Empresas brasileiras participarão de programa tecnológico no Vale do Silício

Segunda edição do programa Deep Dive San Francisco vai levar empresários para rodadas de investimentos e eventos de networking nos Estados Unidos

 

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) anunciou, na última sexta-feira (4), a renovação do convênio com o Porto Digital, parque tenológico de Pernambuco, para levar mais oito empresas brasileiras de tecnologia para o Programa Deep Dive San Francisco, no Vale do Silício, na Califórnia.

A iniciativa permite a empresários ter acesso a uma agenda de treinamentos e workshops temáticos, além de encontros com importantes empresas de tecnologia, rodadas de investimentos e eventos de networking. A próxima edição vai beneficiar oito empresas e será lançada ainda em 2016.

Na primeira edição do programa, seis empresas do parque tecnológico de Pernambuco passaram dois meses no programa nos Estados Unidos. “É um programa exitoso e vamos ampliá-lo. Apostamos na continuidade por apresentar os resultados esperados. Isso irá trazer uma perspectiva nova para o País. O custo baixo e é uma semente importante”, afirmou o ministro Armando Monteiro.

As empresas selecionadas para a primeira edição tiveram acesso a conteúdos educacionais, mentorias e, principalmente, a redes inseridas no ecossistema do Vale do Silício, principal polo mundial de empreendedorismo, onde estão concentradas as maiores empresas mundiais de Tecnologia da Informação, como Apple, Google e Facebook.

O presidente do Porto Digital, Francisco Saboya, disse que o espaço proporciona um ambiente para florescer ideias que se transformam em startups. “Vamos ampliar para oito empresas. Faremos a segunda edição no Vale do Silício, mas uma terceira fase pode ser em Nova York, Israel. Teremos compartilhamento da experiência daqueles que já foram com quem irá para novas rodadas. Todas as seis empresas que já participaram voltaram com novos modelos. Vamos buscar outros espaços de aceleração, como Cingapura. Cada empresa encontrou conexões produtivas, de negócios”, diz Saboya.

As seis empresas brasileiras que participaram do período de imersão nos Estados Unidos foram selecionadas a partir de um total de 57 inscritos que atuam nos setores de tecnologia da informação e economia criativa. A escolha respeitou quatro etapas de um processo realizado entre setembro e novembro do ano passado. A primeira edição do programa contou com um orçamento de R$ 685 mil, dos quais R$ 396 mil foram aportados pelo Porto Digital e R$ 289 mil pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Participaram do projeto em São Francisco as empresas BigHut (jogos para dispositivos móveis), Lotebox (solução online para consolidação e compartilhamento de cargas marítimas), Prodeaf (software de tradução de texto e voz na língua portuguesa para língua brasileira de sinais), Oncase (soluções analíticas para empresas de médio e grande portes), Silicon Reef (design de chips para utilização de energia renovável na recarga de bateria em aparelhos móveis) e Suati (software e soluções para o setor de energia elétrica).

 

Fonte: http://www.brasil.gov.br/

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.