Contexto dos transportes no país tem um viés ambiental

Os recentes fatos sociais, políticos e econômicos que o Brasil tem vivido nas últimas semanas também podem ser examinados pela ótica ambiental. A reflexão é feita, nesse 6 de junho – Dia Mundial do Meio Ambiente – pelo presidente interino da Mútua, o engenheiro civil e especialista em Recursos Hídricos e Meio Ambiente Marcelo Gonçalves Nunes de Oliveira Morais.
Ele lembra que o Estado brasileiro fez a opção por um modal de transportes focado no escoamento de cargas por meio de rodovias. “Essa foi uma inversão de cenário, pois, ao invés de investir de ferrovias e portos, vimos uma política maciça com o lema governar é construir estradas. Com isso, chegamos ao cenário atual, com a chamada crise dos caminhoneiros”, afirma.

O escoamento da maioria dos produtos no país concentra-se no modal rodoviário o que, como foi vivenciado, gera toda uma problemática com relação aos combustíveis, além do passivo ambiental que é gerado por diversos fatores envolvidos em todo o processo desse tipo de modal. Vale aqui, também, a reflexão de que, apesar do país ter direcionado os investimentos de infraestrutura em estradas, as rodovias brasileiras padecem de um estado precário de conservação.

Nesse sentido, o engenheiro entende que os profissionais do Sistema Confea/Crea e Mútua são essenciais para a reversão desse quadro, trazendo, inclusive, o olhar da sustentabilidade. “Temos a procedência para atuar nessa crise. Tudo o que vemos desde a hora que acordamos tem a mão de um profissional da área tecnológica. É a Engenharia, a Agronomia e a Geociência que aglutinam os conhecimentos e as práticas necessárias ao desenvolvimento sustentável. É preciso inserir esse olhar conservacionista, pensando no futuro da sociedade”, defende.

A Mútua e o Meio Ambiente
Os temas meio ambiente e sustentabilidade têm permeado diversas ações internas e externas da Caixa de Assistência. Além de ações práticas no âmbito operacional da Instituição, como campanhas voltadas a preservação ambiental, redução do uso de papel e apoio a iniciativas da área, a Mútua também trabalha esses assuntos no tocante à valorização dos profissionais do Sistema Confea/Crea que atuam em diversas áreas ligadas ao meio ambiente.

“Entre as prerrogativas da Mútua temos a de fomento ao desenvolvimento e ao aperfeiçoamento dos profissionais, a de valorização das profissões e de sua responsabilidade no cuidado socioambiental, além da própria natureza assistencial que a Mútua carrega e que pode se valer disso em sua divulgação. Vejo que isso nos atribuí a missão de pensar o meio ambiente e sua preservação, assim como a qualquer outra instância da sociedade, pois todos estamos inseridos nele”, avalia Marcelo Morais.

A sociedade também tem função nesse processo, destaca o presidente da Mútua. Para ele, cabe a todos “utilizar-se das mídias alternativas para formação do juízo de valor” sobre o que ocorre no país e, mais ativamente, “escolher governantes que se preocupam com a sustentabilidade e que valorizam as instituições e entidades que trabalham com esse objetivo de transformar sonhos em realidade.”

 

Fonte e foto: Gecom/Mútua

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.