Regionais Centro-Oeste aliam propostas em reunião na Sede da Mútua

0909Diretores regionais da Mútua do Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul debateram com a Diretoria Executiva, entre outros assuntos, critérios de concessão de benefícios, inadimplência, ações de divulgação da Mútua e parceria com entidades

A Diretoria Executiva da Mútua recebeu nesta segunda-feira (6), na Sede da Instituição, em Brasília (DF), os diretores regionais das Caixas Centro-Oeste para a reunião semestral do grupo. Dez diretores das quatro Regionais – DF: Maxwell Paiva (diretor geral) e Wellington Medeiros (diretor administrativo); GO: Roger Pacheco (diretor geral), Luiz Queiroz (diretor financeiro) e Flávio Fernandes (diretor administrativo); MT: Adjane Prado (diretor geral) e Mario Cavalcanti (diretor administrativo); e MS: Vânia Mello (diretora geral), Valter Almeida (diretor financeiro) e Ângelo Ximenes (diretor administrativo) – estiveram reunidos com Paulo Guimarães (presidente), Jorge Silveira (diretor de Benefícios), Juares Samaniego (diretor financeiro), Giucelia Figueiredo (diretora administrativa) e Cláudio Calheiros (diretor de Tecnologia).

Unidade de ação

Fátima Có e Edson Delgado (a partir da direita), com Paulo Guimarães, Giucelia Figueiredo e Cláudio Calheiros

Como forma de reforçar as posturas de sincronismo e parceria com as quais o Sistema Confea/Crea e Mútua tem trabalhado de forma efetiva, principalmente nos últimos anos, a abertura da reunião das Caixas Centro-Oeste foi prestigiada pelo vice-presidente do Confea, Edson Delgado, e pela presidente do Crea-DF, Fátima Có. O presidente da Mútua agradeceu a presença das duas lideranças, sublinhando que pela proximidade física existente entre as sedes das três instituições, as ações conjuntas correm de forma mais natural, mas que o apoio da Mútua em ações de melhorias para o Sistema e para os profissionais é estendido a todos os Creas, entidades e instituições de ensino do país.

Paulo Guimarães ainda fez questão de agradecer pessoalmente ao vice-presidente do Confea, pedindo que levasse o agradecimento ao presidente Joel Krüger e aos conselheiros pelas deliberações e aprovações de matérias da Mútua que tramitam no Conselho Federal. Delgado ressaltou que, de fato e cada vez mais, o Sistema tem mostrado que é um só. “Desde o início da nossa gestão temos trabalhado para que o Sistema realmente funcione de forma integrada. Afastamos aquelas questões de grupos e estamos atuando pelo fortalecimento da Engenharia”, afirmou.

Estar na mesma jurisdição, lembrou Fátima Có, facilita a implantação de projetos que a Mútua e o Confea pretendem disseminar por todo o país. “Sempre estamos à disposição para projetos pilotos, pois entendemos que a operacionalização é mais ágil e, também, por questões de economicidade. O convênio da ART Nacional, ferramenta desenvolvida pelas áreas de TI da Mútua e do Confea, por exemplo, já está bem adiantado”, relatou a presidente do Crea-DF.

Mario Cavalcanti e Adjane Prado (MT)

Falando em nome das Caixas Centro-Oeste, o coordenador do grupo, Adjane Prado, externou a honra de receber as lideranças do Confea e do Crea-DF na reunião. “Essa participação é muito importante, pois mostra a unicidade do nosso Sistema e a mensagem de fortalecimento das Caixas é fundamental para nosso trabalho, que faz a diferença na vida dos profissionais”, destacou.

Ainda na linha das parcerias, Jorge Silveira indicou que pequenas iniciativas entre as instituições podem trazer resultados muito positivos. “Recentemente, o Crea-DF nos informou sobre um espaço físico no Conselho, utilizado pelos profissionais, onde a Mútua poderia fazer divulgação, por meio de banners e cartazes, por exemplo. É algo bastante simples, mas que pode surtir grande efeito na comunicação com os profissionais do DF”, enfatizou.

Com os inúmeros avanços nesse sentido da unicidade do Sistema, a Mútua entende que sua participação ativa no Congresso de Profissionais (CNP) é mais que natural. O diretor de Tecnologia, Claudio Calheiros, salientou que uma das proposições da Mútua recentemente analisadas no Plenário do Confea aprovou a participação como delegados dos diretores executivos no 10º CNP, bem como dos diretores gerais de cada Regional (com direito a voto) e dos demais diretores como convidados.

“Agradecemos aos conselheiros pela aprovação da nossa participação no 10º CNP. Mas entendo que essa questão pode ser resolvida de forma permanente com uma alteração da Resolução 1013/2005. Fica aqui nosso pedido ao vice-presidente do Confea para que nos auxilie nesse pleito”, requisitou Calheiros.

Concessão de benefícios em pauta
Na ordem do dia estiveram apresentações de cada Regional, com os principais dados referentes às atividades da Caixa de Assistência em cada estado e no DF. Com isso, buscou-se um alinhamento de estratégia, o compartilhamento de experiências e o fomento do diálogo para a construção de soluções.

