Dia do Engenheiro Sanitarista: associado fala sobre a profissão e sua relação com a Mútua

Mutualista desde 2002, o engenheiro sanitarista Mauro Luiz Lucas, de Florianópolis (SC), considera muito importante o apoio financeiro da Mútua aos profissionais, definindo esse suporte e essa parceria como “vantagens proporcionadas de pai para filho”. Ele ainda destaca que os benefícios da Mútua atendem às diversas necessidades dos profissionais. “Já utilizei três vezes os benefícios da Mútua: para troca de veículo, compra de material para reforma residencial e, também, compra de equipamentos profissionais. Esse dinheiro foi de muita importância para o equilíbrio das minhas finanças pessoais”, evidencia o engenheiro sanitarista.

Atuando na área de Saneamento Ambiental, em uma empresa de consultoria que trabalha nos setores de saneamento, controle de poluição, planejamento ambiental, estratégias de gestão, utilização e conservação dos espaços e dos recursos naturais, Lucas acredita que sua profissão está totalmente inserida no contexto social e que foi criada “visando promover a saúde publica”.

Para comemorar o Dia do Engenheiro Sanitarista -13 de julho -, o profissional lembra a importância da organização e união da categoria. “Neste dia, devemos fazer uma reflexão sobre a nossa atuação politica, pois já conseguimos algumas conquistas em nosso Sistema Confea/Crea e Mútua, mas ainda precisamos de novos avanços, tendo em vista que se passaram mais de 30 anos do inicio da nossa atuação”, salienta Lucas.

Mais sobre a profissão

Com foco no desenvolvimento da infraestrutura das cidades, envolvendo a fiscalização, a manutenção e ampliação de projetos de sistemas de água, de tratamento de esgoto, drenagem e irrigação pluvial, limpeza urbana e de descarte de resíduos, os engenheiros sanitaristas trabalham na melhoria da qualidade de vida da população. As ações da Engenharia Sanitária, muito ligadas ao bem-estar social e à saúde pública, ajudam na prevenção de doenças, além de dirimirem os danos ambientais, promovendo o desenvolvimento sustentável. 

O mercado de trabalho está aquecido para os engenheiros sanitaristas. Discussões públicas, políticas setoriais e pressões da sociedade por medidas que reduzam os impactos das atividades do homem sobre o ambiente natural e que resguardem o equilíbrio da população estão impactando positivamente na busca por esse profissional no País. A recente Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei no 12.305/2010), que incentiva a reciclagem e a sustentabilidade, determinando que Estados, municípios, empresas e demais instituições devem organizar o descarte apropriado dos materiais, é uma dessas ações que têm demandado o conhecimento dos engenheiros sanitaristas.

 

Fonte: Acme/Mútua

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.