Em Encontro Nacional, presidente do Confea propõe criar Câmaras Especializadas em todos os Creas e conclama pela união da Engenharia Química

Na manhã da terça-feira (03/06), na sede do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), em Brasília (DF), ao se dirigir aos participantes do Encontro Nacional de Engenharia Química, o presidente do Confea, engenheiro civil José Tadeu da Silva, defendeu a criação e instalação de Câmaras Especializadas da modalidade em todos os Conselhos Regionais. O Encontro teve início na manhã desta segunda-feira e será encerrado na tarde de hoje.

“Falar de química é falar de conflito com o Conselho de Química, não tem como desviar”, reconheceu o presidente José Tadeu da Silva, para, em seguida, estimular a organização dos engenheiros químicos registrados no Sistema Confea/Crea e Mútua. “Temos que ter a Engenharia Química organizada em todos os Creas, e a iniciativa das Câmaras deve partir de vocês”. Para ele, esse caminho passa pelas entidades de classe e pelas instituições de ensino superior. “Este pode ser um caminho mais rápido”, aconselhou. “Temos que atingir todo o território nacional e os colegas da Engenharia Química têm que começar a pensar nisso”.

No segundo e último dia do evento, o presidente do Confea compôs a mesa de trabalhos ao lado do presidente do Crea-ES, Helder Carnieli; do diretor-presidente da Mútua, eng. agr. Cláudio Calheiros; do coordenador nacional da Coordenadoria das Câmaras Especializadas de Engenharia Química, Carlos Alberto Rodrigues Anjos; e do coordenador do Colégio de Entidades Nacionais (Cden), eng. alim. Gumercindo Ferreira da Silva.

O diretor-presidente da Mútua considera que “os encontros por modalidade permitem projetar o Sistema enquanto agente participativo na sociedade brasileira”. O Coordenador das Câmaras Especializadas de Engenharia Química agradeceu a “iniciativa do Confea”, que espera que seja “perenizada”. Já o coordenador do Cden, agradeceu pessoalmente ao presidente José Tadeu “por permitir a integração das modalidades”. As participações de Carlos Alberto Rodrigues Anjos e Gumercindo Silva, falando, respectivamente, sobre “Linhas de ações para a emissão de pareceres de registro de profissionais e ou empresas” e “A representatividade da Engenharia da Modalidade Química do Sistema Confea/Crea”, complementaram a programação da parte da manhã. À tarde, os participantes encaram o  desafio de  elaborar uma Carta com as decisões tomadas durante o encontro. 


Visão geral do plenário do Confea, durante o Encontro Nacional da Engenharia Química

Entre amigos, em defesa da sociedade

Sentindo-se “entre amigos, a maioria dos presentes tem uma ligação muito forte comigo’, José Tadeu historiou a criação da representação profissional para contextualizar a próxima votação do Projeto de Lei nº 6699/2002, que criminaliza o exercício ilegal das atividades características das profissões reunidas pelo Sistema Confea/Crea. 

“Os profissionais que representamos querem ser valorizados, e isso passa pela fiscalização que não permite que pessoas sem conhecimento exerçam nossas atividades. É uma reserva de mercado? É. Mas temos o conhecimento. Temos um código de ética, que é o segundo instrumento de valorização profissional”, defendeu Jose Tadeu.

Pouco antes de encerrar sua participação na manhã de hoje, o presidente do Confea destacou o que para ele é a terceira ferramenta de valorização profissional: “o aperfeiçoamento técnico plural, reciclagem, atualização, ou seja, a denominação que quiserem dar. A verdade é que o curso de engenharia hoje exige atualização frequente, principalmente após a formação. Por isso, bato muito na tecla da palavra ‘conhecimento’”.

Outro aspecto abordado por José Tadeu foi o alto índice de evasão dos alunos. “O que estamos nos preparando para dizer e fazer por essa juventude?. O que o Sistema tem a oferecer ? Será que estamos preocupados com a juventude, temos algum projeto para ela? É importante irmos lá na faculdade falar com os alunos sobre o Sistema”. 

Antes de se despedir, José Tadeu convidou “aqueles que estiverem na mesma sintonia, a caminhar para equacionar muitas coisas da Engenharia Química .O que vocês vão apresentar no final do trabalho, tenho certeza de que será de grande valia para o Conselho Federal. Contra fato não há argumento. Garantir nossas prerrogativas, é isso que temos que fazer”, concluiu.

 

Fonte: Confea

Fotos: Qualidade Eventos

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.