Confea apoia o 86º Encontro Nacional da Indústria da Construção


Em visita ao estande do Confea, o presidente da CBIC (à esq. do presidente José Tadeu) destacou a relevância da participação do Confea no Enic. "É fundamental ter o setor da construção civil reunido e ter os profissionais da engenharia aqui representados. O País está numa fase em que a engenharia e as novas tecnologias são fundamentais", pontuou Paulo Safady Simão

O presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), engenheiro civil José Tadeu da Silva, participou nesta quarta-feira (22/5) da solenidade de abertura do Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic), em Goiânia (GO). Considerado o maior evento do setor na América Latina, o Encontro tem o apoio do Confea nesta 86ª edição, quando representantes do Conselho recebem visitantes no estande montado especialmente para divulgar informações sobre o Sistema Confea/Crea.

"Estamos representando a categoria. Daí a importância de o Confea se fazer presente no Enic, um evento que envolve os empresários e os profissionais inscritos no Sistema e que são responsáveis por apresentar nesse encontro soluções inovadoras para melhorar a infraestrutura do País, levar qualidade de vida para a população e contribuir para o crescimento do Brasil", pontuou o presidente do Confea.

Em visita ao estande do Confea, o presidente da CBIC (à esq. do presidente José Tadeu) destacou a relevância da participação do Confea no Enic. "É fundamental ter o setor da construção civil reunido e ter os profissionais da engenharia aqui representados. O País está numa fase em que a engenharia e as novas tecnologias são fundamentais", pontuou Paulo Safady Simão.

Ao recepcionar o público de visitantes no estande do Confea, o presidente José Tadeu ressaltou ainda a importância de se divulgar o Sistema em eventos como o Enic. "Precisamos levar para estudantes, profissionais e empresários informações sobre nossa atuação, destacando não apenas nossa atribuição de fiscalização mas também nosso papel social", afirmou.

O Encontro, que é realizado pelo Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás (Sinduscon-GO) e pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO) e tem ainda o apoio do Confea, Crea-GO e do Clube de Engenharia de Goiás, reúne na capital goiana empresários, engenheiros, agentes financeiros e estudantes em um debate sobre os mais estratégicos temas relacionados ao futuro da construção e ao próprio desenvolvimento do País, como observou o presidente do Crea-DF, engenheiro civil Flavio Correia. "O Sistema Confea/Crea não podia ficar fora deste evento, em que serão discutidos assuntos como novas tecnologias, legislação e sustentabilidade, temas tão relevantes para a indústria da construção e que influenciam diretamente o trabalho dos profissionais registrados no Sistema", disse.

O presidente do Crea-GO, engenheiro civil Gerson Taguatinga, também reconheceu a relevância da participação do Sistema no Enic. "Aqui os profissionais da engenharia, como empreendedores e professores, irão discutir temas como mobilidade e acessibilidade. Temos que estar próximos desse debate", afirmou Taguatinga. 

Para o gerente regional Centro-Oeste, engenheiro civil Idalino Hortêncio, essa é uma "excelente oportunidade de apresentar a todas as representações do setor da construção o trabalho do Sistema e suas atribuições. "Precisamos divulgar junto às empresas as atividades profissionais e principalmente a importância da ART", ressaltou o gerente.

Também atento à divulgação do Conselho Profissional, o Crea Júnior aproveita a realização do evento para levar informações aos futuros engenheiros. "Oferecemos uma assessoria aos universitários de modo que eles entendam a importância e o funcionamento do Conselho e saibam mais da ética profissional. Enfim, tentamos aumentar a aproximação entre estudantes e Conselho", explicou o coordenador titular da Assessoria do Crea Júnior de Goiás, Luca Gontijo.

Engenharia compromissada com o desenvolvimento

Com o tema central “Cresce, Brasil! – Com a nossa participação sempre”, a 86ª edição do Enic espera traduzir as expectativas e os compromissos do segmento da construção civil. De acordo com o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), entidade promotora do Encontro, os últimos 20 anos mudaram a realidade social e econômica do País e, em grande parte, essa mudança passou pela cadeia da construção. "O setor tem concentrado cerca de 45% de todos os investimentos, gerando números recordes de empregos formais, contribuído para o aumento da oferta de crédito e, desse modo, ajudando a mover a roda da economia", enfatizou Paulo Safady Simão.

Para ele, o desenvolvimento do País depende de soluções tecnológicas criativas. "Precisamos buscar novas formas para impulsionar o crescimento. E nesse contexto a indústria da construção tem papel fundamental, com contribuições para a infraestrutura e o saneamento básico, por exemplo", afirmou. Mas para o País alcançar o crescimento desejado, é necessário que o setor e o governo estejam atentos a algumas questões preocupantes, segundo Simão. "Temos ainda que tentar vencer o excesso de burocracia, ampliar a atenção à qualidade das obras inovando os processos construtivos, buscar desenvolvimento sustentável baseado na sinergia entre governo e sociedade. Enfim, nossa agenda é ampla e densa. Por isso, temos que buscar soluções inovadoras", observou Simão.

Numa reflexão sobre essas questões, a presidenta Dilma Rousseff reconheceu a importância do setor da construção civil para o desenvolvimento nacional e parabenizou a realização do evento pela escolha da agenda de debate. "É importante tratarmos de investimentos em infraestrutura, ampliação de investimentos públicos, parceria público/privado e especialmente inovação tecnológica, que tem a ver com acesso à educação e à formação  profissional. É a inovação que permite que um país se desenvolva e é isso que irá nos fazer avançar", afirmou em discurso durante a solenidade de abertura do Enic.

Ainda sobre formação de profissionais, a presidenta pontuou que para aumentar o caminho da produtividade é fundamental investir em ensino técnico, e que é necessário também criar caminhos de acesso ao ensino superior. "O desenvolvimento passa pela educação, por isso a relevância de uma educação de qualidade, de uma educação que forme profissionais e faça frente à demanda do mercado. Isso gera bons resultados para a indústria da construção. Temos de progredir. E isso se dá pela educação, inovação e tecnologia", finalizou a presidenta.

 

Fonte: Confea

Foto: Confea

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.