Menu fechado

Taubaté recebe seminário sobre importância da Engenharia de Manutenção para a sociedade

No evento, o presidente da Mútua, Paulo Guimarães, também defendeu a retomada da Engenharia nacional

O presidente Paulo Guimarães lembrou, também, a necessidade de resgatar as atividades de pesquisa e desenvolvimento

O Brasil precisa garantir a inspeção, a conservação e a manutenção permanentes de edificações e estruturas – como pontes, viadutos e barragens – e defender que esse trabalho seja sempre realizado de forma planejada e por profissionais qualificados. Defender esse objetivo é o propósito do Seminário Cresce Brasil – Engenharia de Manutenção, atividade que integra uma série de debates do projeto Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento, apoiado pela Mútua, e que ocorreu nessa terça-feira (5), em Taubaté (SP).

O presidente da Mútua, Paulo Guimarães, esteve presente no evento, cujo objetivo é debater propostas para garantir a segurança da população, assim como a correta aplicação dos recursos públicos. Na ocasião, Guimarães defendeu a retomada da Engenharia nacional e lembrou a necessidade de resgatar as atividades de pesquisa e desenvolvimento. “O País precisa defender a Engenharia. Temos muitos desafios a enfrentar, porém, com união conseguiremos retomar o crescimento e o desenvolvimento”, afirmou.

Secretaria específica

O diretor geral da Mútua-SP, Pedro Katayama, enfatizou a importância da manutenção permanente de edificações e estruturas para a sociedade e defendeu a proposta de criar secretarias de Engenharia de Manutenção na Administração Pública, proposta defendida pelo Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo (Seesp) para evitar tragédias como a que ocorreu em Fortaleza, no mês passado.

O presidente do Sindicato e da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), Murilo Pinheiro, destacou que a ideia da criação de uma secretaria de Engenharia de Manutenção surgiu nos debates realizados em diversos seminários sobre como a Engenharia pode contribuir para a segurança da população e para a boa gestão pública. “Nesse sentido, é imprescindível que haja autonomia dos profissionais que detêm o conhecimento técnico para que decisões relativas a obras sejam tomadas a partir da boa Engenharia, e não a partir de disputas judiciais”, disse.

A coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro, Marcellie Dessimoni, o presidente do Seesp, Murilo Pinheiro, o presidente da Mútua, Paulo Guimarães, além dos vereadores Loreny (Cidadania) João Vidal (PSB) e o diretor geral da Caixa-SP, Pedro Katayama

A coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro, da FNE, Marcellie Dessimoni, falou sobre o engajamento e a mobilização dos estudantes e dos recém-formados na questão da Engenharia de Manutenção. “Trazer esse tema para discussão é muito importante, também, para a sociedade, pois traz segurança e, se tratado de forma séria, pode também evitar tragédias”, defendeu.

Participaram da abertura do seminário, ainda, os vereadores de Taubaté João Vidal (PSB) e Loreny Mayara Caetano (Cidadania). A parlamentar manifestou apoio à proposta e afirmou ser o tema colocado em debate bastante pertinente ao poder público, tendo em vista a necessidade de reduzir custos e evitar riscos.

Na sequência, aconteceram as palestras Manutenção de bens públicos: investir em engenharia reduz gastos estatais e melhora a vida dos cidadãos, pelo consultor Artur Araújo, e Segurança nas atividades de elevação de carga, com André Carrion, gerente geral da Crosby Gunnebo. Também participaram da atividade o diretor financeiro da Mútua-SP, João Bosco Romeiro, e o coordenador do Cresce Brasil, Fernando Palmezan Neto, entre outros. Promovido pelo SEESP, o evento teve patrocínio da Mútua-SP.

Fonte: Gecom Mútua / Com informações do Seesp.

Fotos: Mútua / Seesp.

Post relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FONTES