Em Teresina, presidentes dos Creas do Nordeste discutem integração de gestão e democratização do Sistema Confea/Crea

A abertura do evento contou com uma palestra sobre o projeto “Lagoas do Norte”.

Crea-PI 08_06Durante toda a última sexta-feira (03), foi realizado em Teresina o III Fórum do Colégio de Presidentes do Sistema Confea/Crea no Nordeste no ano de 2016. Os presidentes dos Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia da região debateram medidas para integração de gestão e democratização do Sistema.

O presidente do Crea-PI, Paulo Roberto Ferreira de Oliveira, recebeu os presidentes: Evandro Alencar (Crea-PE), coordenador da Colégio, Fernando Dacal (Crea-AL), coordenador-adjunto, Modesto Ferreira dos Santos (Crea-RN), João César Pinheiro (Crea-CE) e Arício Resende (Crea-SE). Além disso, estiveram presente à mesa o vice-presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), Antônio Carlos Albério, o Conselheiro Federal, Mário Varela Amorim, o diretor de Tecnologia da Mútua, Marcelo morais, e presidente do IBAPE-PB, Francisco Xavier, representando Giucélia Araújo de Figueiredo, presidente do Crea-PB.

Na abertura do evento, o arquiteto da Prefeitura Municipal de Teresina, Sebastião Ferraz, ministrou uma palestra sobre o projeto “Lagoas do Norte”, abordando as diretrizes do programa e os avanços já atingidos na melhoria dos planos diretores de drenagem urbana, mobilidade urbana e gestão integrada.

“Parece um projeto antigo, mas na verdade é um projeto que trabalhamos por etapas. E um processo longo de intervenção na região, de forma que o Estado tenha o cuidado de oferecer as condições necessárias para a vivência das pessoas, uma urbanização da área que vai além da estética, com foco na sustentabilidade ambiental, saneamento e transformação das condições de vida na região, inclusive programas e espaços de qualificação profissional, lazer, cultura e cidadania”, destacou.

Com uma importância cada vez mais estratégica no diagnóstico e proposição de medidas que superem as contradições comuns aos Regionais da região, o Fórum debateu temas como a avaliação perante processos de habilitação e competência, educação à distância e especificidades de formação e atuação dos profissionais, no qual o vice-presidente do Confea, Antônio Albério, ressaltou o interesse em realizar um evento com foco no debate sobre segurança no trabalho dos profissionais da engenharia.

Outro tema que obteve destaque nas discussões foi o processo eleitoral do Sistema Confea/Crea. Para o presidente do Crea-RN, Modesto Ferreira, faz-se necessário tomar uma posição no CNP sobre o aperfeiçoamento as eleições. “É importante garantir instrumentos que permitam a democracia, sem tirar a possibilidade de nomes de estados menores também pleitearem com igualdade a cargos nacionais”, comentou, mostrando-se a favor do uso de urnas eletrônicas, mas contra a possibilidade do voto via internet.

Já o presidente do Crea-AL e coordenador-adjunto do Fórum, Fernando Dacal, defendeu posição favorável às eleições via internet compreendendo que ampliaria a participação dos profissionais no processo, “mas é preciso saber como usar, com planejamento para a eficiência e o devido cuidado com a segurança e transparência”.

Sobre a atual conjuntura do país e, consequentemente, as dificuldades apresentadas ao Sistema Confea/Crea, de forma unânime, os presidentes afirmaram a necessidade de levar para a comissão de ética os profissionais da engenharia envolvidos no esquema de corrupção da Operação Lava-jato, pelo descumprimento às leis e ao compromisso ético assumido com o povo brasileiro.

O coordenador do Fórum e presidente do Crea-PE, Evandro de Alencar, agradeceu aos demais presidentes por confiá-lo à função, reforçando novamente a contribuição do encontro para o avanço do Sistema. “É preciso integrar, unir forças para resolver as demandas comuns, inclusive, é possível ainda aumentar o poder de negociação ao fechar certos convênios se atuarmos conjuntamente”.

Ao fim, o presidente do Crea-PI agradeceu a presença de todos e sobrelevou o empenho para a otimização das ações sempre objetivando o desenvolvimento da área tecnológica. Para Paulo Roberto, “jamais devemos desviar o caminho da nossa missão, assim, a segurança social e as condições para o melhor exercício profissional devem pautar todas as medidas de transformação do Sistema, com transparência, responsabilidade e o envolvimento dos diversos setores envolvidos”.

Na noite da sexta-feira, os presidentes participaram da solenidade de comemoração dos 30 anos do Sindicato dos Engenheiros do Piauí (Senge-PI).

Fonte: Crea-PI

 

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.