Setor da construção civil pode ter IPI reduzido até 2014, diz associação


Associação que representa os fabricantes do setor já encaminhou pleito ao Ministério da Fazenda. Decisão deve sair no fim do mês.
O governo avalia a possibilidade de estender até o fim de 2014 a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para materiais de construção, segmento responsável por 10% do Produto Interno Bruto (PIB) e pela criação de 11 milhões de empregos diretos e indiretos em todo o país. A decisão sairá ainda este mês. Anunciada para estimular o consumo, a medida já foi prorrogada em 2012, valendo até dezembro deste ano.
A alta do dólar — que registra variação de 15,41% em 2013 — tem pressionado os preços dos itens procurados por quem vai construir ou reformar a casa, sobretudo aqueles dos ramos de pintura, pisos e revestimentos. A inflação média no segmento de materiais de construção foi de 5,3% no acumulado de 12 meses até julho, um ponto percentual a mais do que o observado em igual período de 2012. O acréscimo se explica pela desvalorização do real ante a moeda norte-americana.
O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), Walter Cover, se reuniu na semana passada com o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, para tratar da prorrogação do corte do IPI e deixou o encontro otimista. Segundo ele, “é bem provável” que o benefício tenha continuidade. O varejo responde por 50% das vendas do segmento. A outra metade se divide em infraestrutura (20%) e mercado imobiliário (30%).

Fonte: Correio Braziliense

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.