Em seis anos, todos os carros deverão ter freios automáticos

Tecnologia será resultado de acordo assinado entre as 20 maiores montadoras dos Estados Unidos

A Administração Nacional de Segurança no Tráfego Rodoviário (NHTSA) do Departamento de Transporte dos Estados Unidos e o Instituto das Seguradoras para Segurança nas Estradas dos Estados Unidos (IIHS) anunciaram hoje um compromisso assinado por 20 montadoras para tornar padrão o freio de emergência automático (AEB).

"Ao tornar sistemas de freio de emergência automáticos um equipamento padrão em seus carros, essas 20 montadoras estarão ajudando a prevenir milhares de batidas e salvar vidas. É um ganho para a segurança e consumidores", disse Anthony Foxx, secretário americano para transportes.

Os fabricantes de automóveis representam 99% do mercado de automóveis nos EUA, o que significa que o freio AEB será padrão em praticamente todos os novos veículos de passeio e caminhões em seis anos.

No entanto, a NHTSA estima que o acordo tornará o freio automático padrão em novos carros três anos antes do estimado através de processos regulatórios formais. Durante esses três anos, de acordo com o IIHS estima, a estratégia espera prevenir 28 mil colisões e 12 mil vítimas de acidentes.

Os freios automáticos de emergência conseguem detectar um acidente iminente com outro veículo a tempo de evitar ou mitigar o acidente.

Inicialmente, os sistemas alertam o motorista do impacto iminente para permitir que eles tomem uma ação corretiva a tempo de evitar o impacto. Se o motorista não agir a tempo o suficiente, o sistema AEB automaticamente ativará o freio para ajudar a prevenir ou reduzir a severidade do acidente.

As montadoras que se comprometeram com o acordo incluem:  Audi, BMW, Fiat Chrysler, Ford, General Motors, Honda, Hyundai, Jaguar Land Rover, Kia, Maserati, Mazda, Mercedes-Benz, Mitsubishi, Nissan, Porsche, Subaru, Tesla, Toyota, Volkswagen e Volvo.

 

Fonte: http://www.metrojornal.com.br/economia

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.