Sistema de gerenciamento da ART desenvolvido pela Mútua terá projeto piloto no Crea-DF

paulo_art

Paulo Guimarães: sistema de gerenciamento da ART refletirá diretamente na qualidade dos serviços dos profissionais

Em desenvolvimento desde a gestão anterior da Mútua, o SisART, como foi nomeado o novo Sistema Nacional de Gerenciamento de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), chega à sua fase de implantação, validação das regras, atendimento às normas de regulamentação e aprimoramento das ferramentas de migração. Ou seja, a etapa do projeto piloto, que será realizada no Crea-DF.

O diretor-presidente da Mútua, eng. civil Paulo Roberto de Queiroz Guimarães, sublinha que apesar de ter sido formulado pela Mútua, os ganhos originados pela nova plataforma serão extensivos a todos: Confea, Creas, Mútua, profissionais e sociedade. “A união de esforços – humano, financeiro e técnico – se concretiza agora em algo que refletirá diretamente na qualidade dos serviços prestados pelo Sistema Confea/Crea e Mútua à sociedade. A organização, os procedimentos e as atividades executadas pelo Sistema também serão amplamente fortalecidas e aprimoradas com o SisART”, aponta.

Marcelo Morais: apoio à continuidade do desenvolvimento do projeto na atual gestão da Mútua

Marcelo Morais: apoio à continuidade do desenvolvimento do projeto na atual gestão da Mútua

O diretor de Tecnologia da Mútua, eng. civil Marcelo Morais, tão logo assumiu a gestão, reuniu-se com a equipe, tomando ciência dos detalhes do projeto e identificando a importância desse sistema em prol dos profissionais. Passou a acompanhar o desenvolvimento do SisART, dando total apoio ao processo, que beneficiará todo o Sistema Confea/Crea e Mútua.

Projeto piloto

Na manhã desta segunda-feira (11), foi promovida reunião de apresentação do sistema para o presidente do Crea-DF, eng. civil Flávio Correia, e para integrantes da equipe do Conselho Regional. O presidente do Crea-DF reiterou a importância da parceria com a Mútua, nesse e em outros projetos, e disse que o Conselho Regional se sente muito honrado em ser o primeiro a testar o novo sistema, mas que, ao mesmo tempo, sabe da responsabilidade disso. “Por sermos os primeiros, certamente vamos funcionar como um para-raios. Espero que cheguem críticas construtivas para o aperfeiçoamento da ferramenta”, destacou. Também estiveram presentes integrantes do GT do Confea de Combate, Prevenção e Repressão à Corrupção nas Engenharias e Agronomias.

Flávio Correia: responsabilidade como Crea piloto do SisART

Flávio Correia: responsabilidade como Crea piloto do SisART

Concebido e planejado na Mútua, o novo sistema visa a integração das informações de ARTs em todo o território nacional através da padronização dos formulários de preenchimento e centralização em base de dados nacional. Por meio do Registro Nacional Profissional (RNP), o profissional entrará no sistema e efetuará desde o cadastro da ART, passando pelo seu gerenciamento, até a emissão de certidões. Com isso, além da padronização em todo o país, o sistema trará ferramentas para gerenciamento de regulamentos, monitoramento por empreendimentos, conformidade com órgãos de controle, georeferenciamento, consultas e relatórios diversos, tornando-se a principal fonte de dados do Sistema Confea/Crea e Mútua.

Existia uma demanda dos presidentes de Creas e do Confea por um sistema de gestão integrado que possibilitasse a interligação e a troca de informações entre as instituições. Dentro do projeto do Confea da criação desse sistema único, a Diretoria Executiva da Mútua, à época, decidiu colaborar, desenvolvendo o módulo de gerenciamento de ART, conforme explica o ex-diretor de Tecnologia da Caixa de Assistência, eng. eletricista Antonio Salvador da Rocha, que esteve à frente do projeto em seu início. “O sistema oferecerá facilidade e agilidade, tanto para os profissionais, quanto para os órgãos envolvidos – Confea, Creas e Mútua. Foi um projeto muito desafiador, pois tivemos que contemplar todas as áreas e trabalhar com diferentes bancos de dados, não só os do sistema, mas outros da área tecnológica. Foi desafiador mas, também, de muito aprendizado”, conta.

Salvador da Rocha: desafio e aprendizado

Salvador da Rocha: desafio e aprendizado

Também lembrando da época em que o SisART ainda estava no papel, o gerente de Tecnologia da Informação da Mútua, Lúcio Aparecido dos Anjos, que acompanha o projeto desde o começo, comenta que o fato de envolver outras instituições gerou certo receio, mas que logo a proposta foi abraçada e agora a Mútua se qualifica como pioneira nessa questão do tratamento da ART. “Este é um projeto que ainda tem muito a amadurecer e para isso conta com os Creas e o Confea”, ressalta. Sobre as vantagens da nova plataforma, o gerente de TI explica que para a Mútua o ganho é a possibilidade de gestão de seus recursos originados da ART; para o Sistema, a implantação da padronização e unificação; e, para os profissionais, o oferecimento de um ambiente moderno e otimizado para emissão e consulta de suas competências profissionais.

Plataforma segura 

O assessor da Gerência de Tecnologia da Informação da Mútua e gerente do projeto de desenvolvimento da plataforma, Rodrigo Santiago Lima, explica que, além das facilidades e inovações que o SisART trará, a tecnologia utilizada também garantirá total segurança e adaptação às necessidades dos profissionais e do Sistema Confea/Crea e Mútua. “O sistema foi desenvolvido pensando no todo, de forma flexível e utilizando as melhores práticas de desenvolvimento de sistemas, considerando a integridade das informações. A plataforma utilizada possui alta performance, ganho de produtividade e ferramentas de código seguro, integradas e facilmente adaptáveis”, descreve.

Lúcio dos Anjos e Rodrigo Lima, da TI da Mútua: atuação desde o início do SisART

Lúcio dos Anjos e Rodrigo Lima, da TI da Mútua: atuação desde o início do SisART

Diversas melhorias e inovações para o Sistema Confea/Crea são atribuídas ao SisART, dentre elas: padronização e escalabilidade do sistema, manipulando de forma uniforme alterações/melhorias de regras, normatizações, formulários, tabelas básicas; base de dados única nacional; flexibilidade quanto às regras de negócio (atribuições profissionais, módulo financeiro) através do módulo de gerenciamento disponibilizado aos Creas; cadastro de empreendimentos e melhoria de classificação técnica das obras/serviços; gerenciamento de empreendimentos com seus perfis de atividades técnicas; acompanhamento das obras/serviços do empreendimento; módulo de monitoramento/fiscalização que permitirá, através de regras flexíveis, que o Crea tenha mais uma fonte de informação para sua fiscalização; e atendimento às demandas de órgãos controladores do governo quanto à centralização de dados de obras/serviços e consultas públicas.

Após a apresentação realizada no Crea-DF, esta manhã, as equipes de TI da Mútua e do Regional farão uma reunião de avaliação e diagnóstico para verificar os procedimentos que serão necessários para a migração dos dados do sistema atualmente utilizado pelos profissionais no DF para o SisART. Um plano de trabalho será formulado com as etapas necessárias à conclusão do projeto piloto, com a efetiva utilização do sistema.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.