Três pavilhões do Parque Olímpico começam a ser construídos no Rio de Janeiro


Projetado pela filial brasileira da empresa AECOM, as obras estão sendo realizadas pela Concessionária Rio Mais e devem ser entregues no segundo semestre de 2015

Foram iniciadas as obras de três pavilhões do Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro, que junto ao Parque Aquático Maria Lenk, ao Velódromo e ao Centro de Tênis sediarão grande parte dos jogos dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro em 2016. A construção das três instalações (Hall 1, Hall 2 e Hall 3), que no Dossiê de Candidatura seria de responsabilidade do Governo Federal, foi em parte viabilizada por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP), licitada pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

O Hall 1, com área de 38 mil m², abrigará o basquetebol nos Jogos Olímpicos e o basquetebol e o rugby em cadeira de rodas nos Jogos Paralímpicos. A instalação terá capacidade para 16 mil espectadores, com cinco mil assentos permanentes e 11 mil temporários.

Já o Hall 2, com 24 mil m² e 10 mil assentos, abrigará o judô e o taekwondo nos Jogos Olímpicos e judô e bocha nos Jogos  Paralímpicos. O Hall 3, por fim,  terá 23 mil m² para abrigará a luta estilo livre e luta greco-romana nos Jogos Olímpicos e o voleibol sentado nos Jogos Paralímpicos. A capacidade também é de 10 mil torcedores.

Projetado pela filial brasileira da empresa AECOM, as obras estão sendo realizadas pela Concessionária Rio Mais (Odebrecht, Andrade Gutierrez e Carvalho Hosken). As estruturas das arenas serão feitas de concreto armado e as coberturas serão metálicas. A conclusão da obra está prevista para o segundo semestre de 2015.

Vale lembrar que no fim da semana passada, a construção do Parque Olímpico do Rio de Janeiro teve reviravolta. O Clube Esportivo de Ultraleve (CEU), que ocupa a área em que o parque será erguido, conseguiu efeito suspensivo às obras realizadas pela prefeitura e pela Concessionária Rio Mais. Com isso, parte do terreno onde as obras estão sendo construídas está interditado. Mas, segundo a assessoria do consórcio, esta interdição não está interferindo no andamento das obras, que continuam

Fonte: Pini Web

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.