Conselho Diretor, vice-presidente, coordenadores das Comissões de trabalho e membros da Comissão Eleitoral tomam posse no Confea

Foi realizada ontem (23) a solenidade de posse dos cargos diretivos do Confea para o ano de 2014. Durante o segundo dia da Sessão Plenária nº 1407, tomaram posse o vice-presidente, cargo que será ocupado por mais um ano pelo engenheiro mecânico Júlio Fialkoski, os coordenadores das Comissões (Cais, CCSS, Ceep, Conp, Ceap e CEF) e, ainda, o Conselho Diretor.

Para o Conselho Diretor, tomaram posse os engenheiros agrônomos João Francisco dos Anjos, Arciley Pinheiro e José Geraldo Baracuhy e o engenheiro civil Leonides Neto. Todos foram eleitos por unanimidade. Na coordenação da Comissão de Articulação Institucional do Sistema (Cais), tomou posse o engenheiro civil Marcelo Morais. Na Comissão estão, também, o engenheiro mecânico Júlio Fialkoski e o engenheiro civil Leonides Neto que, durante a eleição e Plenária, foi representado pelo conselheiro suplente, o também engenheiro civil Evandro Alencar.

Na Comissão de Controle e Sustentabilidade do Sistema (CCSS), tomou posse como coordenadora a engenheira eletricista Ana Constantina Sarmento, que terá ao seu lado, na Comissão, o engenheiro agrônomo Mário Amorim e o tecnólogo em Construção Civil Dixon Gomes. Para a Comissão de Educação e Atribuição Profissional (Ceap), o engenheiro civil Walter Logatti Filho foi empossado coordenador e o engenheiro agrônomo José Geraldo Baracuhy e engenheiro mecânico Gustavo Braz, seguem neste ano como membros da Comissão. A engenheira eletricista Darlene Leitão tomou posse como coordenadora da Comissão de Ética e Exercício Profissional (CEEP), que ainda tem em sua composição o engenheiro agrônomo Arciley Pinheiro e o engenheiro mecânico Paulo Viana. Na Comissão de Organização, Normas e Procedimentos (Conp) foi empossado como coordenador o engenheiro civil Francisco José Teixeira Ladaga. O engenheiro agrônomo João Francisco dos Anjos e engenheiro eletricista Jolindo Rennó foram eleitos membros dessa Comissão. Os membros da Comissão Eleitoral Federal, com cinco titulares e cinco suplentes, também assinaram o termo de posse no dia de ontem. Os titulares são: João Francisco dos Anjos (coordenador), Francisco Teixeira Ladaga, Darlene Leitão, Ana Constantina Sarmento e Júlio Fialkoski (membros titulares). Os membros suplentes são, pela ordem, Jolindo Rennó, José Geraldo Baracuhy, Walter Logatti, Marcelo Morais e Arciley Pinheiro. As Comissões já começam a trabalhar logo após a posse, realizando suas respectivas reuniões de instalação, que definirão os coordenadores adjuntos dos grupos e o calendário de reuniões.

A reportagem da Mútua ouviu os empossados. Confira, abaixo, seus depoimentos.

Engenheiro mecânico Júlio Fialkoski – Vice-presidente do Confea

“Só tenho a agradecer a confiança do presidente José Tadeu, que me indicou mais uma vez para ocupar o cargo de vice-presidente do Confea. É uma honra poder servir o nosso Conselho! Vou dar o melhor de mim para realizar um bom trabalho. Este ano é um ano atípico, pois teremos eleições no Sistema e pretendemos, cada vez mais, cultivar o sentimento de renovação para trabalharmos e alcançarmos aquilo que os profissionais esperam da gente. Desde a primeira reunião do Confea deste ano, já estamos aprovando resoluções, novos caminhos, novos rumos para o Conselho. No ano passado, identifiquei algumas questões internas que dificultam o andamento de processos e outros serviços. Então, neste ano, pretendemos ajustar alguns procedimentos para dar celeridade ao trabalho. Fizemos uma reunião com todos os analistas técnicos do Conselho para dar segurança ao trabalho deles, para enfatizar que contamos com o apoio de todos e para mostrar que estamos todos nós, eu, o presidente José Tadeu e todos os conselheiros, de portas abertas para ouvir o que eles têm a dizer. Destaco, ainda, a realização da Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia em Teresina, no Piauí, onde teremos, também, um Congresso técnico paralelo ao evento.  Para esta edição da SOEA teremos inovações e trabalhos técnicos que queremos divulgar para todos os profissionais e para todo o Brasil. Enfim, temos trabalho a realizar e tenho certeza de que, com a ajuda de todos os funcionários do Confea, dos conselheiros e dos presidentes dos Creas, Mútua, entidades e instituições, estaremos unidos para fazer esse trabalho prosperar.”

