Menu fechado

Mútua lamenta a morte do eng. civil Osvaldo Valinote

“Um grande idealista, professor e amigo”, destaca o presidente da Mútua ao lamentar a perda de Valinote

Valinote no estande da Mútua no Seminário Internacional sobre acessibilidade e inclusão, no TCU, em 2017

Este 10 de janeiro de 2020 chegou com uma triste notícia para o Sistema Confea/Crea e Mútua, para a Engenharia brasileira e para a sociedade em geral: morreu, aos 71 anos, o engenheiro civil e de Segurança do Trabalho Osvaldo Luiz Valinote. Um trágico acidente de carro o vitimou, na noite dessa quinta-feira, próximo a cidade de Ituiutaba (MG). O acidente, que também vitimou a esposa de Valinote, Débora Segurado Cabral, teria sido provocado por um veículo que vinha em sentido contrário na estrada que liga a cidade mineira de Uberaba a Goiânia, segundo a família.

Muito atuante nas questões de acessibilidade e inclusão das pessoas com deficiência, Valinote era professor titular da Universidade Federal de Goiás (UFG) e foi diretor administrativo financeiro da Associação Brasileira de Educação em Engenharia (Abenge) até dezembro de 2019. “Osvaldo Luiz Valinote foi um grande amigo, participamos juntos de ações no Sistema Confea/Crea e Mútua e na Abenge. Há poucos dias conversamos por telefone e ele sempre com muita disposição e motivação para enfrentar e superar desafios, nos incentivando com seu companheirismo e sua visão positiva de tudo. Um grande idealista e professor! Meus sentimentos a todos os familiares e entes queridos, que Deus dê o conforto a todos nós neste momento difícil”, lamentou o presidente da Mútua, engenheiro civil Paulo Guimarães.

Nasceu no Rio de Janeiro, mas escolheu a capital goiana para viver, tanto que se tornou grande torcedor do Goiás Esporte Clube. Formado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Goiás (1973), tinha especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho (1978) e mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Goiás (2005). Experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Segurança do Trabalho, atuando principalmente nos seguintes temas: acidentes do trabalho, construção civil, saúde e segurança do trabalho, doenças ocupacionais e segurança do trabalho. Foi presidente do Conselho de Curadores da UFG (2011 e 2012). Conselheiro da Fundação de Apoio a pesquisa do Estado de Goiás – FAPEG (2012 a 2014).

Foi conselheiro do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), de 2012 a 2014, tendo sido antes conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Goiás (Crea-GO). Foi, ainda, conselheiro do Conselho Nacional do Direito das Pessoas com Deficiência (Conade), de 2013 a 2015. Em 2018, integrou a Comissão Temática de Acessibilidade e Equipamentos que produziu o Manual Prático de Acessibilidade do Confea, importante material  que reúne informações técnicas direcionadas aos profissionais da Engenharia.

O velório está ocorrendo no Cemitério Parque Memorial, em Goiânia, e o sepultamento está marcado para às 17h30, no mesmo local.

 

Fonte e fotos: Gecom/Mútua

Post relacionado

1 Comentário

  1. Marivaldo Costa Duarte

    Que pena, Um grande Engenheiro, Grande Homem, de caráter ilibado e acima de tudo um Grande Amigo. Tive o Prazer de conviver com ele quando de sua atuação como coordenador da Camara de Civil

Comentários estão fechados.

FONTES