Minas terá 1º telescópio do país a monitorar lixo espacial

Do alto da Serra da Mantiqueira, no Sul de Minas, lentes voltadas para o espaço. Em meio a mais de 350 hectares de mata preservada, o Observatório Pico dos Dias, em Brazópolis, ganhará status internacional: um telescópio russo será instalado no local até o fim do ano para monitorar o lixo espacial na órbita da Terra. Segundo o LNA (Laboratório Nacional de Astrofísica), o objetivo do projeto é fazer um mapeamento de todos os detritos, que vão desde pedaços de satélites velhos até restos de foguetes que já foram lançados.

“O equipamento, de campo largo, permite o monitoramento dos lixos espaciais, compostos por pequenas peças que se movem a uma altíssima velocidade. A ideia é fazer um catálogo sobre a localização desse material”, explicou o pesquisador da instituição, Albert Bruch. Conforme o especialista, com esse estudo será possível evitar colisões entre satélites novos e o lixo espacial, economizando milhões de dólares e anos de trabalho na produção dos equipamentos.
É o primeiro telescópio deste tipo instalado no Brasil e também o primeiro do país a receber o projeto da Rússia. “Os russos pretendem fazer uma rede de telescópios ao redor do mundo para detectar esse tipo de material. Já possuem um em operação em seu país”, explicou Bruch.

O contrato assinado na última semana com a estatal Roscosmos prevê um investimento de cerca de R$ 10 milhões custeados pela empresa russa. “Eles vão fornecer desde computadores até o próprio equipamento, sem nenhum custo para o laboratório”. A previsão é de que a estrutura seja inaugurada em novembro e, após a fase de testes, o telescópio comece a trabalhar.

Incentivo à pesquisa
Para Albert Bruch, a chegada do equipamento pode estimular o desenvolvimento de novas pesquisas na instituição. “Todas as imagens que forem capturadas, além de localizar os detritos, ainda mostram as milhares de estrelas existentes no espaço. Isso estará acessível para nossos astrônomos”, comemorou.
Além disso, o país já tinha interesse em rastrear o lixo espacial e a órbita dos satélites ao redor do planeta. E o telescópio russo foi a forma mais eficiente e barata para realizar esse estudo. “O projeto vinha sendo desenvolvido desde 2014. Como existia um acordo entre as agências espaciais russa e brasileira, houve o interesse deles. Uma delegação visitou o observatório e aprovaram a localização”, conta o pesquisador.

O observatório
Em funcionamento desde 1981, o Observatório Pico dos Dias possui outros quatro telescópios para pesquisa astronômica, porém, todos apresentam um campo de visão pequeno. O observatório é aberto à visitação pública somente nos finais de semana.

 

Fonte: http://www.metrojornal.com.br/

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.