Mútua acompanha entrega de réplicas do selo Engenharia Acessível a ministros do TCU

Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua com o presidente do TCU, ministro Raimundo Carreiro

Continua repercutindo o sucesso do Seminário Internacional Acessibilidade e Inclusão: expressão da cidadania, realizado na semana passada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pelo Confea, com o apoio da Mútua e de outras instituições. Nessa terça-feira (26), o diretor de Tecnologia da Mútua, eng. civil Marcelo Morais – representando o presidente da Caixa de Assistência, eng. civil Paulo Guimarães – esteve em reunião com o presidente e o vice-presidente do TCU, ministros Raimundo Carreiro e José Múcio Monteiro, respectivamente.

A agenda, que contou com a participação de conselheiros federais, destinou-se à entrega de réplica do Selo Engenharia Acessível, cuja primeira concessão da certificação foi para o edifício da Escola de Governo do TCU – Instituto Serzedello Corrêa (ISC) durante o evento. Também foram entregues aos ministros, cópias da cartilha do Sistema Confea/Crea e Mútua sobre acessibilidade.

O diretor da Mútua ainda apresentou o Programa de Inclusão da Instituição, o PIM, lançado há dez meses, que objetiva atender às necessidades dos profissionais e seus dependentes que tenham algum tipo de deficiência.

Coordenadores regionais participam do Seminário

O Seminário, que transcorreu durante dois dias (20 e 21), foi muito elogiado e, principalmente, alcançou seus objetivos ao conseguir sensibilizar o público com as temáticas tão importantes que foram abordadas. O coordenador da Mútua das Caixas da região Sudeste, eng. civil Paulo Granja (diretor geral da Mútua-RJ), contou que saiu do evento uma outra pessoa. “Me tocou muito e me apresentou fatos que eu desconhecia, não só do ponto de vista das restrições que as pessoas com deficiência têm, mas, também, soluções e sugestões para que essas restrições sejam superadas através do envolvimento de toda a sociedade. A Mútua também me mostrou que tem um papel importantíssimo nesse processo, no sentido de contribuir para que essas barreiras sejam transcorridas”, apontou.

Mais três coordenadores regionais da Mútua participaram do Seminário no TCU. À frente das Caixas Nordeste, a eng. civil Elequicina dos Santos, diretora geral da Mútua-RN e secretária de Transportes de Natal, também destacou que a riqueza dos debates serviu como experiência pessoal e, também, profissional. “Esse evento realmente foi muito importante. Parabenizo a Mútua por estar integrada com o TCU nessa questão da acessibilidade e inclusão. Que cada vez mais a Mútua possa contribuir com iniciativas dirigidas a essa temática para que possamos fomentar a inclusão social. Além disso, conhecer o procurador do TCU Sérgio Caribé, que foi quem inspirou a criação do HandsFrre, foi muito especial. É muito positivo para nossa população ver órgãos e pessoas se preocupando com os problemas e achando soluções”, avaliou.

“Temos legislações que regem essa matéria, mas, infelizmente, nem todos os órgãos públicos ou locais públicos atendem às necessidades das pessoas com deficiência”, lembra o coordenador das Caixas Norte, eng. agr. João José (diretor geral da Mútua-TO), que ainda reforçou a necessidade constante da troca de informações e experiências e de ações educativas. “Nesse seminário debatemos todas as nuances que cercam os assuntos acessibilidade e inclusão, com abordagens sob a ótica de diversos ângulos, para que possamos tomar conhecimentos e trabalhar, de fato, em defesa desses princípios”, afirmou.

Para o diretor geral da Mútua-PR e coordenador das Caixas Sul, téc. em Eletrotécnica Waldir Rosa, o saldo da participação no Seminário é muito positivo. “Foi muito motivante e saímos daqui emocionados e com diversos ensinamentos e lições para refletirmos, inclusive, sobre nossas próprias vidas. Obrigada à Mútua por proporcionar esse momento de aprendizado”, agradeceu Waldir.

 

Fonte e fotos: Gecom/Mútua

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.