Pontes de espaguete da UFMT: Crea-MT, Mútua-MT e Abenc-MT premiaram vencedores da 4ª edição

Na última sexta-feira, dia 14 de fevereiro, a Pró-reitoria de Cultura, Extensão e Vivência da Faculdade de Arquitetura, Engenharia e Tecnologia da Universidade Federal de Mato Grosso, coordenada pelo professor Milton Soares Filho, realizou a 4ª Competição de Pontes de Espaguete.

Patrocinado pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT) pela Caixa de Assistência ao Profissional do Crea-MT (Mútua-MT) e pela Associação Brasileira de Engenheiros Civis Seção Mato Grosso (Abenc-MT), o evento contou com a participação da Diretora Geral da Mútua-MT, a eng.enheira civil Marciane Prevedello Curvo, que fez a entrega dos prêmios ao grupo vencedor e com a avaliação de uma comissão formada pelos professores Alberto Rodrigues Dalmaso, Cláudio Cruz Nunes, Flávia Maria de Moura Santos e Karina Andrade Rosseti.

Participaram da competição 38 grupos de alunos do 2º ao 5º ano do curso de Engenharia Civil e do 4º ao 8º semestre do curso de Arquitetura, com o objetivo de demonstrar conceitos teóricos desenvolvidos nas disciplinas de Resistência dos Materiais I, Resistência dos Materiais II, Estática das Estruturas, Estruturas Metálicas, Estruturas de Madeira, Introdução à Análise Matricial das Estruturas e Arquitetura, para construir o modelo reduzido de uma ponte treliçada utilizando macarrão do tipo esqpaguete como material estrutural, que não poderia pesar mais que 900 gramas e nem ultrapassar a metragem máxima de 1,20 metros.

"O fato de usar macarrão como material estrutural é uma tradição que vem de competições que se iniciaram nos Estados Unidos na década de 80 e hoje ela ocorre em várias universida des do mundo inteiro. Foram feitos ensaios com esse espaguete e tiradas as suas propriedades físicas e com isso a gente conseguiu dimensionar e fazer todos os cálculos como se fosse uma ponte real. Os nosso alunos conseguiram aplicar os conhecimentos das disciplinas teóricas na execução do projeto da ponte de espaguete", explicou o professor Milton.

Dos grupos concorrentes, quatro foram desclassificados por não cumprirem os requisitos mínimos e somente três das pontes construídas suportaram peso superior a 25kg. A ponte que suportou mais peso nesta edição da competição superou o recorde do ano passado de 34kg e alcançou a marca dos 38kg.

Os cinco integrantes do grupo vencedor receberam uma calculadora HP cada um e os mais de 280kg de macarrão arrecadados pelos alunos para o projeto foram doados para o Lar dos Idosos "Abrigo do Bom Jesus" e à "Apae-Cuiabá".

 

Fonte: Diário de Cuiabá (Josemara Zago/Gecom-Crea/MT)

 

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.