Menu fechado

Regionais Centro-Oeste e Direx debatem temas gerais e propostas da Região

Diretores executivos e regionais discutiram avanços internos e melhorias para os associados

Edson Delgado (MS), Ângelo Ximenes (MS), Hermes Jannuzzi (DF), Arthur Milhomem (DF), Ailton Almeida (DF), Giucelia Figueiredo (Direx), Fernando Dacal (Direx), Luiz Queiroz (GO), Cláudio Calheiros (Direx), Ricardo Araújo (Direx), Fábio Gomes (GO), Márcio Resende (GO), Adjane Prado (MT), Suzan Lannes (MT) e Silvano Pohl (MT)

A 15ª Reunião das Caixas Centro-Oeste aconteceu ontem (7) e hoje, na Sede da Mútua, em Brasília, e, também, virtualmente. A Diretoria Executiva recebeu os diretores regionais dos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e do Distrito Federal.

O eng. civil Fernando Dacal (presidente), eng. agron. e Seg. Trab. Cláudio Calheiros (TI e Benefícios), eng. civil Ricardo Araújo (financeiro) e a eng. agron. Giucelia Figueiredo (administrativa), ao lado do coordenador das Caixas Centro-Oeste e diretor geral da Mútua-GO, eng. civil Luiz Queiroz, abriram os trabalhos do encontro, reforçando a importância da construção conjunta de soluções que atendam às necessidades das Caixas e dos associados.

Dacal enfatizou a importância dos ajustes na Mútua em atenção ao Acórdão do TCU

Dacal, ao saudar os diretores, afirmou que veio para a Mútua, por escolha do Plenário do Confea, para ajudar e que, agora, busca dar continuidade ao trabalho do presidente Paulo Guimarães, falecido no dia 10 de maio. O presidente ainda destacou que o Acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU) será seguido plenamente. “Afirmo, aqui em público, que segurei à risca as determinações do TCU e da CCSS”, enfatizou. Além disso, ele ainda esclareceu que a Direx vai ouvir as Caixas e o que for possível, será atendido. O presidente Dacal também indicou que a sala de reuniões da Sede da Mútua receberá o nome de “Paulo Guimarães”, em homenagem ao dirigente da Caixa de Assistência.

Diretor de Tecnologia e de Benefícios, Cláudio Calheiros

Já traçar algumas metas e discutir questões de médio e longo prazo, mesmo com a gestão da Diretoria Executiva há três meses para ser encerrada, foram alguns dos pontos sublinhados pelo diretor Calheiros, como objetivos da reunião em curso. “Se possível, vamos deixar um planejamento e vamos resolver questões das áreas de TI e de Benefícios, que também responderei até o dia 24 de agosto. Tudo sempre com o objetivo de levar benefícios aos associados”, disse o diretor, que ainda agradeceu aos anfitriões da Caixa DF, Arthur Milhomem, Hermes Jannuzzi e Ailton de Almeida.

Diretor financeiro, Ricardo Araújo

Ricardo Araújo avaliou a relevância das reuniões regionais como de grande importância para as Caixas e para os mutualistas. “Que tenhamos uma reunião de sucesso para podermos executar propostas efetivas que beneficiem aos associados e que tragam mais força para a Instituição”, ponderou.

Diretora Administrativa, Giucelia Figueiredo

Reconduzida para mais três anos na Diretoria Executiva da Mútua, Giucelia Figueiredo fez questão de salientar a confiança depositada pelos presidentes dos Creas em sua pessoa e agradeceu pela reeleição. Giucelia ainda cumprimentou a eng. sanit. Suzan Lanes, diretora administrativa da Mútua-MT, para lembrar do papel e do crescimento da presença das mulheres no Sistema Confea/Crea e Mútua. Por fim, a diretora executiva afirmou que todos os trâmites envolvendo a Direx são, e seguirão, de forma coletiva e republicana e que é preciso sempre lembrar dos avanços alcançados. “Eles são a história da instituição e não podemos jamais esquecer. Mas os avanços não podem nos paralisar, precisamos seguir trabalhando em busca de melhorias”, disse ela.

Coordenador das Caixas Centro-Oeste, Luiz Queiroz

O coordenador das Caixas Centro-Oeste, Luiz Queiroz, em sua condução da reunião prezou pela objetividade e pelo conteúdo dos debates. Queiroz, além de contribuir com sua visão acerca do dia a dia de uma Regional da Mútua, também detalhou as demandas da Região que estiveram em pauta.

Site, divulgação, convênios e auxílio funeral

Assuntos gerais de âmbito nacional, como site da Mútua, ações de divulgação, convênios de desconto e o valor do auxílio funeral foram alguns dos primeiros itens da pauta deliberados na reunião. Visando levar mais facilidades para os associados e demais profissionais que acessam o site da Mútua diariamente, um dos itens tratados na reunião enfocou em melhorias na plataforma. A página do Clube Mútua de Vantagens, por exemplo, na avaliação de diretores regionais, precisa estar mais visível na página principal do site e o login para a plataforma deve ser por meio de menos cliques. A ampliação da divulgação das promoções do Clube também foi um ponto debatido.

Adjane Prado, Suzan Lannes e Silvano Pohl

Pautado pela Caixa MT, foi discutido o valor do Auxílio Funeral que, infelizmente, tem sido muito buscado pelos associados devido a pandemia.

Inadimplência, planos de saúde e TecnoPrev

O segundo e último dia de reunião entre as Regionais Centro-Oeste e a Diretoria Executiva também foi bastante proveitoso. Os representantes das Caixas de Assistência dos estados em questão se debruçaram na análise de questões de grande relevância, como inadimplência, planos de saúde, previdência complementar, entre outros.

