Embrapa debate participação da agropecuária na emissão de gases do efeito estufa

Há um consenso mundial sobre a necessidade de reduzir as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), evitando o aumento da temperatura global. Pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Gado de Corte) estão viabilizando soluções para fortalecer a produção agropecuária, mitigar o efeito dos gases e evitar o aquecimento global. A Empresa, em parceria com a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Mato Grosso do Sul (FAMASUL), realiza entre os dias 7 e 9, do próximo mês de junho, em Campo Grande (MS), o II Simpósio Internacional sobre Gases de Efeito Estufa na Agropecuária.

O presidente da FAMASUL, Maurício Saito, e o chefe-geral da Embrapa Gado de Corte, Cléber Oliveira Soares, reuniram-se com o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, hoje, 15/03, para formalizar o convite ao evento. “É muito importante que a CNA esteja conosco nessa ação”, observou Saito, acrescentando que solicitou ao presidente da Confederação esforços junto às federações para maior divulgação do Simpósio em todo o país. “A temática é muito relevante para o futuro e somos cobrados todos os dias por vários segmentos da sociedade”, explicou.

Segundo o chefe-geral da Embrapa Gado de Corte, Cléber Oliveira Soares, nesta edição o evento reúne especialistas nacionais e internacionais para debater o tema. A organização espera mais de mil pessoas nos dois dias de encontro. “Queremos que pesquisadores, produtores rurais e a sociedade conheçam os resultados das pesquisas que vêm sendo realizadas pela Embrapa sobre GEE. E, claro, nos ajudem a propor soluções da mitigação desses gases principalmente na atividade agropecuária”, disse.

A Embrapa Gado de Corte é a idealizadora do Simpósio, realizado a primeira vez em 2011, com a participação apenas de instituições brasileiras. O objetivo do encontro é organizar o debate, com diretrizes para reduzir o impacto ambiental da atividade agropecuária por meio de sistemas de produção mais eficientes e produtivos.

 

Fonte: http://www.canaldoprodutor.com.br/

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.