Inédita, iniciativa da criação de 24 GTs é elogiada por lideranças do Sistema Confea/Crea e Mútua


A primeira reunião dos 24 Grupos de Trabalho instituídos pelo Confea para o período 2013/2014, realizada dias 24 e 25 de abril, juntamente com a sessão plenária realizada mensalmente, alterou a rotina e movimentou os dois prédios que o conselho federal mantém na quadra 508, da avenida W3 Norte, em Brasília (DF).
Na manhã da sexta-feira, 25, o presidente do Confea, eng. civ. José Tadeu da Silva, se ausentou por instantes do plenário para visitar alguns dos GTs, uma iniciativa louvada pelos cerca de 120 participantes dos grupos que durante dois dias definiram estratégias de ação para equacionar questões que tratam desde o setor de energia – analisando a atual realidade da matriz energética nacional para apresentar soluções que reduzam ocorrrências de apagões – até municípios sustentáveis. Temas relacionados com as atividades dos mais de um milhão de profissionais registrados também serão tratados pelos GTs, como o salário-mínimo profissional, definido pela Lei 4.950-A, a relação sindical e até mesmo a adoção do Regime Jurídico Único pelos conselhos federais, atualmente regidos pela CLT.
Pesquisa – Michelle Calado Paladino, eng. eletric., coordena o GT Novos Profissionais, composto por Antonio Albério (Crea-PA), Kleber Pinheiro (Crea-RJ), Daniel Robbles e Luis Chorilli Neto. “No plano de trabalho, o foco está em buscar a integração dos recém-formados nas profissões reunidas pelo Sistema Confea/Crea”, informa  Michele, para quem a iniciativa de criação dos GTs “é mais que positiva, é fundamental. Esse trabalho terá como base a pesquisa que está sendo realizada junto aos Creas para saber quantos formandos solicitam o registro profissional assim que recebem o diploma, quantos não tomam essa providência, dos que tomam, quantos vão ou não trabalhar imediatamente na área em que se formaram”.
Os resultados, para Michele, “vão nortear a projeção de ações que tragam esses novos profissionais para junto do Sistema Confea/Crea e Mútua, participando das decisões sempre tomadas em colegiado e também para que renovem as lideranças do Sistema”.
O GT Inserção Internacional, que será coordenado pelo eng. mec. Júlio Fialkoski, conselheiro federal e vice-presidente do Confea, é composto por Juarez Samaniego, Edemar Amorim, Vinícius Marinelli e Jorge Spitalnik.
Para Edemar, a criação dos GTs é uma forma de estimular o debate sobre os temas diretamente relacionados com o dia a dia da área tecnológica nacional. Ele indica a direção que o grupo pretende tomar para projetar  a engenharia brasileira e o Sistema Confea/Crea em nível internacional: “Organizar uma agenda voltada para esse objetivo estabelecendo contato com organizações internacionais e maior participação em eventos”.
Salário Minimo Profissional – Para tratar de Relações Sindicais, o GT tem a seguinte formação: Mário Amorim, coordenador, Marcos Gracindo Marques, Wanderlino de Carvalho e Florentino de Sousa Filho. 
A criação dos GTs “é uma boa iniciativa e vai estreitar as relações do Sistema com as representações sindicais”, diz Florentino que destaca: “A defesa da lei que institui o salário minimo profissional, a 4.950-A, e sua implantação em nível público e privado será tema recorrente em nossa pauta”.
Usinas Nucleares – O GT Energia é integrado por Gustavo José Cardoso Braz, por Marco Antonio Amigo (Crea-BA), Claude Franck Loewenthal, Rafael Arruda Janeiro e Urbano Possidônio de Carvalho Neto. 
Para Gustavo, “É muito importante à participação de todos do grupo dos GTs durante essas reuniões. Esperamos entregar ao governo federal a proposta da criação de usinas nucleares em todo o Brasil, para evitar apagão”.
Quem paga a conta? – Antonio Moreira Barros, Luiz Roberto Dias, Carlos Colsomagno e Valdir Segura, integrantes do GT Regime Empregatício nos Conselhos, já têm o apoio da Procuradoria Jurídica do Confea e defendem uma pesquisa junto a outros conselhos e aos profissionais para saber sobre o regime de contratação nos conselhos de representação profissional que são autarquias federais indiretas. Para Barros, “um assunto que, tratado sob diversos ângulos, leva a uma única pergunta: quem paga a conta?”

Francisco José Teixeira Coelho Ladaga (Confea), Luiz Alcides Capoani (Crea-RS), Jorge Alberto Albrecht Filho (Abenc), Aloisio Ferreira de Souza e Nilton de Oliveira e Silva (entrevistado) formam o GT Manutenção e Infraestrutura em Edificações. “A união desses GTs proporciona um estudo de aperfeiçoamento de cada item especifico dos GTs. Espero que os trabalhos desenvolvidos aqui se tornem resoluções.”
Municípios Sustentáveis – é um dos 24 GTs criados e é coordenado por Evandro de Alencar. Nos dois dias de reunião, seus integrantes julgaram estar com seus trabalhos bastante adiantados para alcançar subsídios para seus projetos,  visando melhorar a qualidade de vida socioeconômica dos municípios brasileiros.
“O trabalho dos GT’s é fundamental, pois aprofunda conhecimentos em áreas especificas, possibilitando o maior conhecimento nas pautas trabalhadas”, afirma Osvaldo Luiz Valinote, um dos integrantes do GT Mobilidade, que tem como coordenador o presidente do Crea Paraná.

Fonte: Confea

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.