Engenheiro agrônomo João Francisco dos Anjos – coordenador da Comissão Eleitoral Federal (CEF) e membro do Conselho Diretor

“Este ano será um ano atípico, porque teremos uma série de processos eleitorais. Inicialmente, vamos começar com a responsabilidade de recompor o Plenário do Conselho Federal, que hoje está com 15 conselheiros e precisamos chegar aos 18. Então, deverá haver uma eleição, ainda no início deste ano, provavelmente até maio, para que os novos conselheiros tomem posse e, assim, possamos recompor o Plenário. Em seguida, teremos o trabalho para as eleições de presidentes dos Creas e do Confea e, ainda, dos diretores regionais da Mútua e de conselheiros federais para recomposição do terço para o próximo ano. Ainda hoje, vamos nos reunir para definir o plano de trabalho do ano. Vamos procurar atuar dentro de um norte, buscando a conciliação, dentro do processo e da coerência, a fim de satisfazer os anseios da coletividade e da comunidade tecnológica brasileira.”

 

Engenheiro civil Walter Logatti Filho – coordenador da Comissão de Educação e Atribuição Profissional (Ceap) e chanceler da Comissão de Mérito

“Estamos fechando nossa proposta de trabalho para este ano na Ceap, principalmente para realizarmos visitas ao Conselho Nacional de Educação, à Secretária de Ensino Superior e à Secretaria de Ensino Técnico para uma maior aproximação do Sistema Confea/Crea e Mútua com esses órgãos federais. Esse talvez seja o trabalho mais importante, mas temos, também, um segundo trabalho, já quase pronto, que é a implantação da nova resolução sobre atribuições profissionais. Uma terceira demanda é a regularização dos registros dos profissionais, que é uma atividade que teve um certo aumento, mas que tranquilamente esperamos, neste ano, zerar os processos que ainda estão no sistema, agilizando rapidamente o registro dos nossos colegas. Os membros da Ceap são muito experientes. O professor Baracuhy é pessoa sobejamente conhecida na área de ensino e professor titular da Universidade Federal de Campina Grande. O professor Gustavo é do Instituto Federal de Aracajú, também profundo conhecedor da área de educação. Os dois têm muito a oferecer e a somar na nossa Comissão. Fui eleito, também pela segunda vez, chanceler da Comissão de Mérito, responsável pela principal homenagem que um profissional do Sistema pode receber. A Comissão do Mérito vai tentar aparar algumas arestas do ano passado de algumas coisas que ficaram pendentes. Temos um desafio a mais neste ano, pois a SOEA será em agosto, um mês antes da edição do ano passado, que foi em setembro. Então, precisaremos ter uma agilização muito grande e vamos contar com o apoio dos Creas, das associações e entidades para que o mais rápido possível nos enviem as indicações. No ano passado, recebemos mais de noventa indicações e a expectativa é de agora, em 2014, é que recebamos um número ainda maior de indicações.”

Engenheira eletricista Ana Constantina Oliveira Sarmento de Azevedo – coordenadora da Comissão de Controle e Sustentabilidade do Sistema (CCSS)

“A Comissão de Sustentabilidade do Sistema é uma Comissão extremamente importante pra todos os Creas. Ela tem o poder de permear todas as ações de aproximação e de viabilização de uma forma econômica e institucional, inclusive, fazendo todo o trabalho que possa posicionar a imagem do Confea, dos Creas e da Mútua, para que os profissionais percebam a importância de fazer parte desse Sistema, não só com o pagamento das anuidades mas, também, com a efetiva participação, com o conhecimento técnico e a participação política. O nosso projeto é difundir esse olhar para as ações que irão se desdobrar para os Conselhos Regionais, tendo um olhar muito mais especial para os Creas menores, os das Regiões Norte e Nordeste, porque são os que mais procuram apoio institucional e financeiro do Sistema. Vamos usar a Comissão como uma ferramenta do que tem de melhor dentro do Sistema, traduzindo isso em ações que favoreçam os profissionais, que são o motivo e a razão da nossa existência. Vamos concretizar tudo aquilo que possa fazer com que o profissional se sinta amparado, valorizado e prestigiado e, mais do que nunca, que sua condição de vida melhore. Quero destacar que é a primeira vez no Sistema que duas mulheres chegam à coordenação de duas Comissões tão importantes, dois pilares do Sistema, como a de Controle e Sustentabilidade do Sistema e de Ética – coordenada pela conselheira Darlene (Leitão e Silva). É algo inédito e eu agradeço isso à gestão do presidente José Tadeu, que tem tido um olhar diferenciado para as mulheres dentro do Plenário e transmitindo isso para os demais conselheiros, que têm comungado com ele nesse acolhimento. O Plenário do Confea, ao longo de todo o ano passado, conheceu meu trabalho e o da conselheira Darlene, nosso empenho e nossa dedicação e isso foi traduzido em reconhecimento. Temos que agradecer, também, os conselheiros que validaram nossas indicações para coordenar essas Comissões."

