Sistematização define as propostas que serão encaminhadas para a discussão no 8º CNP

Na sexta-feira (02), durante a “Sistematização Nacional das Propostas Estaduais do 8º Congresso Nacional de Profissionais (CNP)”, os cinco grupos de trabalho (GTs) apresentaram as propostas que serão apresentadas na primeira etapa do congresso.

Os participantes da sistematização iniciaram os trabalhos com 420 propostas. Entretanto, outras 20 de Sergipe foram incorporadas, totalizando 440. Dessa forma, foi aumentado para 59 o número de propostas nacionais selecionadas.

O GT 1, que discutiu a “Formação Profissional”, sistematizou sete recomendações e duas propostas para serem apresentadas ao CNP. “As recomendações não dependem de artifício legal, apenas precisam de mecanismos de gestão para que sejam efetivamente executadas”, explicou a coordenadora do grupo, Ingrid Cosme.

Já o GT 2, que reuniu as propostas sobre “Exercício Profissional”, recebeu 187 contribuições regionais que foram sistematizadas em 15 propostas nacionais e 10 recomendações. “Com o assessoramento do Confea e o grau de preparação daqueles que vieram para essa sistematização, vamos ganhar tempo nas discussões no CNP”, disse o coordenador, Jorge Ney Brito.

Ao GT 3 coube a compilação das propostas sobre “Organização do Sistema”.  Das 162 propostas recebidas, 25 serão apresentadas ao CNP e 22 recomendações serão encaminhadas ao Confea. “O tema é muito amplo, mas conseguimos sintetizar as reivindicações dos profissionais para o debate nacional”, explicou o coordenador, Carlos Kita.

O GT 4 tratou da “Integração Profissional” e conseguiu sistematizar as 46 propostas iniciais em 12 nacionais e duas recomendações.  Segundo o coordenador, Salvador da Rocha, o agrupamento das propostas vai facilitar o debate. “Houve uma racionalização dos assuntos ao agrupar os textos vindos dos estados”, disse.

Por fim, o GT 5, que trata da Inserção Internacional, recebeu 13 propostas que foram sistematizadas em cinco propostas nacionais e três recomendações. “O principal é que do contingente que recebemos, fez-se uma sistematização de maneira que todas as propostas foram contempladas”, disse o coordenador, Juarez Morbini.

Antes de encerrar os trabalhos, o conselheiro federal e integrante da Comissão Organizadora do 8º CNP, Walter Logatti Filho, lembrou a importância do trabalho desempenhado nesses três dias para a discussão do marco legal. “Temos de nos pactuar para dar voz à toda a legislação que será discutida no próximo mês em Gramado, no que eu considero como o mais importante dos CNPs”, enfatizou.

As 59 propostas nacionais sistematizadas e as 44 recomendações serão encaminhadas para conhecimento da Comissão Organizadora do 8º CNP, que se reúne no dia 07 de agosto em Vitória (ES), e, em seguida, serão divulgadas para que os profissionais já possam se preparar para a primeira etapa do CNP, em Gramado (RS), de 11 a 14 de setembro.

 

Fonte: Confea

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.