Menu fechado

Associada passa a receber benefício de aposentadoria programada TecnoPrev

A inscrição da engenheira Carmem Eleonora no plano é a de número 10 e ocorreu no ano do lançamento do TecnoPrev, em 2004

Carmem Eleonora e Paulo Guimarães – ponto de vista de quem usufrui do TecnoPrev e de quem faz a gestão do plano: um grande diferencial dos profissionais do Sistema

O regime de previdência complementar é caracterizado como um fundo de investimento facultativo orientado para a aposentadoria. Tem por objetivo acumular reservas para que, no futuro, o trabalhador possa desfrutar de uma complementação na sua aposentadoria proporcionando uma qualidade de vida melhor ou mesmo para a segurança da família.

E foi essa a lógica seguida pela engenheira civil e arquiteta Carmem Eleonora Cavalcanti Amorim. Associada à Mútua-PB desde 1986, já no ano de criação do TecnoPrev, 2004, fez sua inscrição no plano de previdência complementar da área tecnológica. Ela é a participante número 10 do TecnoPrev. No lançamento regional em seu estado, em 2006, fez um novo contrato, passando a fazer duas contribuições e, assim, constituindo sua complementação da aposentadoria. Nesses 15 anos, Carmem Eleonora seguiu um planejamento e, com o auxílio da equipe do plano, fez as adequações necessárias para ter seu benefício de acordo com suas necessidades. Em janeiro de 2020 ela passará a receber seu benefício de aposentadoria programada do TecnoPrev.

Na última semana, a profissional esteve na Sede da Mútua, em Brasília (DF), e assinou o requerimento de solicitação do benefício. “Estou muito feliz por passar anos contribuindo e chegar a esse momento do resgate de tudo que fiz de incorporação ao meu plano. Ao longo desses anos, fiz um planejamento de quanto deveria contribuir para ter um determinado rendimento mensal. Inicialmente, pensava em solicitar o benefício aos 55 anos, mas, à época, optei por continuar contribuindo. Também levamos em consideração que hoje em dia o brasileiro tem uma vida mais longa, de forma que o valor recebido mensalmente possa se estender por mais anos”, conta a engenheira.

Para a Mútua que, entre os seus mais de 72 mil participantes do TecnoPrev, já registra muitos em situação de recebimento mensal de suas previdências complementares, a satisfação do associado ao ser atendido com esse ou outros benefícios mostra que a Instituição está cumprindo o seu papel, afirma o presidente da Caixa de Assistência, eng. Paulo Guimarães. “Consideramos que o TecnoPrev é o melhor benefício, o melhor produto da Mútua. Os resultados apresentados estão sempre nos surpreendendo, como a rentabilidade dos últimos 12 meses que ficou em quase 21%. São números que nos entusiasmam diante da realidade do mercado”, comemora.“Ficamos felizes em ver associados da Mútua que acreditaram no TecnoPrev desde o início, como é o caso da engenheira Carmem Eleonora, que agora passam a usufruir de tudo o que capitalizaram durante esse período”, comenta.

O sentimento é o mesmo para a equipe que lida no dia a dia com o TecnoPrev. “Pra gente, a motivação do nosso trabalho é vê-lo sendo materializado. Acompanhamos a associada Carmem Eleonora desde 2004, fazendo simulações, aconselhando sobre a hora de seguir contribuindo devido a boa rentabilidade e sobre este momento, que é a hora de começar a receber, aproveitar da aposentadoria e utilizar o recurso, porque esse benefício é pra isso”, enfatiza o gerente de Previdência da Mútua, Rodrigo Castilho.

Integrantes da equipe do TecnoPrev, o gerente Rodrigo Castilho (direita) e o analista Saulo Ribeiro, no atendimento à Carmem Eleonora para a solicitação do seu benefício

Previdência complementar como melhor investimento

Carmem Eleonora tem 40 anos de carreira, atuando em diversos projetos de Engenharia Civil e de Arquitetura. No Sistema Confea/Crea e Mútua foi coordenadora da Mútua-PB, conselheira federal e superintendente do Confea. Ela conta que o TecnoPrev atende as necessidades dos profissionais, independentemente de perfil ou formatação familiar, seja para quem deseja aproveitar sua aposentadoria em benefício próprio, como é o seu caso, ou para dar algum tipo de conforto para a família.

“Sou de uma geração diferente, terminei Engenharia em 80 e, naquela época, os profissionais tinham melhores empregos e rendimentos e mais facilidade de entrar no mercado. Isso tudo facilita o planejamento da aposentadoria. Para outros profissionais da minha idade com outro perfil, o TecnoPrev pode servir para a família: uma universidade ou cursos de línguas para os filhos e netos ou para agregar valores de qualidade de vida, como viagens para a família”, pondera.

Dirigindo-se aos jovens profissionais, a engenheira é enfática: “Para as pessoas que estão chegando no mercado agora a previdência complementar é a melhor saída. O mercado encolheu, são poucas oportunidades de emprego e de ações de empreendedorismo. Está se tornando cada vez mais complicado ter uma renda no futuro, ao final da vida. Se você investe um pouco do que ganha ao longo da sua carreira, você terá muitas vantagens a longo prazo”, indica ela.

Diferenciais do TecnoPrev

O TecnoPrev é administrado pela BB Previdência – do Banco do Brasil -, exclusivo dos profissionais da área tecnológica associados à Mútua, sem fins lucrativos e com uma rentabilidade muito superior: nos últimos 12 meses, a rentabilidade do plano atingiu o índice de 20,96% que supera em quase 100% a rentabilidade de planos comercializados pelos bancos.
Também entre suas vantagens destacam-se as taxas inferiores às praticadas no mercado: a taxa de carregamento, por exemplo, é de 0% – ela incide todo mês sobre o valor de cada contribuição realizada e paga despesas administrativas. Nos bancos, varia entre 2% e 2,5%.
Saiba mais em www.tecnoprev.com.br

 

Fonte e fotos: Gecom/Mútua

Post relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FONTES