Confea participará de discussões sobre as diretrizes educacionais para a Engenharia

Comitiva do Confea presente ao ministério da Educação: sugestões em 30 dias para a definição das Diretrizes Curriculares da Engenharia

Em um mês, o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) apresentará sugestões para a alteração das Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Engenharia. O alinhamento foi definido junto ao Conselho Nacional de Educação e ao Ministério da Educação, respectivamente, nestas quarta e quinta-feiras (13 e 14).

“Saímos com o compromisso do ministro Rossieli Soares da Silva de que poderemos nos manifestar. Essa é uma demanda antiga e agradeço ao presidente por dar a oportunidade de trabalhar em torno desse momento tão importante para todo o Sistema”, destacou o coordenador da Comissão de Educação e Atribuição Profissional (Ceap), eng. civ. Osmar Barros Júnior, ao início da plenária, já na tarde desta quinta.

Plenário tomou conhecimento das tratativas com os órgãos da educação

Para o presidente Joel Krüger, para garantir que a sociedade brasileira tenha qualidade e segurança, tal como a defesa de assuntos de interesse da nossa soberania, “precisamos também da qualidade da formação, não só da qualidade no exercício profissional”. O presidente do Confea relatou aos participantes da audiência com o ministro a necessidade de avançar na discussão mais objetiva de temas específicos e de “disponibilizar a nossa capilaridade com 27 Creas para ver de que forma podemos contribuir, observando nossos limites legais, com toda a inteligência do nosso sistema profissional”.

Participaram ainda da reunião no ministério o vice-presidente do Confea, Edson Delgado, o secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior, Henrique Sartori, os conselheiros federais João Bosco de Andrade, André Schuring, Zerisson de Oliveira Neto e Laércio Aires; os presidente dos Crea-GO, Francisco Machado, e do Crea-SE, Arício Resende, respectivamente, coordenador e coordenador adjunto do Colégio de Presidentes; o coordenador do Colégio de Entidades Nacionais, Wilson Lang, o coordenador da Coordenadoria Nacional de Câmaras Especializadas de Engenharia Elétrica Jovanilson Faleiro e o ex-coordenador, Sérgio Luiz Cequinel Filho; o engenheiro civil Cláudio Machado e a assessora da presidência eng. eletric. Cláudia Machado.

Veja fotos da audiência no ministério da Educação

“Temos que ter um controle melhor da qualidade do ensino”, concordou o ministro Rossieli. “Façam uma proposta unificada de vocês. Temos instituições privadas que é onde a mercantilização bate. A pública, a gente sabe que a qualidade é melhor. Não temos nenhuma discordância sobre nenhuma das questões, o problema é como faremos isso. Vamos discutir com a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) e a Secretaria de Educação Superior (Sesu)”.

CNE

Presidente Joel Krüger na visita ao Conselho Nacional de Educação

A participação do Conselho na definição das novas diretrizes curriculares da Engenharia já havia começado a ser definida na tarde anterior, quando os conselheiros e a presidência do Confea foram recebidos pelo presidente da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, Luiz Roberto Liza Curi. Desta reunião, participaram também os presidentes dos Creas do DF, Fátima Có, de Goiás, Francisco Almeida, Paraná, Ricardo Rocha de Oliveira; Crea-RO, Carlos Antônio Xavier, e Crea-SP, representado pelo vice-presidente Edson Navarro; os conselheiros federais Daniel Salati, Wiliam Alves Barbosa, Edson Delgado, Osmar Barros Júnior e o diretor-geral da Mútua-PR, Júlio Russi, além dos especialistas no ensino de engenharia decano da Escola Politécnica da PUCPR, professor e engenheiro mecânico Neri dos Santos, o presidente da Abenge, engenheiro civil Vanderli Fava de Oliveira e o coordenador da CCEAGRO, engenheiro agrônomo Kleber Santos.

A pedido do presidente do Confea, os conselheiros receberam o relatório preliminar e que contou com contribuições da Associação Brasileira de Ensino de Engenharia (Abenge), da Confederação Nacional da Indústria (CNI), entre outras entidades. “Nossos conselheiros terão agora 30 dias para se manifestar e entregar as contribuições, críticas e sugestões ao CNE. Esperamos que nossas contribuições sejam acatadas pelo colegiado, já que nossa intenção é colaborar com a melhoria da qualidade do ensino da engenharia em nosso país. Dessa forma, daremos nossa contribuição a sociedade brasileira”.

Veja aqui fotos da comitiva do Confea no CNE

Para o professor Neri Dos Santos, a contribuição do Sistema foi “uma excelente iniciativa do presidente Joel Kruger em realizar esta reunião com o presidente Curi do CNE e com o presidente Vanderli da Abenge para discutir a proposta das novas Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Engenharia”.

O presidente do Crea-PR, Ricardo Rocha de Oliveira, também parabenizou a iniciativa “pela importante oportunidade de interação com o CNE Conselho Nacional de Educação, na busca de maior qualidade para formação de profissionais do nosso sistema profissional”. No mesmo sentido, o presidente Francisco Almeida agradeceu ao presidente Joel pela oportunidade de participar da discussão.

 

Fonte: Confea

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.