Para o diretor Mario Cavalcanti, da Mútua de Mato Grosso, a reunião trouxe boas informações e oportunizou boas trocas de experiências. “Essas ações serão multiplicadas a cada dia e cada Caixa vai melhorando seus procedimentos, suas atitudes e suas ações voltadas ao bom desenvolvimento e bom desempenho da Mútua como um todo”, assinalou. Ele e o diretor geral da Caixa, Adjane Prado, ainda detalharam o andamento do processo de aquisição de um novo espaço para a Regional.

Roger Pacheco, Luiz Queiroz e Flávio Fernandes (GO)

Entre os pontos mais discutidos, estiveram os regulamentos e as concessões dos benefícios reembolsáveis. “Trouxemos um estudo sobre o crescimento que tivemos nesses últimos quatro ou cinco anos na Caixa de Goiás. Assumimos a Regional no primeiro mandato com cerca de 1600 associados e nesses últimos quatro anos passamos para mais de cinco mil. Foi um crescimento muito grande e o número de benefícios aumentou muito. Esse estudo e os cálculos apresentados servem para vislumbrarmos como vai se comportar nossa Caixa até 2020, 2021”, relatou o diretor geral da Mútua-GO, Roger Pacheco.

“Temos um caso pontual diferente da maioria das Caixas, mas nossa situação pode servir de exemplo. Analisamos a iminência de redução do capital dos recursos aplicados no banco, transformando esse capital aplicado em benefícios concedidos. A Mútua-GO, inclusive, é a Regional que hoje tem o maior número de benefícios concedidos (número de contratos). Entendemos que estamos cumprindo a finalidade da Mútua, que é a de prestar benefícios aos associados”, avaliou o diretor financeiro da Caixa goiana, Luiz Queiroz.

Da mesma forma que os diretores regionais deixaram suas experiências, eles também receberam as sugestões das outras Caixas. “Buscamos levantar os principais pontos que trabalhamos com relação ao atendimento, análise de benefícios, plano de divulgação, de tudo aquilo que temos feito e que tem dado resultado. O objetivo é compartilhar e verificar o que pode ser expandido ou melhorado”, esclareceu Flávio Fernandes, diretor administrativo da Mútua-GO.

A administração dos recursos, o balizamento do quadro associativo e os índices de receita da ART foram alguns dos pontos enfocados pelo diretor executivo Juares Samaniego. Para ele, rever a política de incentivo à associação pode ser um mecanismo importante. Na percepção do diretor administrativo da Mútua-DF, Wellington Medeiros, é preciso ir além dos benefícios reembolsáveis. “A Mútua tem um leque de oportunidades que pode explorar para entregar benefícios e qualidade de vida aos associados. Um exemplo disso, inclusive uma sugestão que a Caixa DF já apresentou, é a oferta de seguros. Um mutualista que solicita o benefício Veículos, por exemplo, pode se interessar por um seguro para seu carro”, comentou.

“Um novo momento”, assim definiu a diretora administrativa, Giucelia Figueiredo, se referido ao protagonismo crescente que a Mútua tem assumido e, também, fazendo uma conjectura da atual situação do país e que, para ela, afeta diretamente na gestão da Caixa de Assistência. “Estou muito feliz em fazer parte da Direx da Mútua neste momento em que está sendo construído um novo capítulo na história da Instituição. O contexto social do país e da Engenharia afeta a vida dos profissionais e, com isso, a Mútua tem se empoderado cada vez mais diante do seu papel”, mensurou.

Ângelo Ximenes apresentou os dados da Caixa MS

Outras questões foram debatidas pelo grupo, como parcerias com entidades de classe e a presença da Mútua em eventos da área tecnológica. “A Mútua depende exclusivamente do profissional e eles estão ligados às entidades. É de suma importância que a Mútua esteja presente nos eventos das entidades para que tenhamos uma colaboração maior e para que o profissional e o mutualista consigam entender melhor os procedimentos e tudo o que a Mútua tem para oferecer, não só os recursos financeiros, mas as parcerias que podemos entregar para o seu associado”, sublinhou Ângelo Ximenes, diretor administrativo da Caixa de Mato Grosso do Sul.

Vânia Mello e Valter Almeida (MS)

Medidas efetivas de aproximação com o Crea são fundamentais, conforme explicitou o diretor geral Mútua-DF, Maxwell Paiva. “Estamos em uma fase muito positiva com o Crea-DF. A presidente Fátima Có jamais se furtou a passar qualquer informação ou a firmar qualquer convênio. Uma ação bastante positiva foi a implantação das solenidades de entrega das carteiras do Conselho, das quais a Mútua sempre está presente e realiza apresentação institucional. Elas ocorrem duas vezes por mês, com uma média de 100 recém-formados. Temos tido um excelente retorno”, avaliou o diretor.

No segundo semestre, os diretores das Caixas Centro-Oeste voltarão a se reunir, dessa vez, em Mato Grosso.

Diretores Executivos e Regionais do CO

Fonte e fotos: Gecom/Mútua

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.