Confea e Abeti estreitam diálogo

O Confea e a Associação Brasileira de Ensino Técnico Industrial (Abeti) pretendem estimular a cooperação, o diálogo e o relacionamento ente as duas instituições. É o que garantiram seus respectivos presidentes, engenheiro civil José Tadeu da Silva e técnico industrial e gerente administrativo, Luís Eduardo Quitério, que estiveram reunidos no início da tarde dessa quarta-feira (26), no Confea. “Nesse momento, há um investimento crescente do governo em torno do ensino técnico, e é importante nos aproximarmos da Abeti, uma instituição que representa milhares de estudantes e futuros profissionais de todo o país. O Brasil precisa dos técnicos, e acreditamos que podemos ter uma atuação mais próxima, em forma de grupos de trabalho e de termos de cooperação entre o sistema de fiscalização profissional e o sistema de ensino técnico profissionalizante de grau médio”, considera o presidente do Confea. Leia a matéria completa no site do Confea.

Ação parlamentar

Ontem, em audiência com o deputado Silvio Costa (PSC/PE), representantes do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia e de entidades de técnicos de nível médio debateram acerca do Projeto de Lei 6765/2013, que propõe nova composição plenária para o Confea e os Creas. Costa é relator da matéria na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público.
Na reunião, o presidente do Confea, eng. civ. José Tadeu da Silva esclareceu que a Lei nº 5.194/1966, que em seu artigo 37 define a composição plenária do Conselho Federal, precisa ser revisada, justamente para que sejam incluídos, nos plenários dos Regionais e Federal, os técnicos e outras modalidades profissionais. O deputado, que já havia ouvido o pleito dos técnicos pela composição plenária proporcional, concordou com a desatualização da lei e propôs mais flexibilidade na regra da proporcionalidade prevista no PL 6765.
Ainda no Congresso Nacional, José Tadeu, acompanhado do assessor Pedro Lopes de Queirós, conversou com o senador Romero Jucá (PMDB/RR) e com o chefe de gabinete da senadora Gleisi Hoffmann (PT/PR) sobre o PLC 13/13, que caracteriza como essenciais e exclusivas de Estado as atividades exercidas por engenheiros, arquitetos e engenheiros agrônomos.

Fonte: Confea

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.