Digitalizar serviços financeiros pode elevar o PIB brasileiro em 5%, diz estudo

Uma pesquisa realizada pelo McKinsey Global Institute (MGI) mostra que trocar o dinheiro por serviços financeiros digitais poderia elevar o PIB de países emergentes em R$ 12 trilhões em apenas oito anos. Segundo o levantamento, a adoção de ferramentas digitais em pagamentos, empréstimos, seguros, poupança, entre outros, poderia render ao Brasil R$ 491 bilhões.

Sem conta

O estudo mostra que 2 bilhões de pessoas no mundo ainda não possuem uma conta bancária. No Brasil, o índice corresponde a 32% da população adulta. “Sistemas obsoletos fazem com que, nos países em desenvolvimento, as instituições financeiras sirvam principalmente aos indivíduos mais ricos, grandes negócios e instituições públicas que movimentam grandes quantias de dinheiro”, explica o instituto.

Com isso, 200 milhões de pequenas empresas ficam sem acesso ao crédito, o que poderia criar 95 milhões de vagas formais de emprego, como mostra a pesquisa.

Benefícios

Segundo o MGI, a digitalização dos serviços financeiros ajudaria a incluir 1,6 bilhão de pessoas, principalmente as mulheres pobres, que, em países emergentes, têm 20% menos chance de ter uma conta no banco do que os homens. Outra vantagem seria o combate à corrupção, já que as transações se tornariam mais fáceis de serem rastreadas.

Os pesquisadores afirmam que as medidas poderiam contribuir para uma elevação de 4% a 5% no PIB. Para que isso ocorra, no entanto, é preciso que o governo invista em uma infraestrutura digital mais abrangente. “Os governos devem criar regulamentações de serviços financeiros proporcionais aos riscos, além de ambientes digitais generalizados”, explica o relatório.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.