Trabalhos do Plenário do Confea são reiniciados com novos conselheiros

Sete novos conselheiros federais titulares e sete suplentes, eleitos no ano passado, estiveram em treinamento na sede do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), nos dias 25 e 26. Já no dia 27, quarta-feira, teve início a primeira Sessão Plenária de 2016 do Conselho – que tem encerramento nessa sexta -, com o Plenário composto pelos 18 conselheiros federais titulares: 11 em continuidade aos mandatos e os 7 recém-empossados.

Representando as categorias de Geologia e Engenharia de Minas, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Agronomia, Engenharia Elétrica, as Instituições de Ensino e os estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Maranhão, Bahia e Tocantins, os novos conselheiros têm gestão até 2018. São eles: geo. Pablo Souto Palma (titular) e eng. de Minas Luciano Valério Lopes Soares, do Rio Grande do Sul; engs. civis Alessandro José Macedo Machado (titular) e George Augusto Batista Câmara (suplente), da Bahia; engs. mecânicos William Alves Barbosa (titular) e Ernesto Galvão Ramos de Carvalho (suplente), do Paraná; engs. agrônomos Francisco Soares da Silva (titular) e Ivanilde Soares Santos (suplente), do Maranhão; engs. civis Osmar Barros Filho (titular) e Enid Brandão Carneiro Drumond (suplente), representantes das Instituições de Ensino Superior de Engenharia Civil; engs. eletricistas Carlos Batista das Neves (titular) e Nelson Matuoca, de Tocantins; e como representantes das Instituições de Ensino Superior de Agronomia, eng. agr. Daniel Antônio Salati Marcondes (titular) e eng. ftal. Fernando Antônio Souza Bemerguy.

Os novos integrantes do Plenário do Confea falam sobre as expectativas para a gestão e a relação que têm com a Mútua.

 

 

 

Daniel Salati

“Minha intenção é participar da Comissão de Educação e Atribuição Profissional (Ceap) e contribuir com as discussões e ações de fortalecimento da relação Confea-MEC, para que cada vez mais tenhamos uma efetiva fiscalização do ensino superior quanto à qualidade dos conteúdos ministrados, sempre pensando na defesa da sociedade e favorecendo a formação dos melhores profissionais. Com relação à Mútua, o que posso dizer é que já é uma Instituição parceira de longa data.”

 

 

 

Fernando Antonio Souza Bemerguy

“Com nossa experiência – já fui conselheiro federal e o Daniel [Salati] também tem vasto conhecimento -, vamos trabalhar para aproximar ainda mais o Sistema Confea/Crea e Mútua das instituições de ensino, de forma integrada e permanente. Essa relação tem de funcionar em duas vias. O Sistema existe porque existem as instituições de ensino, então, é natural que esses dois atores caminhem unidos. A Mútua, o braço assistencial do Sistema, é uma instituição que pode nos ajudar muito nesse processo de aproximação, divulgando nosso trabalho. Sou defensor ferrenho da Mútua, não só eu, mas meus filhos também utilizam os serviços e benefícios da Caixa de Assistência.”

 

 

 

Pablo Souto Palma

“Chego como representante do Rio Grande do Sul, porque foi o estado que me elegeu, mas, também, vou representar minha categoria, a Geologia e a Eng. de Minas. De certa forma, é um desafio pra mim, porque represento uma categoria que é minoria no Sistema. Mas é uma oportunidade, um desafio e uma honra. É um desafio pela minha pouca idade, pela pouca vivência no Sistema. Avalio que é uma mudança, tanto pra mim, quanto pra quem eu represento. Espero corresponder às expectativas em torno da minha eleição da forma mais abrangente possível. Sou sócio da Mútua desde 2009 e, como inspetor no RS, cheguei a ser representante regional para divulgação da Mútua no interior, algo que foi extinto em um determinado momento e que acho até uma possibilidade boa para trabalhamos aqui no Plenário do Confea: a volta desses representantes em cada inspetoria, fortalecendo a interiorização da Mútua. Além disso, defendo alguns projetos da Mútua-RS junto com os diretores regionais – Gilmar Piovezan, Paulo Deni e Luiz Claudio Ziulkosk – como a parceria da Mútua com hotéis de Porto Alegre para atendimento aos

profissionais de passagem por lá.”

 

 

 

Osmar Barros Filho

A expectativa é a maior e a melhor possível. Temos um trabalho muito grande a fazer com relação à aproximação do sistema profissional com o sistema educacional, algo cada vez mais necessário. Acredito que a Ceap vai  se dedicar principalmentea a essa questão, sobre atribuições, novos cursos, enfim, tudo que envolve esse universo do ensino. Sou associado da Mútua há vários anos, nunca utilizei os benefícios, mas, verificando o material da Mútua, fiquei bem satisfeito pela gama de produtos e serviços que a Caixa disponibiliza. No Plenário, certamente encontrarei temas oriundos da Mútua e com certeza terão meu apoio, pois ela é um dos pilares do Sistema”.

 

 

 

Enid Brandão Carneiro Drumond

“Nessa gestão, eu e o conselheiro titular Osmar Barros Filho pretendemos nos envolver com os grupos de trabalho do Sistema e as Comissões do Confea. Com o treinamento que tivemos esta semana no Conselho Federal, recebemos importantes informações, dados e subsídios para a atuação como conselheiro federal. Espero fazer uma gestão à altura do que o cargo exige e a principal tarefa como representante das instituições de ensino será a de aproximação desse segmento com o Sistema Confea/Crea e Mútua. Conto com a Mútua nessa tarefa, pois é uma entidade já muito parceira, que trabalha pelo desenvolvimento dos profissionais e me coloco á disposição da Caixa de Assistência para ações conjuntas.”

