Diretor da Mútua-MG apresenta no CP manual unificado sobre a Engenharia nos Empreendimentos

Maurício Fernandes da Costa, idealizador do Manual A Engenharia nos Empreendimentos, na apresentação feita ao CP

Maurício Fernandes da Costa, idealizador do Manual A Engenharia nos Empreendimentos, na apresentação feita ao CP

Quando se fala em obras, Engenharia e demais atividades da área, rapidamente é possível identificar um grande número de tipos de empreendimentos e serviços envolvidos nisso. A fiscalização deste setor, realizada pelos Creas, também demanda que o profissional que realiza tal procedimento (fiscal) confira e interprete uma série de manuais e normas ligadas a diversas áreas tecnológicas. Até então, cada Câmara Especializada do Sistema Confea/Crea e Mútua produzia seu manual de regras e normativos – Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Ambiental, Engenharia Mecânica, etc.

Pensando em aperfeiçoar essa atividade e, também, democratizar o entendimento referente à Fiscalização junto à sociedade, profissionais e empresários do setor, o diretor-geral da Mútua-MG, engenheiro civil Mauricio Fernandes da Costa, teve a ideia de criar um manual unificado. De um grupo de trabalho, encabeçado pelo diretor da Mútua e composto fiscais e analistas técnicos do Crea-MG, nasceu o “Manual da Engenharia nos Empreendimentos”. “Apresentei minha ideia ao presidente do Crea-MG, engenheiro civil Jobson Nogueira de Andrade, e, como vai de encontro ao seu programa de gestão no tocante à uma das metas, de modernizar e melhorar a fiscalização, prontamente recebi seu apoio”, conta Maurício Fernandes.

Já em uso em Minas Gerais, com a aprovação em Plenário pelo Crea-MG, o diretor da Mútua comemora a conquista, mas garante que ainda há muito a fazer. “É uma grande inovação no Sistema Confea/Crea e Mútua, pois trata-se de uma nova forma de vender a Engenharia, desmistificando entendimentos sobre a fiscalização. Atualmente o manual conta com pouco mais de 20 tipos de empreendimento. Nosso objetivo é sempre mantê-lo atualizado, incluindo novos empreendimentos e novas contribuições, para que ele seja, cada vez mais completo e melhor”, aponta.

Para a Mútua, Maurício Fernandes explica que também é um ganho, pois além das informações técnicas, o documento também inclui dados sobre função do Crea, a necessidade da ART, a responsabilidade dos profissionais e os benefícios de se contratar sempre profissionais habilitados. Tudo isso vai ao encontro das iniciativas da Mútua de valorização da ART.

Na semana passada, em Porto Alegre, o diretor da Mútua apresentou o projeto para todos os Creas, durante a reunião do Colégio de Presidentes do Sistema. “Recebi muitos elogios e diversos Creas me procuraram para dizer que pretendem estudar a adoção de um manual como esse em seus estados”, revelou. O Manual da Engenharia nos Empreendimentos está disponível em PDF no site do Crea-MG para que qualquer pessoa possa consultá-lo. Segundo o diretor da Mútua-MG, futuramente, uma versão interativa será lançada para facilitar a navegação e as pesquisas no manual.

22_06 ManualNa introdução do documento, uma explicação é oferecida sobre os propósitos do trabalho: “As orientações aqui apresentadas visam nortear os procedimentos relacionados à verificação do exercício profissional na realização de empreendimentos, fornecendo informações essenciais à sociedade e também aos profissionais, membros das Câmaras Especializadas do Crea, gerentes, agentes fiscais e atendentes, para que os seus trabalhos sejam realizados de forma eficiente e eficaz. Ao apresentar padrões de comportamento desejáveis para o agente fiscal, estratégias para orientar o trabalho da fiscalização, as infrações mais comuns e o glossário de termos técnicos usuais no Sistema, este manual constitui um valioso instrumento disponibilizado ao Crea, para a uniformização de seus procedimentos administrativos relativos à verificação do exercício das profissões regulamentadas na realização de empreendimentos. Bem aplicado proporcionará, também, uma redução nos custos, maior celeridade no trâmite e redução de erros na condução de processos decorrentes de falhas nas fases de instauração, instrução, análise e julgamento”.

Entre os tipos de empreendimentos contidos no manual estão a “Construção de edificações comerciais”, “Construção de edificações residenciais multifamiliares”, “Empresas produtoras de cerâmica vermelha”, “Usinas de aproveitamento hidroelétrico”, “Loteamentos”, “Indústrias de laticínio”, “Jardins, Parques Urbanos e Zoológicos”, “Indústrias de bebidas”, “Indústria Siderúrgica”, entre outras.

Fonte e foto: Gecom/Mútua

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.