Projetos de associados recebem apoio de benefícios da Mútua e são selecionados no Mútua Premia

mpAlém do aporte financeiro que a Mútua concede aos seus associados, a Caixa de Assistência também atua no reconhecimento e fortalecimento do trabalho dos profissionais da área tecnológica, que desenvolvem inúmeros projetos diferenciados e inovadores com aplicações em diversas áreas. Somado a tudo isso, a Mútua também incentiva a sustentabilidade e a utilização de matérias primas e sistemas ecologicamente corretos.

Dentro dessas diretrizes, e aproveitando a criação de novos benefícios reembolsáveis que auxiliam na concretização das ideias de seus associados, a Mútua lançou este ano o “Mútua Premia” como forma de reconhecer e divulgar projetos ligados ao desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos que foram apresentados para solicitação de recursos dos benefícios da Mútua Inovação, Energia Renovável e Propriedade Intelectual.

O cerne da premiação está ligado a conceitos como inovação, sustentabilidade, modernização, criatividade, contribuição social, econômica e tecnológica e, ainda, a formulação de novas ideias por meio de uma gestão eficiente de recursos financeiros.

Os três associados serão levados pela Mútua para Foz do Iguaçu (PR) para apresentação de seus trabalhos na 73ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), que acontece de 29 de agosto a 1º de setembro.

Projetos selecionados

Veículo aquatico de navegação autônoma

18_08 Mutua Premia (1)

O “drone aquático” teve como primeira missão realizar medições na qualidade da água em alguns pontos do RJ, na preparação para as Olimpíadas

A iniciativa inovadora do associado da Mútua-SC, eng. civil Roberto Böell Vaz, com o desenvolvimento e criação de embarcação e protótipo de campo, designado pelo nome ROAZ III, que é um “drone aquático” voltado ao uso em trabalhos de “topografia subaquática”, ou como é mais conhecido o conceito, Batimetria, foi um dos projetos selecionados, a partir da concessão do benefício da Mútua Inovação.

Derivando-se do projeto inicial, ROAZ, em que foi desenvolvido e construído um Veículo Aquático Não-Tripulado de Navegação Autônoma (VANTNA) em dimensões maiores, o ROAZ III também seguiu as características das duas versões anteriores: embarcação robótica autônoma e não tripulada, resultante da aplicação de tecnologias de ponta, dentro de um contexto voltado ao estudo e aplicação da eletrônica no monitoramento ambiental do meio aquático.

ROAZ III momentos antes de sua partida para as Olimpíadas

ROAZ III momentos antes de sua partida para as Olimpíadas

O drone aquático saiu de Florianópolis (SC) rumo ao Rio de Janeiro, na semana que antecedeu, os Jogos Olímpicos 2016, com o intuito de realizar medições na qualidade da água em alguns pontos da cidade, sendo o principal deles a Lagoa Rodrigo de Freitas, local onde acorrem provas de remo e canoagem. O percurso foi executado via satélite e acompanhado por seu criador.

Veja nos vídeos: ROAZ III saindo de Florianópolis (SC) e navegando na Praia de Botafogo (RJ)

O nome ROAZ é inspirado no Golfinho Roaz-Corvineiro, também conhecido por Golfinho-Nariz-de-Garrafa, talvez a mais famosa e conhecida espécie de golfinho no mundo inteiro

Aplicativos Mobile para sistemas de informações geográficas

18_08 Mutua Premia (6)A expansão e adequação para a plataforma mobile, com o desenvolvimento de um aplicativo para dispositivos móveis do sistema SIG Turismo, que envolve áreas como topografia, cartografia e sensoriamento remoto, motivou o téc. Em Agropecuária Rui Ernesto Goncalves de Oliveira, associado da Mútua-RS desde 2004, a solicitar o benefício Inovação para dar vida a seu projeto. Rui é sócio e gerente da empresa Geocad, que atua na área de Geoprocessamento.

