Entidades filiadas à Confaeab se reúnem na Sede da Mútua


Assembleia Geral Ordinária e Reunião da Diretoria da Confaeab realizadas nesta terça e quarta-feiras

As entidades filiadas à Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil estão reunidas desde ontem (25), no auditório da Sede da Mútua, em Brasília (DF), para a Assembleia Geral Ordinária e a Reunião da Diretoria da Confaeab. O encontro tem como objetivo discutir e aprovar temas como o Orçamento Programa de 2014 e prestação de contas do exercício 2013, além de eventos organizados pela Confederação ou que tiveram sua participação. Dentre outros assuntos tratados, foram lidas, discutidas e aprovadas atas de assembleias anteriores e apresentado o Relatório de Gestão Administrativa e Financeira, também de 2013. Foram pautados, ainda, como itens da Assembleia o Plano de Trabalho e o Calendário de Eventos 2014, que inclui reuniões para a organização do XXIX Congresso Brasileiro de Agronomia (CBA), que acontecerá em Foz do Iguaçu (PR), de 4 a 7 de agosto de 2015.

Confaeab e Mútua: “entidades irmãs”

O presidente da Confaeab, Angelo Petto Neto, destaca a “dedicação e a relação irmã que a Mútua tem com a Confederação”, afirmando que a parceria entre as entidades é importantíssima em vários sentidos. “Neste momento, por exemplo, quando não dispomos de espaço físico adequado para realizarmos nossa Assembleia, podemos contar com a nossa Caixa de Assistência.”

Petto Neto declara, em nome da Diretoria da Confederação: “Temos de agradecer à plêiade de colegas que nos recebem, com toda a infraestrutura necessária, capitaneada pelos queridos colegas de profissão Cláudio Calheiros, Ricardo de Arruda Veiga e Luiz Alberto Freitas Pereira, além dos outros diretores, Lino Gilberto da Silva e Antonio Salvador da Rocha”. Como mutualista há muitos anos, o presidente da Confaeab lamenta que nem todos os profissionais sejam associados e possam ter a dimensão da importância da Caixa de Assistência em suas vidas.

Para o presidente da Mútua, Cláudio Calheiros, a parceria é positiva para as duas instituições. Segundo ele, essa troca fortalece a aproximação da Mútua com a Confaeab e com os profissionais da agronomia. “Sabemos que podemos contar com o apoio da Confederação na divulgação de nossos benefícios e, simultaneamente, a Mútua pode ajudá-la em seu dia a dia, fortalecendo-a enquanto integrante do Sistema Confea/Crea e Mútua”.

Calheiros também destacou que a Mútua está à disposição de todas as entidades de classe. “É extremamente relevante a união entre todas as entidades, não só com a Confaeb. Estamos abertos a todas as nossas parceiras do Cden (Colégio de Entidades Nacionais)”, afirma.

Reunião da Diretoria da Confaeab


Parte da Diretoria da Mútua com diretores da Confaeab 

Nesta quarta-feira permaneceram reunidos os diretores da Confaeab e os membros do Conselho. Na abertura dos trabalhos de hoje, o presidente da Mútua deu as boas vindas aos membros da Confaeab e enfatizou a relevância de ações de fortalecimento da categoria. “Antes de ter sido conselheiro federal e, agora, presidente da Mútua, sou engenheiro agrônomo e tenho a obrigação de defender nossa categoria”, afirmou Calheiros.

Uma dessas ações é a realização de eventos locais, que Calheiros classificou como a oportunidade de “mobilização das categorias em seus Estados”. Ele lembrou que a Mútua sempre tem apoiado os eventos do Sistema, ressaltando o importante momento deste ano: “Teremos o processo eleitoral do Sistema e precisamos fortalecer ainda mais a representatividade da nossa profissão. A Confaeab precisa discutir com os candidatos para que eles tenham compromisso com propostas de defesa de todos os profissionais engenheiros agrônomos e da própria Agronomia. Também é fundamental que os candidatos tenham projetos inovadores, que congreguem todo o Sistema Confea/Crea e Mútua. Temos de trabalhar ainda mais para que nosso Sistema seja reconhecido pela sociedade”, ressaltou.

Ainda na abertura dos trabalhos o diretor de Benefícios da Mútua, Ricardo de Arruda Veiga, falou sobre sua ligação com a Agronomia e a importância que ela tem em sua vida pessoal e profissional. “Meu pai também é engenheiro agrônomo e sempre participou muito das entidades de classe. Ele foi sócio-fundador, em 1944, da Associação de Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo (Aeasp), quando ela ainda se chamava Sociedade Paulista de Agronomia. Eu também sempre estive envolvido, inclusive na Aeasp, tendo sido vice-presidente. Eu sei como é difícil a vida de dirigente de entidade, mas ao mesmo tempo é um trabalho muito proveitoso e gratificante e um prazer ver a vontade com que cada um de vocês carrega a bandeira da nossa profissão”, declarou.

 

Fonte: Acme/Mútua

Fotos: Margareth A. Vicente (Acme/Mútua)

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.