Veja como eliminar infiltrações e evitar problemas com o mofo

Uma goteira aqui, um vazamento sem gravidade ali e, com o passar do tempo, manchas esverdeadas ou mais escuras vão tomando conta do imóvel sem ganhar a devida atenção. O que poucos sabem é que esse “pequeno problema” – mais propício a aparições quando o período de chuva é mais intenso durante o verão – quando não tratado adequadamente, pode colocar o imóvel em risco e, em casos mais graves, causar a ruína de paredes e muros.

Isso porque este mal da construção – a infiltração de água – pode ter causas variadas, é silencioso e mais comum do que parece. De acordo Allan Comploier, diretor da Master House Manutenções e Reformas, o ideal é a contratação de um profissional para agir preventivamente, mas o profissional faz uma recomendação caso o problema persista. “Indicamos a impermeabilização em praticamente todas as partes de uma construção, seja em subsolos, lajes, piscinas e fundações. O importante é saber como fazê-la e quais são os produtos mais indicados para cada tipo de demanda. Só assim é possível evitar ciladas na hora de fazer este tipo de manutenção dos ambientes”, avisa.

De acordo com Comploier, também é necessário identificar o tipo de produto mais adequado. Apesar das diversas opções no mercado, basicamente é possível dividir os impermeabilizantes em dois grupos: os rígidos (argamassas industrializadas, produtos bicomponentes ou com aditivos para argamassa ou concreto), que incorporam a estrutura e tendem a ser porosos; e os flexíveis (mantas pré-fabricadas ou moldadas no local que formam uma espécie de membrana de proteção), que se adaptam às possíveis movimentações na estrutura. Uma vez identificado, o segundo passo é colocar a mão na massa. “Sempre é bom contar com a ajuda de um profissional. Afinal, se a impermeabilização for feita de forma correta, pode durar até 25 anos, o que representa economia e bem estar a longo prazo”, comenta.

Antes de solucionar, porém, é necessário diagnosticar corretamente a origem da infiltração. Conheça os tipos:

De baixo para cima – alguns problemas de infiltrações surgem no alicerce, na base da construção. Logo, quando não feita a impermeabilização adequada, a construção do imóvel fica comprometida desde o seu início, permitindo que a umidade da terra suba pela parede. Nestes casos, é necessário ficar atento à impermeabilização durante o levantamento do alicerce. “Sugiro aplicar dois impermeabilizantes. Um a base de concreto e outro asfáltico”, dá a dica.

De cima para baixo – há infiltrações que mostram-se provenientes do teto. Nestes casos os causadores podem ser a calha e/ou telhas quebradas, por exemplo.

O causador está ao lado – para ampliar a construção, algumas pessoas optam por construir o imóvel “parede com parede” do vizinho. O que parece vantajoso em questão de espaço pode ser um problema quando a infiltração surge na parede ao lado. “Se o imóvel ao lado não estiver com a impermeabilização em dia, a infiltração do vizinho pode ser a causa do seu problema. Nestes casos a política do bom relacionamento é parte da solução do problema”, destaca Comploier.

Encanamentos prejudicados – não são raros os casos em que profissionais pouco qualificados ou até mesmo o dono do imóvel faça alguma adaptação sem o conhecimento do posicionamento dos encanamentos. Ao perfurá-los, a água passa a criar poças internas, causadoras de infiltrações. Fique atento.

Fonte: http://jornaldaconstrucaocivil.com.br/

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.