Coleta seletiva é retomada na Mútua


Todas as salas da Mútua receberam uma caixa para descarte de papéis inutilizados

A Mútua compartilha os valores da responsabilidade socioambiental, desde o uso sustentável dos recursos, até o cuidado para com as informações contidas nos papéis utilizados na Instituição. Portanto, coletas diárias dos papéis sem uso, feitas pela equipe de limpeza e, uma vez por mês, pela Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis do Distrito Federal – Recicla Brasília, darão um destino seguro para os resíduos produzidos na Sede da Mútua. A iniciativa de encaminhar esse material para reciclagem foi algo adotado pela Caixa de Assistência há alguns anos atrás, mas estava suspenso. Agora a ação volta a fazer parte das rotinas da Caixa de Assistência.

Assim, cada setor da Mútua recebeu uma caixa de papelão para o descarte de papel reciclável, que deverá ser feito apenas após observadas as questões de segurança de informações. A Norma DIN 66399, elaborada pela “Technical Committee Destruction of Data Media” e pela “DIN Information Technology and selected IT Applications Standards Committee (NIA)”, estabelece quais documentos precisam passar pelo processo de destruição segura (trituração) antes de seguirem para descarte e reciclagem.

De acordo com a norma, documentos e mídias contendo informações confidenciais devem ser destruídos por meio de trituração e fragmentação, para proteger instituições e pessoas contra coleta não autorizada e espionagem. Papeis diversos, que não comprometam a segurança, podem ser descartados sem que haja necessidade de trituração.

Cada setor ou cada colaborador está responsável por adotar essas rotinas antes de depositar os papéis nas caixas de reciclagem. A Mútua conta com diversos aparelhos para triturar papéis espalhados por suas áreas, mas caso algum setor observe a necessidade de possuir seu próprio aparelho, uma solicitação formal de compra deve ser providenciada. Um e-mail com todas as orientações sobre como deve ser feita a correta trituração de cada tipo de documento foi encaminhado aos colaboradores da Sede pela coordenadora da Comissão Permanente de Avaliação de Documentos e Sustentabilidade (CPAD).

Podem ser reciclados papéis e documentos em geral, ainda revistas e jornais, folhetos, caixas de papelão, entre outros, desde que estejam secos e livres de comida ou gordura. As exceções para a reciclagem são adesivos, etiquetas, fitas crepe, papel carbono, guardanapos, papel toalha, papel higiênico, papéis plastificados e de fax. Esses materiais devem ser descartados nas lixeiras habituais separados entre secos e orgânicos. Além de papel também serão encaminhadas para reciclagem embalagens longa vida, plásticos (copos, pratos, talheres), vidro e garrafas pet.

A primeira coleta foi realizada pela Recicla Brasília no último dia 23, com encaminhamento de cerca de 140 kg de lixo seco para reciclagem. De acordo com a colaboradora do Setor de Gestão de Documentos (SGD) e coordenadora CPAD – a bibliotecária Carla Elaine Carvalho – esta separação é contemplada no Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Mútua que está sendo elaborado.


Caminhão da Recicla Brasília recolhe material descartado pela Mútua


Nesta segunda-feira (3), a Mútua também depositou em um ponto de coleta apropriado cerca de 20 lâmpadas tubulares queimadas

 

 

Fonte: Gecom/Mútua

Fotos: CPAD

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.