Mercado de materiais de construção civil deve crescer 4% em 2013

Dado é devido à manutenção do emprego e à oferta de crédito para reformar e construir. Obras de brasileiros da classe média estão aquecendo setor.
O mercado de materiais de construção civil está aquecido. A expectativa do setor é de um crescimento de 4% neste ano. E são as pequenas obras que aceleram as vendas e fazem o setor crescer acima do restante da economia.
Depois de equipar a casa, milhões de brasileiros, que formam a nova classe média, aproveitam para investir na reforma e na ampliação do imóvel.
É o caso da dona Luzia. Desde o início do ano, quando instalou o portão, dona Luzia não parou mais. Agora, a reforma é na casa toda. A diarista fez economias e parcelou a compra do material.
“Vou lá e levo R$ 100, vou lá e dou R$ 200. Eu vou lá e levo R$ 400. É assim”, diz Luzia Maria de Jesus, diarista.
A associação que reúne a indústria de material de construção estima que as vendas vão crescer 4% este ano no país devido à manutenção do emprego, da renda e da oferta de crédito para construir ou reformar.
O presidente da associação diz que são as obras e reformas das famílias que vivem principalmente nas periferias que estão impulsionando o mercado.
“Essa nova classe média comprou seu carro, comprou a sua televisão. Essas famílias estão começando a perceber a importância de investir no seu patrimônio”, diz Walter Cover, presidente da Abramat.
Em um depósito de materiais de construção da Zona Sul de São Paulo, o dono diz que de janeiro a agosto deste ano, as vendas cresceram 10% em relação ao mesmo período do ano passado.
O empresário, que tem outras duas lojas de material, também pequenas, conta que a maioria dos clientes está ampliando a própria casa. E ele percebeu que também era hora de investir.
“Tivemos que contratar mais funcionários, aumentar o quadro de caminhões também. Aumentamos para poder dar continuidade ao trabalho que nós fazemos aqui no bairro”, diz Ariovaldo da Luz, comerciante.
Lembra da dona Luzia? Depois de seis meses de obra e R$ 10 mil de gastos, ela está finalmente deixando a casa do jeito que sonhava.

Fonte: G1

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.