Você conhece o trânsito de Mercúrio?

Você já sabe: segunda-feira, dia 9 de maio, é o dia do evento astronômico do ano no Brasil! Ao menos dentre aqueles que dá para prever, né? E vamos testemunhar um evento que não é tão raro, mas também não é tipo um eclipse, que volta e meia tem um.
 
Estamos falando do trânsito de Mercúrio, e você sabe o que é um trânsito?
 
Os planetas do Sistema Solar se formaram a partir de um disco com as sobras da nuvem protoestelar que deu origem ao Sol. O gás e a poeira que constituíam a nuvem acabaram colapsando em um núcleo central, que se transformou no Sol, mas o que sobrou ficou espalhado em um disco não muito espesso. Foi nesse disco que se formaram os planetas e, por causa disso, eles estão confinados nele. A inclinação das órbitas dos planetas em relação ao plano desse disco é muito pequena, em primeira aproximação dá para dizer que todos eles se mantêm nesse plano.
 
Dessa maneira, de vez em quando acontece dos dois planetas mais interiores, Mercúrio e Vênus, passarem na frente do disco Sol, na perspectiva de quem está na Terra, em um alinhamento momentâneo. Esses são os eventos de trânsito planetário, que só não acontece mais vezes por que as órbitas dos planetas estão de fato inclinadas entre si, de modo que é preciso que as posições dos planetas coincidam de modo a formar uma linha que passe pelo Sol também. Como Mercúrio está mais próximo do Sol, as condições para ocorrer um trânsito são mais favoráveis. Para se ter uma ideia, a cada 100 anos há por volta de 13 e 14 trânsitos de Mercúrio e desde que o telescópio foi inventado ocorreram apenas 8 trânsitos de Vênus! Curiosamente, por causa das órbitas da Terra e de Mercúrio, os trânsitos acontecem sempre nos meses de maio e novembro, sendo que as ocorrências de maio representam apenas um terço de todos os trânsitos e sempre duram mais do que os de novembro, porque Mercúrio está muito próximo do seu afélio, com baixa velocidade orbital.
 
Na próxima segunda-feira teremos a oportunidade de observar um desses trânsitos de Mercúrio, que deve durar sete horas e meia! E você sabe como observar?
 
A primeira dica é simples: NUNCA OLHE DIRETAMENTE PARA O SOL! Em especial se você tiver acesso a algum tipo de instrumento, como luneta, binóculos, etc. Isso só vai fazer você perder a visão em questão de segundos, acredite. Nem mesmo a olho nu é aconselhável olhar o Sol diretamente e vai ser perda de tempo, pois não se pode enxergar nada. Algumas condições atmosféricas permitem que se olhe para o Sol: quando uma grossa camada de névoa ou nuvens passa na frente dele, ou quando ele está muito baixo no horizonte e a atmosfera está muito suja, com muito material em suspensão. Isso ocorre muito nas épocas de estiagem, quando a falta de chuvas deixa a atmosfera muito suja. Portanto, não conte com isso.
 
O método mais seguro é o de projetar uma imagem do Sol em um anteparo claro, tipo uma folha de papel mesmo, depois de fazer sua luz passar por uma luneta ou telescópio. Isso te dará toda a segurança possível. Mercúrio deve surgir como uma bolinha escura e haverá algumas manchas solares como coadjuvantes. Como elas têm um formato irregular, não vai ser difícil de saber quem é quem.
 
Não tem telescópio, ou alguém que tenha uma luneta? Várias entidades de divulgação de astronomia estão planejando acompanhar o evento, procure algum mais próximo nessa lista. Ainda assim não conseguiu achar nada perto de você? Veja pela internet! Vários sites estão anunciando que vão transmitir o evento, escolha um e fique ligado. Essa é a estratégia também caso o tempo esteja nublado na sua região.
 
O evento não é apenas “alegórico”, do tipo que não se tem interesse científico. Vários astrônomos que trabalham com a descoberta de exoplanetas estão atentos a esse trânsito (bem como todos os outros). Isso por que um dos métodos mais usados para descobrir exoplanetas é justamente observar os trânsitos que ocorrem quando eles passam na frente da sua estrela hospedeira. Dados valiosos sobre a queda de brilho total do Sol podem ser obtidos e depois usados para “calibrar” as observações de planetas distantes.
 
O trânsito se inicia às 8h12 e termina às 15h42 do horário de Brasília, por isso vai ter quase o dia todo para, pelo menos, dar uma espiada. O próximo trânsito de Mercúrio ocorre em novembro de 2019 e também deverá ser favorável a quem estiver no Brasil. Como será em novembro, com grande probabilidade de chuva, é melhor garantir esse de segunda. Depois de 2019, só em 2032.

 

Fonte: http://g1.globo.com/

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.