federais: Osmar Barros Júnior, Marcos Camoeiras, Ricardo Araújo, André Schuring e Carlos Vilhena e ainda o engenheiro de produção mecânica Zerisson de Oliveira Neto; coordenador nacional da Coordenadoria de Câmaras Especializadas de Engenharia Civil, Carlos Eduardo Domingues e Silva (Crea-PA); presidentes Alice Scholl (Crea-RS), Ari Neumann (Crea-SC), Edson Kuwahara (Crea-AP), Evandro Alencar (Crea-PE), Lúcia Vilarinho (Crea-ES), Renato Milhomem (Crea-PA), Marcelo Maia (Crea-TO), Luís Edmundo Campos e a vice-presidente Karen Daniela Miranda (Crea-BA), Afonso Lins (Crea-AM), Fátima Có (Crea-DF), Antonio Carlos de Aragão (Crea-PB), coordenador do Colégio de Presidentes, e eng. telecom. Vinicius Marchese (Crea-SP).

Uma vasta e completa programação segue até o final dessa sexta-feira. Já ocorreram minicursos sobre prevenção de incêndios, perícias na construção civil, contenção de encostas, entre outros temas. Os participantes também conferiram palestras sobre tecnologia, inspeção predial, segurança de barragens, atribuições profissionais e sombreamento. Para o último dia estão previstos debates sobre o panorama atual do tratamento de esgotos, dimensionamento de obras complexas, a importância da manutenção de pontes e viadutos e ensino da Engenharia Civil.

 

Fonte: Crea-SC e Confea

Fotos: Crea-SC e Confea

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.