SOEA e Contecc são destaques na abertura da Sessão Plenária do Confea

Abertura dos trabalhos: Francisco de Sales (coordenador da Câmara Especializada de Agrimensura); Jorge Silveira (coordenador do Colégio de Presidentes de Creas); presidente em exercício do Confea, Júlio Fialkoski; conselheiro João Francisco dos Anjos; Cláudio Calheiros (presidente da Mútua); e Gumercindo Ferreira (coordenador do Colégio de Entidades Nacionais)

 

Na manhã desta quarta-feira (20), teve início a 1412ª Sessão Plenária do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia. O destaque, na abertura dos trabalhos, foi a 71ª SOEA – Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, que reuniu cerca de 3.800 participantes e que incluiu, pela primeira vez em sua programação, o Congresso Técnico e Científico (Contecc), que apresentou 360 trabalhos técnicos. Todas as manifestações dos presentes, incluindo o presidente da Mútua, engenheiro agrônomo Cláudio Calheiros, foram em torno desse, que é o maior evento do Sistema Confea/Crea e Mútua e que, em sua 71ª edição, de acordo com os pronunciamentos, foi um marco na história do Sistema, pela inovação e por vários outros aspectos.

Em sua apresentação ao Plenário, Calheiros prestou informações sobre as atividades da Mútua nos meses de julho e agosto e também destacou a participação na 71ª SOEA. “Nossa delegação foi composta por 111 pessoas, entre diretores executivos, diretores regionais, ex-dirigentes convidados e colaboradores. Ainda fomos responsáveis pela participação de representantes das delegações dos Creas, com os quais firmamos parceria de apoio financeiro, incentivando a ida de mais profissionais à Semana Oficial”.

O presidente Calheiros lembrou que a Mútua também foi um dos patrocinadores da SOEA, através de convênio direto com o Crea-PI, anfitrião do evento. “Investimos, no total, cerca de R$ 2 milhões e 300 mil, objetivando a divulgação da Mútua, o apoio aos Creas e a valorização do evento, além da busca por novos associados, o relacionamento com estudantes da área tecnológica e a fidelização dos já mutualistas”, declarou.

Também participaram da abertura da Sessão Plenária o engenheiro agrônomo Ricardo Veiga (diretor de Benefícios) e o técnico em Edificações, Lino Gilberto da Silva (diretor financeiro). Presentes, ainda pela Mútua, o superintendente, engenheiro civil Paulo Roberto de Queiroz Guimarães, e os gestores Lúcio dos Anjos (Gerência de Tecnologia) e Margareth Vicente (assessora de Comunicação, Marketing e Eventos).

Diretores Lino e Veiga: presença na abertura da Plenária do Confea

Manifestações

Antes das manifestações sobre a SOEA, o presidente em exercício do órgão, engenheiro mecânico Júlio Fialkoski, destacou a expectativa de tranquilidade de seu mandato nos três meses à frente da Instituição e com o período eleitoral. “Nossa expectativa é de tranquilidade em relação ao processo eleitoral, que representa um grande desafio por ser a nossa maior eleição”.

Sobre a Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, o conselheiro federal Mário Amorim (Crea-RN) ressaltou a maneira como o conselheiro Marcelo Morais (Crea-PI) – defensor de primeira hora para que a SOEA fosse para o Piauí – impôs serenidade ao processo. O conselheiro Marcelo, por sua vez, fez um relato emocionado sobre o sucesso do evento que, mesmo nos momentos difíceis, mostrou-se vitorioso pela superação das dificuldades e pelo marco que representou para o Sistema, com inovações quanto à forma e conteúdo.

Morais: depoimento emocionado sobre o sucesso da 71ª SOEA

O conselheiro José Geraldo Baracuhy, coordenador do Contecc, destacou o acolhimento e receptividade do povo do Piauí, o que, segundo ele, foi um diferencial. Também frisou o apoio do Plenário, o apoio financeiro e a chancela do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e agradeceu aos 70 avaliadores de todo o País que trabalharam gratuitamente na escolha, entre os 600 inscritos, dos 360 trabalhos apresentados no evento. Baracuhy lembrou que o tema da SOEA foi “Inovação”. E sentenciou: “O próprio Contecc foi uma inovação. Abrimos uma fronteira e temos que explorá-la. O horizonte é muito maior que a fronteira aberta. A grande inovação não são os equipamentos, são as cabeças e a inovação está em nossa cabeça”.

Baracuhy: inovação e novos horizontes

Preocupação com acessibilidade

Portador de necessidades especiais, o conselheiro federal Osvaldo Valinote, que também é conselheiro titular do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade – órgão criado para acompanhar e avaliar o desenvolvimento da política nacional para inclusão da pessoa com deficiência), disse que o Conteccc inovou, mas que houve um marco maior a ser registrado: “A preocupação com os portadores de necessidades especiais e as providências quanto à acessibilidade nessa SOEA foram inovadoras e um marco para as próximas SOEAs. Foram derrubadas barreiras culturais, físicas e de vontade e foi respeitada a cidadania dessas pessoas. Quero destacar, também, a inclusão de pessoas deficientes nas equipes de trabalho na SOEA, um grande exemplo”, elogiou.

 

Valinote: inclusão e cidadania

O conselheiro federal Jolindo Rennó (Crea-SP) ressaltou a inovação representada pelo Contecc. “A Semana precisa congregar o público interno do Sistema e a sociedade, estudantes e profissionais. A inovação do Contecc valorizou a SOEA e a participação de jovens representa a renovação de nosso Sistema”. 

Ibá dos Santos Silva, conselheiro federal pelo Crea-RJ, lembrou o termo de cooperação técnica assinado entre Confea e Ministério do Meio Ambiente, sugerindo a inclusão dos trabalhos apresentados no Contecc, no programa “Brasil mais 20”. “Temos municípios que não apresentaram solução para a questão dos lixões e dos problemas sanitários e muitos trabalhos remetem para possíveis soluções para esses municípios”.

Marcos Ferreira, conselheiro federal pelo Crea-ES, disse que a SOEA é integração e interação entre sociedade, profissionais, estudantes, empresários, academia e lideranças classistas. “O Confea mostra como vem sendo sua atuação e a Semana passou a ser um marco estratégico para que o Confea e os Creas aprimorem sua função de proteção e segurança à sociedade.” Disse que se deve rumar para fortalecer esse movimento. “A integração cada vez mais estreita pode trazer financiamentos do governo e da iniciativa privada”.

 

Fonte: Acme/Mútua

Fotos: Margareth Vicente (Acme/Mútua)

 

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.