Engenheiros civis de 15 países reúnem-se no RJ

Delegações de 15 países estão reunidas, no Rio de Janeiro, para discutir o futuro do setor, traçar metas e negociar acordos. O presidente da Mútua, Paulo Guimarães, participou da abertura, na manhã desta quinta-feira

Paulo Guimarães: “Sabemos que este encontro é o que tem a maior participação dos países de língua portuguesa e castelhana. E é um orgulho, para nós, que esteja ocorrendo no Brasil” 

Novos rumos para a Engenharia Civil começaram a ser traçados – nesta quinta-feira (14), no Rio de Janeiro – por representantes de 15 países, que deram início à programação oficial do 10º Encontro das Associações Profissionais de Engenheiros Civis dos Países de Língua Portuguesa e Castelhana. Entre os temas discutidos, o alcance da crise provocada no setor, em decorrência da Operação Lava-Jato, e os principais desafios enfrentados pela área nos países envolvidos.

Participam do encontro, delegações do Brasil, de Angola, Argentina, Bolívia, Cabo Verde, Chile, Costa Rica, Cuba, Espanha, Guatemala, Moçambique, Paraguai, Portugal, Uruguai e México.

O presidente da Mútua, Paulo Guimarães, marcou presença na abertura do evento, que ocorreu na manhã desta quinta-feira. Ele parabenizou os participantes pela oportunidade e destacou a importância de trocar experiências e conhecimentos relevantes para o desenvolvimento.

“Sabemos que este encontro é o que tem a maior participação dos países de língua portuguesa e castelhana. E é um orgulho, para nós, que esteja ocorrendo no Brasil. Por isso, consideramos fundamental realizar as discussões necessárias para que se confirmem os acordos e as ações concretas, necessárias ao desenvolvimento”, defendeu.

Os diretores executivos da Mútua, Jorge Silveira (Diretoria de Benefícios), Juares Samaniego (Diretoria Financeira), Giucelia Figueiredo (Diretoria Administrativa) e Cláudio Calheiros (Diretoria de Tecnologia) também prestigiaram o evento.

O presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), Joel Krüger, destacou, em seu discurso, a importância das relações profissionais internacionais e afirmou a necessidade de integração. “O conhecimento tecnológico não pode ter barreiras geográficas. Para isso, precisamos nos conhecer e entender qual é a qualidade dos cursos e a qualidade dos profissionais de Engenharia. Precisamos saber como funciona essa formação, tratar da certificação profissional e discutir os problemas do Ensino a Distância, que têm nos preocupado bastante”, destacou.

O presidente Paulo Guimarães esteve no estande da Mútua, montado no evento, acompanhado pela supervisora, Daniela Montesanto, e pela técnica Simone Oliveira, da Mútua-RJ 

Também estiveram no Encontro o presidente do Crea-PB, Antônio Aragão, também presidente e coordenador do Colégio de Presidentes; o coordenador nacional da Coordenadoria de Câmaras Especializadas de Engenharia Civil (CCEEC), Carlos Eduardo Domingues; a Presidente do Crea-ES, Lúcia Vilarinho; a vice-presidente do Crea-BA, Karen Miranda; o presidente do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia (Ibape), Wilson Lang; e os conselheiros federais André Schüring, Carlos Vilhena, Osmar Barros Jr., Ricardo Araújo e Ronald Santos.

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.