Temer propõe fórum permanente de diálogo com representantes da construção civil

Encontro deverá acontecer a cada 45 dias, no Planalto, para avaliar o andamento das ações destinadas ao setor

Temer_construo civil15_08Durante encontro na última quinta-feira (11) com representantes de 98 entidades ligadas à construção civil, em Brasília, o presidente interino Michel Temer propôs a criação de um fórum permanente de diálogo com representantes da construção civil. A ideia é que o grupo se reúna no gabinete do Planalto a cada 45 dias para avaliar o andamento das ações destinadas ao setor.

O presidente em exercício ainda prometeu a retomada de 1.519 obras inacabadas, localizadas, principalmente, em cidades do interior do Brasil. “São obras importantes para pequenas cidades do interior, são creches, são quadras de esporte”, disse Michel Temer. O valor estimado para as conclusões é de R$ 500 mil e R$ 10 milhões, e irão custar R$ 1,8 bilhão ao Governo Federal.

Para 2017, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, também presente no evento, apresentou novos recursos para as áreas de saneamento e mobilidade. “A expectativa é dobrar o orçamento para saneamento, de R$ 500 milhões, para no mínimo R$ 1 bilhão em 2017. A prioridade será buscar parcerias no setor privado, que hoje responde por apenas 5% das parcerias”, disse.

“A construção civil apoiará tudo o que favoreça a construção de um país melhor”, afirmou José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). O presidente do SindusCon-SP, José Romeu Ferraz Neto, por sua vez, aproveitou a oportunidade para defender não só as medidas anunciadas por Temer, mas também o controle da inflação, a redução da taxa de juros, concessões e Parcerias Público-Privadas (PPPs).

O “Encontro com a Construção Civil – Unindo forças para construir o futuro do Brasil”, contou com mais de 800 representantes do setor, vindos dos 27 estados brasileiros. Também estavam presentes o ministro do Trabalho e Previdência Social, Ronaldo Nogueira; do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo de Oliveira; e o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi.

Fonte: http://construcaomercado.pini.com.br/

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.