Faixa 1 do MCMV 3 ainda não teve nenhuma contratação neste ano, confirma Ministro das Cidades

Já foram contratadas 204 mil unidades habitacionais nas Faixas 2 e 3 do programa e sua continuidade foi assegurada por Bruno Araújo

MCMV 07_06Em coletiva de imprensa realizada na última quinta-feira (2), o ministro das Cidades, Bruno Araújo, garantiu a permanência da terceira fase do Minha Casa Minha Vida (MCMV 3), e a edição de uma nova portaria respectiva à modalidade Entidades – que teve mais de 10 mil unidades revogadas em maio. O programa tem R$ 6,92 bilhões de recursos para serem usados neste ano.

A lista de instituições encaminhada pela Caixa Econômica Federal será mantida e o texto da nova portaria deve ser publicado no Diário Oficial até o final da próxima semana, prevendo maior agilidade de procedimentos e mais segurança na liberação do crédito, de acordo com o ministro das Cidades. As entidades, além disso, poderão ser selecionadas para novos projetos desde que estejam em dia com todas as fases de uma eventual contratação que já tenham assinado.

Segundo o Ministério das Cidades, já foram contratadas 204 mil unidades habitacionais nas Faixas 2 e 3 do MCMV 3, que estão asseguradas para continuar nesse ano com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Na Faixa 1 (FAR – Fundo de Arrendamento Residencial), porém, ainda não houve nenhuma contratação até abril de 2016 e não há orçamento para isso. “No ano de 2013, no faixa 1 foram contratadas 399.219, em 2014 132.615, e 2015 1.188”, disse Araújo.

O ministro ainda aproveitou para criticar a gestão Dilma por ter passado “cheque sem fundos” no programa. “O governo afastado passou os maiores valores nominais de cheques sem fundo de que se tem conhecimento. Na Faixa 1, o governo afastado retirou uma soma muito consistente do programa e vamos em um esforço coletivo buscar e trabalhar pelo seu andamento, pela sua concretização”, afirmou.

De acordo com Araújo, a construção de 51,2 mil unidades na Faixa 1 estão paralisadas desde a gestão anterior. Já a modalidade Entidades são 10,5 mil obras paradas e 67,17 mil unidades concluídas, mas não entregues.

O ministro das Cidades durante o governo Dilma, Gilberto Kassab disse, em nota, que “viabilizou o lançamento e as primeiras contratações da fase 3 do programa Minha Casa, Minha Vida em total sintonia com os limites orçamentários e financeiros vigentes fixados pelo Ministério do Planejamento e do FGTS. Foram 52.633 unidades entregues em eventos dos quais participou”.

Fonte: http://construcaomercado.pini.com.br/

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.