Conselho diz que 50% dos imóveis da Grande Vitória estão irregulares

Entre os documentos irregulares estão plantas e taxas não pagas. Crea lançou cartilha para deixar imóvel dentro das normas da engenharia

Cerca de 50% dos imóveis da GrandeVitória não tem a documentação regularizada, de acordo com um levantamento do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo(CREA-ES). Em entrevista ao Bom dia ES desta sexta-feira (30), o presidente do Crea-ES, Helder Carnielli afirmou que a situação de irregularidade se arrasta há décadas e que o processo é caro para a população.

De acordo com Carnielli, parte desse número se deve à dificuldade para conseguir os documentos necessários que são emitidos pelas prefeituras, pelo cartório de imóveis, Crea, pela Receita Federal e o INSS. "Nós temos duas grandes situações para regularizar o terreno, primeiro a edificação e depois o terreno propriamente dito. É caro para regularizar um terreno, e é muito caro, porque entra cartório, entra taxa de município", disse.

Para o presidente do Crea-ES, as prefeituras deveriam  fazer ações para regularização. "Tem que ser feito um apelo aos prefeitos para essas situações das pessoas de baixa renda e para que se crie uma situação em que o dono da edificação do imóvel possa fazer um investimento no banco e uma garantia", afirmou .

Carnielli disse ainda que a população não tem acesso à assistência técnica e muitos também não têm condições de contratar um serviço de engenharia para fazer uma planta ou estudo do solo. Como alternativa o conselho divulgou uma cartilha que dá um passo a passo para a legalização.

Além disso, os interessados podem procurar a orientação do Crea-ES pelo telefone (27) 3134-0002. "O conselho pode ser procurado. Nós podemos orientar na parte da construção, da engenharia e da edificação", completou.

 

Fonte: G1

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.