Benefícios e previdência complementar: destaques da Mútua na Plenária do Confea


Ricardo Veiga apresentou o balanço das atividades da Mútua

Esta 1411ª Sessão Plenária Ordinária do Confea, a primeira do segundo semestre de 2014 e a que precede a 71ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (SOEA), evento que acontece de 12 a 15 de agosto, em Teresina (PI), tem na pauta dezenas de itens das diversas Comissões do Conselho e foi aberta, na manhã desta quarta-feira (30), com a apresentação do relatório de desempenho da Mútua.

A explanação foi feita pelo diretor de Benefícios da Instituição, engenheiro agrônomo Ricardo de Arruda Veiga, e acompanhada pelos diretores Lino Gilberto da Silva (diretor financeiro) e Luiz Alberto Freitas Pereira (administrativo), além de alguns dos gestores da Mútua. Veiga fez sua apresentação dando enfoque às questões relativas aos benefícios da Mútua e à previdência complementar, tema que também foi abordado na Plenária pelo superintendente da Mútua, engenheiro civil Paulo Roberto de Queiroz Guimarães.


O conselheiro federal Romero Cesar da Cruz Peixoto com os diretores da Mútua, Luiz Alberto e Lino

Veiga mostrou o aumento significativo no número de concessões dos benefícios da Mútua, após as alterações feitas nos regulamentos, em setembro de 2013. Conforme os dados apresentados, somente de janeiro a julho deste ano a Mútua já disponibilizou cerca de 70 milhões de reais, sendo o benefício Veículos o mais procurado pelos associados. Além dos dados numéricos, o diretor de Benefícios também destacou como tem sido a rotina das Regionais da Mútua com as alterações dos regulamentos e ponderou que ainda serão convenientes algumas adaptações nesses novos normativos. Veiga explicou que a efetividade e a adequação de alguns pontos alterados somente foi possível avaliar após passada a fase de implantação e com a prática das concessões, o que delimitou alguns ajustes necessários. Ele ainda antecipou que a Mútua está estudando a criação de novos benefícios, que deverão ser propostos futuramente ao Plenário do Confea.

O diretor da Mútua falou, ainda, sobre o plano de previdência complementar oferecido pela Mútua, o TecnoPrev, mostrando os índices de rentabilidade e de inscrições e os futuros projetos da área. Veiga, através dos dados, reforçou que a previdência complementar da Mútua tem crescido a cada ano e que o objetivo da Instituição é reforçar ainda mais a oferta desse tipo de serviço. A apresentação incluiu o relato do histórico das tratativas com a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), órgão que regula e fiscaliza o setor, sobre a concessão do Auxílio Pecúlio pela Mútua que, devido a natureza previdenciária do benefício social, só pode ser disponibilizado por entidades de previdência complementar. O diretor da Mútua explicou aos conselheiros que para se adequar à legislação, a Caixa de Assistência assinou termo de comprometimento com a Previc, para a criação de uma Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC), o que garantirá a permanência da concessão do pecúlio aos mutualistas. O diretor lembrou, ainda, que a Mútua protocolou no Confea, no dia 7 de maio deste ano, para conhecimento e referendo, ofício relatando todo esse processo de adequação do oferecimento do Auxílio Pecúlio e o Termo de Ajustamento de Conduta, assinado com a Previc, conforme já havia sido apresentado na Plenária do Confea nº 1.409.


Questões específicas sobre a EFPC foram abordadas por Paulo Guimarães

Um grupo de trabalho, composto por conselheiros federais, diretores e gestores da Mútua, para estudo da criação dessa EFPC, já foi formado e está previsto para o final de setembro um seminário sobre o tema. Durante a Plenária, para detalhar alguns pontos específicos sobre o assunto, o superintendente da Mútua, Paulo Roberto de Queiroz Guimarães, também participou da apresentação aos conselheiros. Paulo Guimarães mostrou aspectos relevantes da área de previdência complementar, como uma compilação dos índices de rentabilidade do TecnoPrev e dos principais planos oferecidos pelo mercado tradicional, que mostram a superioridade do TecnoPrev, as vantagens de a Mútua criar sua EFPC – que inclui a possibilidade de redução da taxa de carregamento, elevação no quadro associativo da Mútua e o ingresso dos Creas e Confea como instituidores, entre outras –  e como poderá ser a estrutura da entidade.

Novamente com a palavra, o diretor de Benefícios da Mútua finalizou, destacando os avanços alcançados com as alterações dos regulamentos dos Benefícios e lembrou que não há crescimento e amadurecimento sem mudanças. “A cada mês, estamos liberando cerca de 10 milhões de reais para nossos associados e isso mostra nosso crescimento. Sabemos o que a Mútua precisa e estamos trabalhando para isso. Contamos com o apoio do Confea e dos conselheiros nessa nova empreitada da Mútua”, enfatizou.

Alguns conselheiros se pronunciaram sobre a apresentação da Mútua. O conselheiro Mário Varela Amorim elogiou o trabalho da Mútua, principalmente a intenção de ampliar e melhorar o TecnoPrev, desejando que os novos rumos do plano de previdência possam cada vez mais beneficiar os profissionais. Ana Constantina também se manifestou, ponderando que a Comissão de Controle e Sustentabilidade do Sistema (CCSS) já iniciou as tratativas com a Direx da Mútua para o amadurecimento das questões relativas a esses novos projetos, como a realização do Seminário de setembro e conclamou a todos os conselheiros que analisem as propostas da Mútua. O vice-presidente do Confea, Júlio Fialkoski, parabenizou a Mútua pelo avanço que, segundo ele, irá beneficiar não só os mutualistas, mas todos os profissionais do Sistema.

As demais ações institucionais, financeiras e operacionais desenvolvidas pela Mútua nos meses de maio, junho e julho também compuseram a apresentação na Sessão Plenária do Confea, que segue até sexta-feira.


Presidida pelo vice-presidente do Confea, Júlio Fialkoski (ao centro), a mesa de abertura foi composta, ainda, pelo coordenador nacional da Coordenadoria de Câmaras Especializadas de Agronomia, Kleber Sousa Santos, pelo coordenador do colégio de presidentes, Jorge Roberto da Silveira (à esquerda), pelo diretor da Mútua, Ricardo Veiga, e pelo coordenador do Colégio de Entidades Nacionais, Gumercindo Ferreira da Silva (à direita)

 

 

Fonte: Acme/Mútua

Fotos: Alline Abreu (Acme/Mútua)

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.