Crea-DF pressiona Gol para apresentar responsáveis técnicos de manutenções em aeronaves

A turbina de uma aeronave da Gol Linhas Aéreas Inteligentes pegou fogo enquanto a aeronave se preparava para decolar do Aeroporto de Brasília rumo a Congonhas, em São Paulo – no domingo (14/02). O Crea-DF preocupado com a situação legal dos responsáveis técnicos por manutenções dos aviões da empresa foi ontem (15/02) ao Aeroporto Internacional de Brasília em uma ação fiscalizatória.

Acompanhado da equipe de fiscais, o presidente do Crea-DF, eng. civil Flavio Correia fez questão de acompanhar a ação. Também estiveram presentes o Diretor de Fiscalização, eng. agrônomo Kleber Santos, o chefe do Departamento de Fiscalização, eng. civil Luiz Ávila e a chefe da Divisão de Fiscalização, téc. em edificações Silvina Porto.

A equipe do Crea-DF solicitou permissão para vistoriar o local aonde a aeronave pegou fogo, mas foi informada que o veículo já havia sido encaminhada para análise do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), que também prossegue em investigações junto à polícia.
No local, a equipe de fiscais e a alta gestão do Crea-DF sofreu com uma forte resistência da empresa em permitir o acesso às informações relacionadas a Engenharia e sobre quais seriam os profissionais do corpo técnico das companhias aéreas que atuam em Brasília. Após quase uma hora de insistência, a supervisora da Gol, Clarisse Barreto recebeu a equipe em frente ao balcão de passageiros e foi esclarecida pelo presidente Flavio Correia sobre as conseqüências de não cooperar com uma fiscalização Federal.

“Não é aceitável solicitarmos informações sobre os profissionais e a Gol tentar se abster de nos passar as informações. Temos que cumprir a nossa função de assegurar que as atividades da área tecnológica no Distrito Federal sejam feitas por profissionais qualificados. Não podemos colocar em risco a vida de milhares de passageiros que trafegam pelo aeroporto”, defendeu o presidente.

Depois de muita conversa com a representante da companhia aérea – que muitas vezes falou com os superiores ao celular – Clarisse assinou o recebimento do Relatório de Fiscalização, que estipulou que a empresa deverá apresentar em até cinco (5) dias todas as documentações que comprovem que há responsáveis técnicos registrados, se são habilitados e se têm feito os devidos registros de Anotações de Responsabilidade Técnica (ARTs). 
Caso não cumpram com as solicitações no prazo, a Gol poderá ser autuada e pagar uma multa, que gira em torno de R$6 mil.

Inframérica
A situação de diligência com o Conselho também ocorre com a atual administradora do Aeroporto Internacional de Brasília. O Crea-DF foi até a administração e a área de Engenharia da concessionária Inframérica e reiterou a exigência da lista de responsáveis técnicos que exercem as atividades de manutenção das instalações aeroportuárias, dos hangares, dentre outras diversas funções exercidas por empresas e profissionais da área tecnológica. Em 2015, a Inframérica já foi autuada por não apresentar no prazo a lista de responsáveis técnicos pelos serviços de telecomunicações.

A advogada da Concessionária Inframérica, Paula Damas, recebeu a equipe do Conselho e prometeu que a empresa encaminhará as comprovações já solicitadas por duas vezes pelo Departamento de Fiscalização do Crea-DF.

De acordo com o chefe da Fiscalização, Luiz Ávila, “a iniciativa de vir pessoalmente na administração da concessionária, deve-se ao fato de não terem disponibilizado as informações outrora solicitadas via ofícios”, explicou.

O diretor Kleber Santos também reforçou aos responsáveis da Inframérica que receberam a equipe do Crea-DF, que é importante que não só a concessionária esteja com o quadro de profissionais regularizados, mas inclusive que as companhias aéreas tenham seus quadros técnicos estruturados, com profissionais em situação legal perante a lei.

 

Fonte: Crea-DF

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.