Regionais da Mútua do Nordeste debatem pauta de gestão

Novos benefícios, aprimoramento dos atuais e critérios para concessão: esses foram alguns dos assuntos abordados na 11ª Reunião das Regionais Nordeste da Mútua, que teve início no dia 3 e se encerrou na manhã de sexta-feira. Diversos outros temas de interesse dos associados foram debatidos e, a partir disso, foram criadas propostas de aperfeiçoamento dos serviços prestados e de meios para que isso ocorra. Os nove estados da região foram representados pelos diretores regionais da Mútua, no encontro realizado em Conde, na Paraíba.

Também foram apresentadas sugestões para o aumento da adesão à Mútua e ao TecnoPrev; assuntos relacionados aos planos de saúde oferecidos aos mutualistas; maior divulgação por meio de atividades itinerantes; inadimplência; assuntos administrativos, como Plano de Cargos, Carreira e Salários; sustentabilidade financeira e ambiental; classificação das Regionais; além de outros temas relacionados à Instituição.

Anfitrião do evento e coordenador das Caixas NE, o diretor geral da Mútua-PB, João de Deus Barros, classificou a reunião como muito proveitosa, sendo o entrosamento dos diretores com a equipe fundamental para o cumprimento de todos os objetivos do encontro. “Tentamos cumprir com a missão de anfitriões e proporcionar uma boa experiência a todos, com a apreciação de toda a pauta, que foi bastante extensa. Buscamos, com o estabelecimento de uma certa disciplina, coordenar essas etapas. Foi muito gratificante ver um trabalho tão bem feito, e agradeço, em nome da Caixa PB, a presença e contribuição de todos”, declarou.

Adriano Antônio de Lucena, diretor da Caixa pernambucana, participou pela primeira vez do evento, também avaliando positivamente a experiência, que, para ele, tem como grande objetivo levar a mensagem de uma Mútua que se transforma a cada dia, buscando oferecer o melhor aos profissionais. “As pautas foram bem discutidas e muitas das apresentadas pelos colegas poderão ser aproveitadas e aplicadas a nossa realidade, com base nas experiências e relatos expostos. Além disso, as apresentações abordaram pontos bem mais específicos dos setores e sistemas internos utilizados pela Instituição, o que foi de grande valia, especialmente para aqueles que estão começando na Mútua, assim como eu”, avaliou.

Também em seu primeiro ano como diretor geral da Caixa de Assistência baiana, Emanuel Alves Batista considera importante o trabalho de ambientação feito durante o evento. “Isso vai somando ao nosso conhecimento sobre a Mútua, já que é muita coisa. Estamos aprendendo sobre os processos, sistemas e a própria interação, em benefício do nosso principal cliente que é o associado”. De acordo com o diretor, o Nordeste é um pouco diferente do restante do país, o que aumenta a importância de que esse trabalho seja feito por região, por proporcionar uma noção mais consolidada e correspondente à realidade de cada Regional.

Outro estreante no quadro de diretores regionais, Ronald Vieira Donald (geral) da Mútua-SE, afirmou que aguardava com boas expectativas a reunião. “Estava certo de que seria mais uma oportunidade de aprender mais. Estou iniciando meu mandato e senti algumas carências no início da gestão. Pude complementá-las parcialmente no Mutuação e esta foi outra oportunidade promissora. Tirei minhas dúvidas e surgiram outras que puderam ser trabalhadas de imediato, de forma muito positiva e valiosa”. Segundo ele, o formato ainda pode melhorar. “Apresentamos proposta de otimização da Resolução 396 – que define critérios para as reuniões regionais. A proposta visa a facilitar e objetivar bem mais as nossas discussões. “Temos debates muito importantes que, às vezes, por falta de orientação na formatação, se esvaem ou são prejudicadas. Acho que podemos melhorar nesse ponto”, avalia.

Francisco Teônio da Silva, diretor geral e ex-colaborador da Caixa CE, também falou sobre o encontro. “Foram geradas expectativas por dois prismas, por ter sido colaborador e, agora, estrear como diretor da Mútua. E todas foram atendidas. Tivemos uma reunião muito proveitosa, com ampla participação de diretores que estão tendo contato com a Mútua pela primeira vez e enriquecedora por parte dos relatos e sugestões, tanto daqueles que, como eu, já contam com uma história na Instituição e, também, dos novos dirtores”.

Diretor geral da Mútua-AL, Fábio Loureiro já não é mais estreante na Reunião das Caixas Nordeste, mas enfatiza a relevância da experiência que avaliou como muito boa. “É sempre importante termos essa troca de experiência entre as Regionais, pois possibilita que saiamos daqui mais preparados, justamente graças a essa experiência de troca.” Segundo Loureiro, o 11º encontro das Caixas NE gerou propostas interessantes para os associados e as pautas atenderam às expectativas da Regional alagoana.

Um momento singular para discussão da vida corporativa da Mútua por Região. Foi assim que o diretor geral da Mútua-RN, Mário Amorim, classificou o evento. “Nesta reunião das Caixas NE nós empreendemos, discutimos, dialogamos e conciliamos uma série de encaminhamentos e condutas gestoras que pretendem aprimorar o modelo de gestão para a conquista dos anseios dos associados e cumprir o papel assistencial que é dedicado às Caixas”, resumiu.

Representando o Piauí, o diretor administrativo Walterwilson Leite avaliou que, para uma reunião com maioria de novos diretores, que ainda estão formando a base conceitual do funcionamento da Mútua, os termos foram muito bem estruturados. “Todo os pontos que apresentamos foram contemplados e as discussões transcorreram de forma satisfatória”, completou Leite.

Já José Pinheiro Marques, diretor geral da Mútua maranhense, ressaltou que todas as reuniões das Caixas Nordeste têm sido muito objetivas. “Temos tirado muito proveito. A participação da Caixa MA foi muito positiva, nossas pautas foram discutidas e tivemos propostas bem elaboradas. Agradeço a atenção especial da coordenação e da Direx”, finalizou.

 

Fonte: Gecom/Mútua

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.