Evento marca o protagonismo feminino, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Renato Milhomem, presidente do Crea, e Ana Maria Faria, diretora geral da Mútua-PA

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o Crea-PA proporcionou uma manhã de informação e cuidados para as profissionais do Sistema e para as servidoras do Conselho. O evento foi feito em parceria com a Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea (Mútua), a Associação do Profissionais de Engenharia Ambiental do Pará (APEA) e a Associação dos Servidores do Crea-PA (ASCREAPA).
Iniciado pela manhã, com abertura realizada pelo presidente do Conselho, Renato Milhomem, o evento teve várias palestras voltadas para a saúde, bem-estar e sobre um assunto muito abordado atualmente, o feminicídio.

Durante as palestras, as mulheres presentes tiveram a oportunidade de receber uma sessão de Quick Massage (Massagem Rápida e Relaxante) e dicas de beleza e cuidados com a pele.

No primeiro momento do evento, foi proporcionada a sessão de massagem, realizada pela fisioterapeuta Luene Genú, que logo após deixar as mulheres relaxadas explicou um pouco do que a Quick Massage pode proporcionar para a saúde e como realizá-la.

Em seguida, aconteceu a palestra da nutricionista Thaísa de Faria, falando sobre orientação nutricional e os benefícios de uma boa alimentação.

A terceira palestra do dia foi realizada pela podóloga Claúdia Benassuly, que abordou o tema “A importância da podologia para a nossa saúde” e tirou as dúvidas das mulheres sobre o tema.

O segundo momento iniciou com o sorteio de diversos brindes para as mulheres, que tiveram a oportunidade de ganhar desde uma sessão de hidratação, com a podóloga Claúdia Benassuly, e caixas de bombons.

A última palestra do dia foi com a delegada e diretora da Delegacia da Mulher – DEAM/Belém, Adriana Barros Norat. A delegada falou um pouco do que se trata o feminicídio e explicou como se diferencia o crime de femicídio para um feminicído.

Sendo um dos momentos de maior atenção das participantes, a delegada exemplificou as situações desses tipos de crimes e passou um pouco do conhecimento que tem sobre o assunto.

– É baixa a estatística de feminicídio no Pará, porque primeiro que a competência não é exclusiva nossa, por não apurarmos todos os casos de feminicído no Pará. E existe um segundo fator que, quando uma mulher morre, você não identifica de início que aquela mulher foi vítima de feminicídio. A priori é um homicídio. Você só descobre que é um feminicídio depois que começa a ser apurado o caso. Para chegar à conclusão desse crime, deve ser caracterizado pelo simples fato de o crime ocorrer por menosprezo à condição de ser mulher e crimes praticados contra a mulher se caracterizam como feminicídios – explicou.

As palestrantes receberam o certificado de participação do evento, como agradecimento pelo momento proporcionado e por passar um pouco do conhecimento que pode ser aplicado no dia-a-dia das mulheres. Ainda ao final do ciclo de palestras, todas as participantes tiveram uma recepção com um lanche preparado especialmente e aprovado pela nutricionista que estava presente.

Participaram da organização do evento, a presidente da APEA, Paula Fernanda Pinheiro; a diretora da Mútua-PA, Ana Maria Faria e a diretora da ASCREAPA, Helena Monteiro.

 

Fonte e fotos: Crea-PA

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.