Crea Amazonas participa do Fórum de Presidentes dos Creas da região Norte

O primeiro dia do CREA Norte foi marcado pelas discussões em torno do Projeto de Lei 5680/13 e da Resolução 1094, que influenciam diretamente o trabalho dos profissionais de Engenharia e Agronomia

Desde esta quinta-feira (23) até esta sexta (24), acontece em Palmas (TO) a 505ª Reunião Ordinária do Fórum de Presidentes dos Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia da Região Norte (CREA Norte), que reúne em plenária discursiva e deliberativa os representantes do Amazonas, Acre, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

O presidente do CREA-AM, José Carlos Coelho de Paiva, explicou que o evento é uma oportunidade de se elaborar, discutir, aprovar e avaliar a implementação de uma agenda de propostas importantes para o desenvolvimento a contento das atividades nos conselhos estaduais.

“A partir dessas discussões que estamos tendo hoje, saem as indicações que serão encaminhadas ao Colégio de Presidentes do Sistema Confea/CREA e para apreciação nas Câmaras de Engenharia”, acrescentou.

Segundo Paiva, o primeiro dia do CREA Norte foi marcado pelas discussões em torno do Projeto de Lei 5680/13, recém-aprovado na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, em Brasília, de autoria do deputado Glauber Braga (PSOL-RJ), o qual determina que os integrantes dos conselhos federais e regionais de fiscalização do exercício profissional sejam eleitos pelos profissionais inscritos nos Conselhos por meio de voto direto e secreto.

“Entendemos que a discussão da forma de representação do Plenário é importante a fim de que atenda cada vez mais os anseios dos profissionais”, ressaltou o presidente.

Livro de Ordem

Também foi discutida a Resolução 1094, do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), que institui como obrigatório o registro das atividades laborais dos canteiros de obras e serviços de Engenharia, Agronomia, Geografia, Geologia ou Meteorologia no chamado ‘Livro de Ordem’.

Conforme o entendimento do Confea, o registro das atividades relacionadas com a obra ou serviço servirá, entre outras coisas, para comprovar a autoria de trabalhos, o cumprimento das instruções técnicas ou administrativas e para se avaliar motivos das eventuais falhas no projeto, gastos imprevistos ou acidentes de trabalho.

“Quanto ao Livro de Ordem é muito claro para todos que ele não vai atender ao objetivo a que se propõe, que é acabar com a figura do ‘engenheiro canetinha’, que só aparece na obra de vez em quando”, criticou Paiva.

 

Fonte: Crea-AM

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.