Engenheira eletricista Darlene Leitão e Silva – coordenadora da Comissão de Ética e Exercício Profissional (Ceep)

“Além da triagem no julgamento da questão da ética e do exercício legal, a Comissão de Ética e Exercício Profissional atua na questão da orientação. Chegamos à Comissão com um olhar diferenciado. Vamos adotar uma posição mais educativa, pois vemos que a Ceep é a Comissão que tem o maior número de processos. Diante disso, nos perguntamos: ‘Será que não podemos mudar isso? O que está faltando?’. É preciso investir em ações educativas, treinamentos com os Creas, com os fiscais que estão na base, no dia a dia e, principalmente, com os conselheiros regionais, onde começa todo o processo. A Comissão vem com essa visão de redução de processo, de trabalhar com os regionais não só como instrumento de julgamento e punição, mas sim, que o exercício da ética venha a ocorrer de fato com os nossos profissionais para que não ocorram as infrações. Com muita emoção e muita responsabilidade assumo a coordenação da Comissão de Ética. Dentro do Sistema, nós, mulheres, somos minorias, mas já conseguimos reduzir aquela visão de que a Engenharia é só de homens. As mulheres estão mostrando que têm a mesma competência e a mesma responsabilidade. Eu e a conselheira Ana (Constantina de Azevedo) estamos desenvolvendo um trabalho ético e comprometido dentro do Conselho. Vemos que o presidente José Tadeu tem um olhar diferenciado com relação à valorização da mulher profissional, inclusive,  oportunizando que participemos ativamente, o que reflete a nossa igualdade e nosso profissionalismo. Os conselheiros federais perceberam a importância e a qualidade do nosso trabalho e homologaram nossas indicações para coordenação dessas Comissões."

Engenheiro civil Marcelo Gonçalves Nunes de Oliveira Moraes – coordenador da Comissão de Articulação Institucional do Sistema (Cais)

“A expectativa para o trabalho da Cais é a melhor possível. A Comissão andou bastante em alguns aspectos no ano passado. A Cais, eu diria, é o gargalo aqui do Confea, pois para ela vêm todas as demandas de todos os setores do Confea, dos Creas, das entidades e dos sindicatos e, dessa forma, precisamos ter agilidade, eficiência e eficácia para dar prosseguimento a essas solicitações. Este ano é um ano especial, pois vamos contar com diversos eventos que deixarão nosso calendário apertado, mas vamos procurar dar a agilidade necessária para fazer as demandas andarem, fazendo o trabalho para o qual fomos eleitos e, assim, promover o desenvolvimento da nação brasileira. Na Cais estão todas as demandas que movimentam e rodam o que é decidido nas outras Comissões, em nível interno. Muitas questões vêm das outras Comissões ou saem daqui da Cais para que o Plenário referende e possamos colocá-las à disposição da sociedade e da Engenharia brasileira. Estamos em uma equipe muito boa, o conselheiro Júlio e o conselheiro Leonides também estão muito entusiasmados em ajudar. Tenho certeza que vamos fazer o melhor possível para a Engenharia brasileira. Vamos agilizar a Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, ajudando na logística necessária ao evento, que parte aqui da Cais, e, concomitantemente, vamos promover o Congresso de Ciência e Tecnologia, o qual temos uma meta ambiciosa de pelo menos quinhentos trabalhos inscritos sobre a Engenharia e a Agronomia. Queremos deixar um legado após esse congresso para que isso ajude a promover desenvolvimento, sustentabilidade, que os estudos ajudem a melhorar as questões ambientais e hídricas do País e vamos, também, dar ênfase às novas tecnologias, pois considero fundamental a inovação e o empreendedorismo.”

Engenheiro civil Francisco José Teixeira Coelho Ladaga – coordenador Comissão de Organização, Normas e Procedimentos (Conp)

“A Conp é a Comissão que cuida da legislação interna. Toda documentação referente a resoluções tem de passar pela Conp, mesmo as das outras Comissões. Então, temos uma obrigação séria perante o Sistema, que é zelar para que os procedimentos sejam dentro da técnica e da legalidade. Precisamos rever alguns normativos que são conflitantes, hoje, com algumas alterações. A proposta da Conp é tentar fazer o máximo possível de revisões, para trazer para o dia de hoje esses normativos, que já estão um pouco defasados e atrasados com a real e atual situação do Sistema, inclusive, com a saída de parte dos profissionais. Vamos ser democráticos, a Comissão é formada por três membros. Então, vamos discutir qual será a meta que pretendemos alcançar este ano."

 

 

 

Fonte: Acme/Mútua

Fotos: Flávio Mottola e Margareth A. Vicente – Acme/Mútua

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.