43ª RAPv e 17º Enacor: Participação do Confea fortalece atuação profissional

A participação do Confea no 17º Encontro Nacional de Conservação Rodoviária e na 43ª Reunião Anual de Pavimentação, como um dos realizadores, vem sendo bastante elogiada e prestigiada pelos profissionais das áreas tecnológicas presentes aos eventos desde a última terça-feira, em Maceió. O estande do Confea já foi visitado por quase metade dos 750 participantes dos eventos, que são mais severos em relação às críticas aos investimentos oficiais no setor de pavimentação. Os eventos prosseguem até o próximo sábado (02/08), no Centro de Convenções de Maceió (AL).
Participante destacado na organização e realização da 43ª Reunião Anual da Associação Brasileira de Pavimentação e 17º Enacor Encontro Nacional de Conservação Rodoviária – promovidos, pela Associação Brasileira de Pavimentação (RBPv), Associação Brasileira dos Departamentos Estaduais  de Estradas de Rodagem (Abder) e Departamento de Estradas de Alavoas (DER-AL), em parceria com diversas entidades, entre elas o Sistema Confea/Crea e Mútua – o diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), Nelson Leal Jr., lamenta a falta de investimentos no setor:
“Sem os recursos advindos do SID, imposto que era cobrado sobre os combustíveis, a construção e manutenção de estradas ficaram muito prejudicadas. Temos cobrado do Detran uma percentagem sobre o IPVA”, informou, antes de considerar “mais que positiva para a valorização dos profissionais, a participação do Confea em eventos que tratam de temas de interesse público.
“Essa parceria inédita reflete a interação necessária para o fortalecimento do setor”, afirmou Leal que, no DER-PR, está à frente de 450 engenheiros. A soma os engenheiros dos DERs chega a cinco mil profissionais. Nelson Leal Jr. é ainda ex-presidente da Associação dos Engenheiros, Arquitetos do Paraná e atual secretário de Infraestrutura Logística do Paraná.

Estímulo à participação do Conselho

Participante de toda a programação oferecida pelos eventos, o engenheiro Nabucodonozor Filho – xará do pai e sem homônimo, pelo que saiba – defende que eventos como a 43ª RAPv e o 17º Enacor contem com parceiras como a do Confea, que assina a realização ao lado de diversos parceiros. “Aqui tratamos de temas de interesse público e a participação do Sistema Confea/Crea e Mútua fortalece nossa atuação enquanto profissionais comprometidos em contribuir com o país”.

O profissional avalia positivamente a realização de eventos desse porte e com conteúdo técnico específico voltado para os profissionais que atuam na área de transportes no país. “É uma oportunidade de disseminação e absorção de conhecimentos”, diz Nabuco, engenheiro civil, 36 anos, formado desde 2002 pela Universidade Federal de Alagoas, e que trabalha no DNIT-AL desde 2009, como analista de infraestrutura de transporte.
A exemplo da grande maioria dos profissionais que atuam na área de transportes, Nabuco confirma que a realidade do setor só não é mais grave por causa do baixo crescimento. “Há muito a fazer para o setor se tornar eficiente. É preciso vontade política de deputados, senadores, governadores e prefeitos, além de determinação do governo federal para o país equacionar a questão da intermodalidade e dar eficiência a hidrovias, ferrovias e rodovias brasileiras”, afirma.
Com recursos – o DNIT nacional registra em 2014 uma cartela de contratos da ordem de R$ 15 bi para construção, manutenção e conservação – gente capacitada e projetos, Nabuco confessa que a frustração de atuar no setor é atenuada pela paixão que tem pela atividade: “Quando se gosta, não se desiste e estamos sempre tentando mais uma vez para melhorar”.

Visitação ao estande e lançamento de livro

A 43ª Reunião Anual da Associação Brasileira de Pavimentação e o 17º Encontro Nacional de Conservação de Rodovias atraíram diversos parceiros que participam também a 3ª Expo Pavimentação. Entre os 25 estandes – a maioria expondo produtos para o setor – os de entidades de representação profissional ganharam destaque, como o do Sistema Confea/Crea e Mútua e o da Mútua – Caixa de Assistência dos Profissionais. O estande do Confea apresenta aos participantes publicações técnicas e já recebeu cerca de 300 visitantes dos 750 participantes dos eventos. 
O estande também serviu de cenário para a realização de entrevistas a serem editadas e depois divulgadas nos canais de mídias sociais, entre elas a de José Pedro Vieira Costa, presidente da ABPV; Rubens Cahin, assessor do DER-SP, um dos debatedores da palestra sobre Fontes de Financiamento, e de Jaime Waisman, da USP, palestrante que tratou do Projeto do VLT de Maceió, além de Nelson Leal Jr., diretor do DER-PR. E na noite desta quinta-feira (31/7), a sessão de autógrafos do “Manual Básico da Engenharia Ferroviária” movimentou o estande do Confea,
Manual Básico da Engenharia Ferroviária
Resultado da experiência e dos conhecimentos acumulados durante décadas de atuação – no caso do coordenador, Rui Nabais, 40 anos – a publicação é assinada por dez engenheiros que atuam no setor ferroviário nacional. E segundo Rui, nasceu para subsidiar estudos, projeto, construção e operação de ferrovias.
Publicado pela Oficina de Textos, o Manual reúne o conhecimento de profissionais com anos de experiência em estudos operacionais, projeto, manutenção e material rodante, e vem suprir a carência de materiais de consulta atualizados e abrangentes em transporte ferroviário, área de crescente investimento da iniciativa privada e do Governo.
O livro aborda de maneira prática e detalhada conceitos básicos; as principais noções sobre equipamentos, operação e manutenção da via permanente; e todas as etapas de um projeto de ferrovia, englobando estudos operacionais, básicos e de infraestrutura, além de projeto de obras de arte especiais, de sistemas e de obras complementares.
Para Rui, angolano de nascimento, que está no Brasil desde os anos de 1970, o Manual é “uma referência para estudantes, empresas operadoras ferroviárias e profissionais”. 
No site www.ofitexto.com.br os interessados podem encomendar seus exemplares.
Sobre o organizador: Rui José da Silva Nabais: Engenheiro civil pela Univ. Luanda (1972), especialista (lato sensu) em Gestão Estratégica e Qualidade pela UCAM-RJ (2002) e mestre em Engenharia de Transportes pela Coppe/UFRJ (2005). Apresentou trabalhos sobre integração multimodal de passageiros nos congressos Pan-Americano de Engenharia de Transportes (Las Palmas, 2006) e Luso-Brasileiro de Planeamento Urbano (Braga, 2006), e nos últimos 18 anos foi engenheiro consultor dos projetos de implantação da FIOL, da FNS a Ilhéus (Valec), da restauração e complementação da ferrovia Nacala-Moatize e Beira-Moatize (Vale, Moçambique e Malawi) e da expansão do metrô de Recife (CBTU).

Fonte: Confea

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.