Com o apoio dos gestores das áreas, os diretores regionais puderam trocar informações, analisar a situação atual das Caixas e propor sugestões. O primeiro tema trabalhado foi o relatório da inadimplência da Mútua que foi feito pela atual Direx para o Plenário do Confea e que detalha minuciosamente a chamada “massa podre”, que são os contratos antigos abertos, alguns de 1998 e 2000, como sinalizou o diretor financeiro Ricardo Araújo. Ele também destacou que esses benefícios foram concedidos antes da criação da QQB – Quota de Quitação de Benefício Reembolsável. Ricardo Araújo comentou que a ideia é que cada Regional tente se reunir com os associados listados no relatório de contratos antigos em aberto para uma conversa e um possível acordo.

Hermes Jannuzzi, Arthur Milhomem e Ailton Almeida; atrás, o assessor da Presidência, Paulo Sergio Saran

Os diretores do DF questionaram se era possível as Regionais terem maior autonomia na formalização de acordos com os associados inadimplentes. O presidente Dacal explicou que, até certo ponto, as Caixas podem ir na renegociação, mas que para além disso, a responsabilidade precisa ser compartilhada com a Sede.

Plano de saúde é a principal reinvindicação dos associados. A afirmação foi feita por diversos diretores regionais ao longo de toda a reunião. O presidente da Mútua fez um relato do andamento dos trabalhos do Grupo que analisa o assunto. “O novo modelo de oferta dos planos de saúde já está todo modelado. Após validado pelo Plenário do Confea – que deverá marcar uma Sessão Extraordinária só para a discussão do tema – deverá ser feita licitação para a compra de software de gestão em saúde e o credenciamento das operadoras. Mas esse trabalho é algo que quero deixar encaminhado para a próxima Diretoria”, explicou ele.

Edson Delgado e Ângelo Ximenes

Como é algo muito demandado às Caixas, os diretores gostariam de uma resposta ou uma perspectiva de quando o plano de saúde da Mútua será lançado e qual margem de desconto os associados terão. Conforme explicou o assessor de Saúde da Mútua, Carlos Eduardo Cyrillo de Araújo, não é possível estabelecer um prazo específico para que a Mútua esteja atuando como uma administradora de planos. Sobre valores, Cyrillo disse que depende do estado e da operadora, mas que o caso do plano de saúde do MS mostra uma excelente vantagem em fazer a autogestão. “O plano da Mútua MS fica em média 40% mais barato do que se contratado diretamente com a operadora. Também observamos uma grande vantagem na negociação do aumento anual do plano, que é feita junto à operadora”, ressaltou. 

O diretor Calheiros também contribuiu com a discussão, comentando que a Mútua foi conhecer a realidade da Caixa de Assistência dos Advogados (CAA) que também oferece planos de saúde. No caso desses profissionais, a CAA conta com uma entidade que disponibiliza o software de gestão do plano, cobrando um valor por vida. Comparando essa metodologia, o diretor de TI e Benefícios acredita que a opção de comprar o software é mais vantajosa, pois com o passar do tempo, o valor investido no programa se igualaria e até ficaria menor, do que o somatório dos repasses para a entidade que disponibiliza o software. Calheiros também falou da economia que a Mútua quer oferecer aos associados com os planos de saúde. “A perspectiva é muito boa, com uma grande economia anual muito significativa. Como instituição, ofertarmos mais planos de qualidade também trará novos associados para a Mútua”, lembrou.

Márcio Resende e Fábio Gomes

Antes da apresentação de propostas, os diretores regionais assistiram a duas apresentações: a primeira da Gerência Financeira, com a presença da gerente Lucinéia Rodrigues, da assessora Patrícia Cunha e do colaborador Bruno Mendes e, a segunda, do gerente de Previdência, Rodrigo Castilho. O projeto de firmar parcerias com entidades de classe para a divulgação e contratação do TecnoPrev pelos associados foi discorrido pelo gerente.

Pontuando sua percepção sobre o projeto, a diretora administrativa Giucelia Figueiredo avaliou que essa é uma ótima oportunidade para a Mútua crescer ainda mais. “Uma instituição assistencial precisa trabalhar de forma colaborativa e vejo isso nesse projeto. Vamos usar os ‘tentáculos’ das entidades para chegar aos profissionais”, afirmou.

A 15ª Reunião das Caixas Centro-Oeste foi encerrada com a apresentação de propostas sobre benefícios, indicadores para avaliação dos programas da Mútua e do desempenho das Regionais, apoio ao Prodafisc, entre outras. No segundo semestre deste ano, o grupo volta a se reunir, na 16ª Reunião das Caixas Centro-Oeste.

Participantes da reunião

Na sede da Mútua, acompanham a reunião os diretores do Distrito Federal – eng. civil Artur Milhomem Neto (geral), eng. agron. Hermes Jannuzzi (financeiro) e eng. civil Ailton Ferreira Assis de Almeida (administrativo); de Goiás – eng. Civil Luiz Soares de Queiroz (geral), eng. agron. Márcio de Jesus Guimarães Resende (financeiro) e eng. mec. Fábio Souza Gomes (administrativo); de Mato Grosso – eng. civil Adjane da Silva Prado (geral), eng. civil Silvano Pohl Moreira de Castilho Júnior (financeiro) e eng. sanit. Suzan Lannes de Andrade (administrativa); de Mato Grosso do Sul – eng.  eletric. Edson Alves Delgado (financeiro) e eng. agron. Ângelo César Ajala Ximenes (administrativo). O diretor geral da Mútua-MS, eng. Civil Valter Almeida da Silva, participou dos debates via web, bem como os supervisores das Caixas.

Fonte e fotos: Gecom/Mútua

Post relacionado

FONTES