Mútua apresenta no Confea seu relatório mensal

Com o objetivo constante de prestar um atendimento de excelência e oferecer serviços de qualidade aos profissionais do Sistema Confea/Crea e Mútua e, ainda, oferecer condições e estrutura adequadas aos seus associados, colaboradores e visitantes, a Mútua iniciou em dezembro do ano passado o processo para mudança de sua Sede e avaliação sobre as atuais instalações da Sede da Caixa de Assistência, em Brasília (DF).

“O diagnóstico reafirmou que a readequação das instalações e equipamentos para atendimento de normas técnicas são de alto custo e os problemas não serão totalmente sanados, também não há espaço físico para comportar os colaboradores, além do que quaisquer ampliações da área da sede estão impedidas pela legislação urbanística”, explicou o presidente da Mútua, eng. civil Paulo Guimarães, no Plenário do Confea.

A explanação ocorreu durante a segunda parte da Sessão Plenária nº 1488, na tarde desta quarta-feira (27), que contou com as presenças dos conselheiros federais e da mesa diretiva do colegiado, presidida pelo vice-presidente do Conselho, eng. eletric. Edson Delgado. Acompanhado dos diretores executivos da Mútua, eng. civil Jorge Silveira (Benefícios), eng. civil Juares Samaniego (financeiro) e eng. agr. e Seg. Trab. Cláudio Calheiros (Tecnologia), Paulo Guimarães apresentou o relatório mensal da Instituição.

Calheiros e Samaniego

Entre os destaques da agenda institucional, ação parlamentar realizada por diretores junto à ministra da Agricultura, eng. agr. Tereza Cristina, que se associou à Mútua naquele momento, além de audiência com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre.

Ao Plenário foram apresentados os números da Mútua, que atualmente tem 136.898 associados. Neste primeiro trimestre, a Caixa de Assistência concedeu R$ 51 milhões para a concessão de 1.687 benefícios reembolsáveis, o que abrange crédito agrícola, auxílio empreendedor e aquisição de veículos, entre outros.

Nova sede da Mútua

Paulo Guimarães apresentou o relatório da Mútua

Diante do parecer sobre a atual Sede, está em fase de estudo a mudança da da Mútua para um novo local. Entre as propostas selecionadas por chamamento público, a que se mostrou economicamente viável será a locação de imóvel no Setor Hoteleiro Norte, em Brasília. Depois da mudança, “que é urgente”, como pontuou o presidente, a Mútua irá analisar “sempre com transparência e em conjunto com o Plenário do Confea e o Colégio de Presidentes de Creas” as seguintes alternativas possíveis: construir nova sede ou comprar imóvel, estudar a destinação do prédio atualmente ocupado na Asa Norte em Brasília, ou permanecer no imóvel a ser locado.

Jorge Silveira acompanha a explanação do gerente administrativo da Mútua, eng. civil Silvio Roberto Ramos, sobre o processo de locação do imóvel

Abertura

A Sessão Plenária em questão havia sido iniciada na manhã desta quarta. A reunião compõe a programação das três Plenárias agendadas para esta semana e começou com 433 processos para apreciação, 324 deles compondo a pauta ordinária e 109 registrados na extrapauta.

Além do vice-presidente do Confea, Edson Delgado, a mesa de abertura da Plenária foi formada pelo eng. agr. Antonio Carlos de Aragão – presidente do Crea-PB e coordenador do Colégio de Presidentes (CP), pelo eng. agric. Valmor Pietsch – coordenador do Colégio de Entidades Nacionais (Cden); por Kleber Santos – coordenador nacional das Câmaras Especializadas de Agronomia; pelo eng. eletric. e conselheiro Ronald Monte Santos, e, também, pelo diretor de Tecnologia da Mútua, eng. agr. Cláudio Calheiros.

A partir da direita: Cláudio Calheiros, Ronald Santos, Valmor Pietsch , Edson Delgado, Antonio Aragão, Kleber Santos e Clécia Abrantes (assistente da mesa)

 

Fonte: Gecom/Mútua (com informações do Confea)

Fotos: Mútua e Confea

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.