DF é o quinto estado a criar a Frente Parlamentar da Engenharia

A Câmara Legislativa do Distrito Federal, por requerimento da deputada Celina Leão (PPS), instalou, nessa quinta-feira (29), a Frente Parlamentar de Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento do DF. A parlamentar irá presidir o grupo, tendo como vice-presidente, o deputado Wellington Luiz (PMDB).

Gerson Taguatinga acompanhou a solenidade na CLDF

O diretor financeiro da Mútua, eng. civil Gerson Taguatinga, acompanhou a solenidade ao lado de diversas outras lideranças do Sistema Confea/Crea e Mútua e de entidades de classe. Com a criação da Frente Parlamentar na capital federal, já são registrados cinco grupos nos parlamentos estaduais voltados à discussão dos temas da área tecnológica, além da Frente Nacional, de deputados federais e senadores. Acre, Bahia, Alagoas e Santa Catarina também capitaneiam o projeto e outros estados estão em mobilização. Os primeiros trabalhos do grupo no DF focarão em regularização fundiária e em acessibilidade.

A defesa da Engenharia, da Infraestrutura e do Desenvolvimento do Distrito Federal é o principal objetivo da Frente que, por meio da Câmara Legislativa, irá promover um amplo debate que evidencie o papel das áreas mencionadas como fator de propulsão do desenvolvimento social e econômico do Estado e a busca de soluções viáveis para habitação, transporte, mobilidade, saneamento, energias, segurança do trabalho, recursos hídricos, lazer e demais áreas inerentes a essas profissões. A partir daí serão formuladas proposições legislativas no sentido de valorizar as atividades profissionais essenciais ao desenvolvimento do Estado e, consequentemente, ao bem-estar da população.

Estiveram presentes ao evento, o presidente do Confea, eng. civil José Tadeu da Silva; o vice-presidente do Confea e conselheiro federal, eng. agr. Daniel Salati; os presidentes de Crea, eng. civil Flávio Correa (DF), eng. agr. Carminda Pinheiro (AC), eng. agr. Arício Resende Silva (SE), eng. civil Evandro de Alencar Carvalho (PE); o presidente da Federação Nacional de Engenheiros (FNE), eng. civil Murilo Celso Pinheiro; o presidente do Sindicato dos Engenheiros do DF (Senge-DF, Brasil Américo Louly Campos; o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF (Sindiscon-DF), Luiz Carlos Botelho Ferreira; conselheiros federais; e profissionais da área tecnológica.

Parlamentares e lideranças do Sistema instalaram a Frente Parlamentar do DF

Durante a solenidade, o presidente do Confea, José Tadeu da Silva, explicou a atuação do Conselho Federal nas duas frentes elencadas como prioritárias pelo grupo. Ele defendeu a necessidade da participação da Engenharia na discussão a respeito da Medida Provisória nº 759/2016, que trata da regularização fundiária rural e urbana; e, em relação a acessibilidade. Tadeu da Silva falou da participação do Confea em conferência das Nações Unidas sobre o assunto: “Entre os 29 conselhos profissionais existentes, o Ministério dos Direitos Humanos convidou o Confea para compor a delegação do Brasil na conferência. Isso significa que o poder público entendeu que é a engenharia a ciência capaz de fornecer as soluções de acessibilidade”.

Celina Leão (PPS), explicou a importância da criação do grupo no DF: “A construção é para o nosso estado como a indústria é para São Paulo. E, nos últimos anos, tivemos uma queda de 40 mil postos de trabalho no setor”, afirmou. “A criação da Frente vem ao encontro da necessidade de retomar esse mercado”.

No Congresso Nacional, quem coordena a Frente Parlamentar – que é mista, ou seja, tem deputados e senadores em sua composição – é o deputado federal e engenheiro Ronaldo Lessa (PDT), que esteve presente no lançamento da Frente do Distrito Federal para defender a importância dos grupos tanto no âmbito nacional, quando no estadual. “A nossa missão é dar qualidade de vida. E se o médico não tivesse os equipamentos que tem? ”, questionou. De acordo com ele, as lideranças políticas estão avançando nos debates da criminalização do exercício ilegal da profissão; da criação da carreira de Estado para engenheiros e agrônomos; e, principalmente, da federalização do Plenário do Conselho Federal. “O ministro do Planejamento prometeu para mim que, até dia 30, nosso texto estaria na Casa Civil”, contou.

Assessor parlamentar do Confea, articulador da criação do grupo e agora conselheiro da Frente, José Demetrius Vieira informou que o processo de implantação de frentes estaduais está encaminhado em Goiás, em Mato Grosso, em Mato Grosso do Sul, no Paraná, em Pernambuco, no Rio de Janeiro, em Rondônia e em São Paulo. “A Frente nos dá oportunidade de estreitar o diálogo da engenharia, do desenvolvimento e da infraestrutura com o espaço público, promovendo e deliberando orientações políticas, próprias de um processo democrático”, defendeu.

Também falaram durante a sessão o deputado federal Rôney Nemer (PP), o presidente da Câmara Distrital deputado Joe Valle (PDT), o vice-presidente Casa, deputado Wellington Luiz (PMDB) e o deputado distrital Claudio Abrantes (PT).

Fonte: Gecom/Mútua (com informações do Confea)

Fotos: Gecom/Mútua

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.