Mútua lamenta a morte do conselheiro federal José Chacon de Assis

José Chacon de Assis: um parceiro de lutas, liderança do Sistema Confea/Crea e Mútua, exímio profissional, amigo, filho, irmão, marido, pai e avó. Para todos, por todo o sempre, CHACON. Com grande pesar, a família Mútua – diretores executivos e regionais e colaboradores de todo o país – lamenta a perda irreparável de um dos protagonistas da Engenharia Brasileira. Chacon foi vítima, na noite dessa terça-feira (3), em Brasília, de um atropelamento.

Engenheiro eletricista, era um defensor das causas socioambientais, principalmente dos recursos hídricos, com sua dedicação no Movimento de Cidadania pela Águas Brasil (MCPA). Atualmente ocupava o cargo de conselheiro federal no Confea, era vice-presidente do Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos (IBEC) e presidente da Associação Fluminense de Engenheiros e Arquitetos (AFEA). Foi por duas vezes presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ) e teve intensa atuação nas maiores indústrias do país.

Seu último registro em mídias sociais foi a publicação de fotos da nova Diretoria Executiva da Mútua para a próxima gestão (2018-2020), cujo processo eleitoral foi concluído nessa terça-feira (3), no Confea. A publicação, inclusive, recebeu inúmeras mensagens em homenagem ao profissional e em apoio aos familiares.

Muito participativo nos assuntos da Caixa de Assistência, Chacon era mutualista desde 2003. Um dos principais trabalhos de Chacon em conjunto com a Mútua foi a realização do 10º Congresso Mundial de Engenharia de Custos e Gerenciamento de Projetos (ICEC), em 2016, ocorrido em seu querido e amado Rio de Janeiro. Ele se esforçou e se dedicou muito na organização do evento internacional, que, certamente, foi um dos grandes orgulhos de sua carreira.

Abalado pela fatalidade, o presidente da Mútua, eng. civil Paulo Guimarães, falou sobre o exemplo que Chacon era para todos. “Era muito mais que um colega de Sistema. Ele era um amigo com quem podia sempre contar. Sua energia, entusiasmo e entrega a tudo aquilo que se dispunha a fazer era verdadeiramente muito significante e um exemplo para todos. Deixará muita saudade mas, também, muitas memórias marcantes”.

Outro importante momento que Chacon esteve envolvido em parceria com a Mútua foi na participação do Sistema Confea/Crea e Mútua no 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília, no mês de março deste ano. Em entrevista à TV Mútua, por ocasião do Fórum, ele lembrou do cuidado que devemos ter com os recursos hídricos: “A água é um dos vetores que acompanha a questão fundamental do nosso tempo que é a questão socioambiental”.

Amigo próximo e de longa data de Chacon, o diretor de Tecnologia da Mútua, eng. civil Marcelo Morais, lembra da atuação progressista do colega no tocante às questões ambientais. “A nível nacional ele antecipou o debate sobre a questão da água, sobre os Comitês de Bacia e sobre energia, desde a sanção da lei 9433, de 1997, que instituiu a Política Nacional de Recursos Hídricos. Tive a honra e a satisfação de peregrinar, por seis ou oito anos junto com ele, divulgando a temática das bacias hidrográficas como unidades de planejamento e todas as matizes que devem ser feitas. Essa era uma visão que, na época, era de futuro e, hoje, é nosso presente. Chacon foi um engenheiro à frente de seu tempo, com uma percepção apuradíssima dos cenários nacional e internacional. Amigo leal e aqueles que desfrutaram de sua amizade, como eu, tiveram um imenso privilégio. Perde a Engenharia, perde a Agronomia, perdem as Geociências, perde o desenvolvimento nacional, perde o Brasil, perde o mundo e perdemos um grande ser humano”, lamenta Morais.

Muito dedicado à família. No dia 1º deste mês, aniversário de sua esposa, Silvia Passos, Chacon fez uma declaração de amor em seu perfil em uma rede social: “Silvia, amor de toda a vida!”. Com seus 69 anos, completados no último dia 3 de janeiro, o grande Chacon deixa, além da esposa, quatro filhos e cinco netos. Sua ida foi precoce, pois muito ainda teria a contribuir e compartilhar, mas seu trabalho, seus ensinamentos e seu legado jamais se apagarão.

Aos familiares de Chacon, todos nós da Mútua deixamos nossos sinceros sentimentos e condolências e reiteramos nosso apoio e companheirismo. Certos dos exemplos que ele deixou, ensejamos que a dor da perda seja acalantada e que fiquem apenas as boas lembranças e os seus ensinamentos.

O presidente da Mútua decretou luto oficial de três dias em memória ao conselheiro federal. O velório e sepultamento serão realizados em Niterói, em data e horário  ainda a serem confirmados.

 

Mútua

Compartilhe essa postagem:

Tem um Comentário a “Mútua lamenta a morte do conselheiro federal José Chacon de Assis”

Você pode deixar uma resposta ou Rastrear esta artigo.
  1. OSVALDO HENRIQUE DE SOUZA NEVES disse: 4 de julho de 2018 at 16:47

    Um grande amigo que hoje perdemos tragicamente. Fui conselheiro Crea-Rj no seu primeiro mandato de Presidente. Fui também Diretor do Crea na sua gestão. Leal, sincero, dinâmico de grande capacidade intelectual era um incansável defensor na preservação do meio ambiente e das lutas pela soberania nacional. Deixou um grande histórico de conquistas e vitórias.
    Receba os seus familiares meus sinceros e emocionados sentimentos. Descanse em paz meu amigo Chacon.
    Osvaldo Neves
    Diretor Administrativo Mútua RJ

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.