Entre outros serviços, a empresa desenvolve aplicações WEB voltadas a Sistemas de Informações Geográficas (SIG’s) para projetos específicos e personalizados, em especial para o planejamento territorial. A Associação de Turismo da Serra Nordeste do Rio Grande do Sul – AtuaSerra, que congrega 25 municípios da Serra Gaúcha, procurou a Geocad com a necessidade de uma ferramenta WEB para gerenciar as informações turísticas dos municípios, e que fosse totalmente integrada à ferramenta Google Maps de forma interativa.

A partir daí surgiu o projeto SIG Turismo, para atender à necessidade que foi percebida como demanda não atendida de um vasto nicho de mercado, uma vez que existem no país diversas regiões turísticas e municípios com a mesma problemática. Sendo assim, foi desenvolvida não apenas a ferramenta para um cliente em específico, mas sim uma plataforma que pudesse ser disponibilizada a qualquer interessado.

Gerenciamento de informações turísticas dos municípios na Serra Gaúcha

Gerenciamento de informações turísticas dos municípios na Serra Gaúcha

O sistema conta com área de acesso onde é possível manter atualizadas todas as informações turísticas. Quando se trata de uma região ou associação de municípios, como é o caso da AtuaSerra, as informações individuais se tornam coletivas e a disponibilização das informações mais consistente e abrangente. Durante o desenvolvimento da ferramenta WEB, a empresa percebeu que o potencial de uso poderia ser maximizado se a solução fosse transposta para o ambiente mobile, visto que o usuário foco desta solução estará sempre em trânsito e necessitaria de acesso às informações em mãos, de forma rápida e precisa.

Como os sócios da empresa não dominavam as técnicas para o desenvolvimento mobile, foi necessário contratar o serviço de terceiros para auxiliar na tarefa de adaptar a ferramenta WEB para este novo ambiente. “Daí a necessidade de buscarmos uma ajuda financeira para nos apoiar nesta etapa, e foi quando tomamos conhecimento que a Mútua possuía um benefício que se enquadrava nesta linha”, explicou Rui.

De acordo com ele, após o encaminhamento do projeto para análise e da documentação necessária, sem muita dificuldade o apoio no valor de R$15 mil foi liberado. “Só temos muito a agradecer a Mútua pelo entendimento da grandeza do projeto apresentado e nos possibilitar o acesso aos recursos necessários para que pudéssemos concluí-lo. Acreditamos que o produto será de grande sucesso e temos a Mútua como a ‘madrinha’ deste empreendimento”, salientou.

Sistema de enrgia solar por placas fotovoltaicas

Marcus Oliveira com as placas fotovoltaicas que foram instaladas em sua residência

Marcus Oliveira com as placas fotovoltaicas que foram instaladas em sua residência

O primeiro associado Mútua do país a utilizar o benefício Energia Renovável, o sócio da Mútua-TO, eng. eletric. Marcus André Pereira Oliveira, solicitou o recurso para compra e instalação de um sistema de energia solar por placas fotovoltaicas em sua residência.

Marcus André assegura que são várias as vantagens da adoção de um sistema de energia solar. “Recuperado o investimento inicial, quase não há gastos excedentes, pois a demanda de manutenção é mínima e o sistema não gera resíduos nem emite gases poluentes, o que contribui para a redução do aquecimento global e do efeito estufa”, lembra.

Projeto concluído

Projeto concluído

O sistema fotovoltaico foi totalmente adquirido com o auxílio da Mútua. De acordo com o relato de Marcus André, com o apoio da Caixa de Assistência e a escolha correta de fornecedores e dos equipamentos, o processo foi rápido e descomplicado. “Foi fundamental o apoio da Mútua na concretização do meu projeto de instalação de um sistema de energia solar em minha residência. Como não dispunha de recursos próprios, busquei um financiamento, mas os bancos não oferecem linhas específicas para esse tipo de projeto para pessoa física, o que me forçaria a contratar um empréstimo pessoal, com juros muito mais altos. À época, a Mútua tinha acabado de lançar novos benefícios, incluindo um para Energias Renováveis, com taxa de juros muito boa”, conta.

Fonte: Gecom/Mútua

Fotos: Arquivo pessoal

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.