Menu fechado

II Semana de Ética Profissional do Crea-PR inicia com debate

Valmor Pietsch, André Gomes, Luiz Antonio Rossafa, Ricardo Rocha, Horácio Guimarães, Flávia Bretas e Julio Russi

Nessa segunda-feira (18), iniciou em Curitiba a II Semana de Ética Profissional do Crea-PR, organizada pela Comissão de Ética Profissional do Conselho, com apoio da Mútua-PR, do Instituto de Engenharia do Paraná (IEP), que sediou o evento, e do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea). O objetivo do evento, que prossegue na sexta-feira, é discutir, entre outros assuntos, os diversos aspectos do Código de Ética para os profissionais, além de esclarecimentos a respeito da aplicação da legislação.

Além de compor a mesa da solenidade de abertura, o diretor geral da Mútua-PR, engenheiro civil Júlio Russi, proferiu apresentação sobre as atividades da Caixa de Assistência, destacando algumas atividades e os principais avanços para os profissionais associados. Sobre a temática do encontro, Russi lembrou que é sempre importante discutir ética profissional.

Encerrando a programação da manhã, Júlio Russi fez uma apresentação sobre as ações e benefícios da entidade para os profissionais. Um dos tópicos abordados pelo diretor da Mútua foi a rentabilidade expressiva do TecnoPrev, o plano de previdência complementar da Caixa de Assistência

O presidente do Crea-PR, engenheiro civil Ricardo Rocha de Oliveira, enfatizou que o Conselho “busca a ética todos os dias, seja nas fiscalizações que realiza, ou nos serviços que oferece. Discutir este assunto por meio da nossa Comissão de Ética e deste evento, além de outras atividades no tema, faz parte da nossa missão de valorizar as profissões e seu exercício ético. Além disso, um dos objetivos do planejamento estratégico é combater o exercício ilegal e não ético da profissão, então mais do que coibir ações antiéticas, queremos trabalhar em prol de uma cultura profissional de excelência onde a ética esteja intrínseca”, ressaltou. Rocha comentou também sobre a importância do conhecimento da ética para os jovens profissionais, para que iniciem sua carreira com o devido cuidado.

Representando o engenheiro civil Joel Krüger, presidente do Confea, o chefe de Gabinete do Confea, engenheiro agrônomo Luiz Antonio Rossafa esteve presente e proferiu a palestra inicial, e comentou: “a ética profissional é um tema ao mesmo tempo relevante e desafiador”.

Para o presidente do IEP, engenheiro civil Horácio Hilgenberg Guimarães, “a ética profissional é um rito de normas que forma a consciência do profissional e representa o imperativo de sua vida, considerada um dos critérios mais valorizados no mercado de trabalho. É composta pelos padrões e valores que orientam a conduta, agregando credibilidade, confiança e respeito ao trabalho”.

O coordenador da Comissão de Ética Profissional do Crea-PR, conselheiro engenheiro eletricista André da Silva Gomes, afirmou que “com calma e paciência vamos vencendo um a um os obstáculos que a ética tem para se estabelecer no nosso país e no nosso Sistema Profissional, e desta forma vamos construindo um profissional melhor, de excelência”. Para ele, “a ética tem que estar dentro de cada um e quando externada ela faz parte da coletividade, é como um pacto do nosso Sistema, pois quando recebemos o nosso registro já somos signatários destas normas”.

Também marcou presença a coordenadora Nacional das Comissões de Ética do Sistema Confea/Crea, conselheira do Crea-MG, engenheira civil Flávia Roxin Bretas. Ela agradeceu a oportunidade, “pois sempre aprendemos participando destes debates, já que a ética é sempre um aprendizado”. Para a coordenadora é importante “divulgar a conduta ética junto aos estudantes, que são o futuro da engenharia, pois somente neste ano já são mais de 400 processos éticos nos estados do Paraná e Minas Gerais, sendo a maioria de profissionais recém-formados, então é preciso um trabalho para que não haja tantas infrações cometidas por esses jovens profissionais”.

O coordenador do Colégio de Entidades de Classe Nacional, engenheiro agrícola Valmor Pietsch, explica que “a ética é utilizada para responder três questões: quero, devo e posso. Essas questões devem ser respondidas antes do profissional tomar uma decisão ou atitude”. Para ele, “os profissionais devem estar atentos em buscar, aceitar e oferecer críticas, e suportar e apoiar uns aos outros no Código de Ética”.

O engenheiro Rossafa, chefe de gabinete do Confea, proferiu a palestra magna com o tema “Ética Profissional no Sistema Confea/Crea”. Ao final com a mediação do debate realizada pelo conselheiro engenheiro agrônomo Edson Perez Guerra, os participantes comentaram e questionaram sobre práticas antiéticas, como isso afeta a vida em sociedade, os riscos para a vida das pessoas, e a preocupação do ensino da ética na formação dos engenheiros. Além disso, foi debatido o tema empregabilidade x ética profissional. Para Rossafa, “a ética serve permanentemente para a construção de um mundo melhor para todos, e é preciso uma estrutura para essa discussão, não se pode fugir do debate ético”, finaliza.

Durante a tarde aconteceu o painel com o tema “Ética: ontem, hoje e sempre!”, com o gerente de Compliance da Companhia paranaense de Energia – Copel, Felipe Borba da Silva, o advogado e engenheiro Deivison Pedroza, da empresa Grupo Verde Ghaia, e a coordenadora Nacional das Comissões de Ética do Sistema Confea/Crea, engenheira civil Flávia Roxin Bretas. O mediador do debate foi o conselheiro do Crea-PR engenheiro mecânico Elmar Pessoa Silva.

II Semana de Ética continua em Curitiba dia 22

Na sexta-feira, dia 22 de novembro, pela manhã, também no IEP, em Curitiba, haverá uma palestra e um painel com o tema Compliance. O evento é aberto a todos os interessados.

 

Fonte: Crea-PR (com inserções da Gecom/Mútua)

Fotos: Mútua-PR e Crea-PR

Post relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FONTES