Palestra no CRECI/MS aborda a importância de acessibilidade

Na próxima quinta-feira, dia 03 de abril, o Conselho Regional dos Corretores de Imóveis da 14ª Região promove a palestra “Acessibilidade e Mobilidade Urbana”, com o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso do Sul (CREA/MS), Jary de Carvalho e Castro.

Será às 19 horas no auditório do CRECI, localizado na Rua Rio Grande do Sul, 174, Centro. É preciso confirmar presença com antecedência e o ingresso é 1kg de alimento não-perecível. A palestra terá transmissão online pelo site www.crecims.com.br

“Convidamos a todos para que participem e saibam mais sobre a importância do tema para o nosso mercado”, diz Delso José de Souza, presidente do CRECI/MS.

Jary Castro falará sobre a valorização dos imóveis após adaptados à acessibilidade. Ele abordará, ainda, o cumprimento das legislações vigentes sobre o assunto e apresenta um estudo que detalha essa valorização. Outro ponto é a necessidade das edificações, principalmente as de uso público e coletivo, possibilitarem o acesso de todos, como exigido pela lei federal 5.296/2004, que regulamentou as Leis  10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

De acordo com o último Censo, 24% da população brasileira apresentam algum tipo de deficiência. Se incluídas pessoas com mobilidade reduzida (obesos, mães com carrinhos de bebê, mulheres de salto alto, idosos, por exemplo) esse número é ainda maior. É preciso destacar que a necessidade de acessibilidade não é exclusiva às pessoas que utilizam cadeiras de rodas, mas também a idosos, as gestantes, as mães com crianças em carrinhos de bebê e pessoas com deficiência temporário (aqueles que se recuperam de acidentes) necessitarão de espaços acessíveis.

“Neste ponto, é importante destacar o trabalho dos profissionais da construção, que são os que projetam e executam os espaços acessíveis. Uma edificação acessível eleva o custo em 1% ao passo que para a adequação o investimento necessário chega a 25% do valor total da obra. A aquisição então de imóveis acessíveis é uma crescente não apenas pela exigência da legislação, mas pela necessidade das pessoas”, ressalta o presidente do CREA.

 

Fonte: Agora MS

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.