 

 

Alessandro José Macedo Machado

“Em termos de projetos, já temos o escopo de projeto de lei visando a alavancar oportunidades de infraestrutura para o desenvolvimento do país. Temos possibilidade, em conjunto com as entidades e com a Mútua, de colocar em prática um novo projeto que vai promover a integração dos profissionais com o Sistema, que seria um auxílio na formatação de preços de serviços na área tecnológica. A aproximação desses profissionais refletirá na valorização do Sistema e, assim, no reconhecimento que ele merece. Além disso, a sociedade poderá colher os benefícios desses projetos que estamos pleiteando. Acredito que teremos uma gestão bem dinâmica, com ações diretamente ligadas à área tecnológica. Sou associado da Mútua, recomendo que os profissionais se associem. Em meio a essa crise, com taxas de juros elevadas, nossa Caixa de Assistência é uma alternativa significativa. Vamos avaliar os projetos da Mútua. Com a atual Diretoria Executiva da Instituição, sabemos que estão sendo promovidos realmente auxílios aos profissionais e nossas tratativas aqui no Confea serão mais fáceis.

 

 

 

George Augusto Batista Câmara

“Alinhando na gestão com o Alessandro [Machado], discutimos muito o momento que a Engenharia brasileira passa. Diante disso, nossa proposta é fortalecer a Engenharia nacional com olhar, também, em sustentabilidade e meio ambiente, máximas que a própria Engenharia já vem trabalhando e o mundo tem discutido, como vínculos de emissões de CO2 e uma série de questões. Conheço a Mútua e já utilizei seus benefícios que, principalmente no início da minha carreira, foram muito úteis. Estarei aqui na defesa dos profissionais e do Sistema. A Mútua, como parte do Sistema, também fará parte dos nossos esforços.”

 

 

William Alves Barbosa

“Chego com expectativa de trazer um pouco da experiência do Paraná. O estado está há um ano sem conselheiro e temos vários projetos já propostos e muitos com ideias de execução para propor a melhoria do Sistema. Em parte deste primeiro ano teremos que focar a organização da Soea e do CNP, que serão no Paraná. Queremos, ainda, trabalhar a questão de normativos junto à Conp, com consolidação e propostas de novas legislações. Já sou associado à Mútua há vários anos, conheço bem e admiro o trabalho desenvolvido pela instituição. Como a Mútua é “filha” do Confea, acredito que a relação tem de ser a mais estreita possível. Ainda são poucos os profissionais associados em face ao número de profissionais existente no nosso país. Temos de fazer mais divulgações e uma das frentes que irei defender é que possamos beneficiar, também, os estudantes, com a criação de uma categoria de ‘Sócio-Aspirante’ ou ‘Mútua Júnior’ para que eles já saiam das universidades sabendo o que é a Mutua, o Crea e o Confea e, naturalmente, já associados e prontos para usufruir dos vários benefícios a sua disposição.”

 

 

 

Francisco Soares da Silva

“Dou início a essa jornada com expectativas muito boas, pois temos muitas dificuldades no Crea-MA, tanto financeiras, quanto administrativas. Os profissionais do Estado querem conhecer mais o Sistema, solicitaram que eu mandasse mais informações com relação à legislação e atribuições profissionais, que de vez em quando sofrem mudanças. Tudo isso faz com que a gente esteja bastante motivado. Trabalharei com prioridade em aprimorar a nossa legislação e conseguir que a Mútua leve mais benefícios para o meu estado e para o Brasil como um todo. Sou um dos primeiros associados da Instituição e, em 1983, fui eleito o primeiro coordenador da Mútua no Maranhão. No que for relativo aos nossos profissionais eu estarei disposto a batalhar, afinal, ninguém pode desprezar os serviços prestados pela Mútua. Portanto, nossa meta é fazer tudo para que os nossos profissionais tenham o máximo de benefícios possível.”

 

 

 

 

Ivanilde Soares Santos

“Para nós que estamos chegando agora tudo é muito novo. Fomos muito bem recebidos pelo presidente do Confea [José Tadeu da Silva], pelos outros conselheiros federais, pela Mútua e pelos servidores do Conselho. Nos dois dias de treinamento, recebemos informações importantes sobre a estrutura e a dinâmica da casa que servem para o aprimoramento de nossas atividades como conselheiro, em prol da área tecnológica. Sou associada à Mútua e agora, como conselheira, terei a oportunidade de conhecer de perto a Instituição.”

 

 

 

 

 

Carlos Batista das Neves

“Espero que esta seja uma excelente gestão, que os profissionais possam sentir cada vez mais firmeza no Confea, a entidade que os representa no Brasil. Eu vim com a intenção de trabalhar na Comissão de Ética e Exercício Profissional, que é uma área que já me identifico bem e tenho um histórico de atuação pelos conselhos regionais, quando exerci a função de conselheiro. Pretendo trabalhar em defesa das pautas da Mútua, também. Acredito que seria interessante viabilizar melhorias nos convênios com planos de saúde e com hotéis, tanto em nível nacional, quanto regional. E no que mais for possível essa parceria com o Confea e os Creas sempre é bem-vinda.”

 

 

Nelson Matuoca

“A expectativa é de contribuir da melhor maneira possível com o crescimento dos profissionais e do Sistema. Que possamos também ajudar os Creas, agregando novas ideias e fortalecendo a relação entre os Regionais e o Confea. Sou associado da Mútua há muitos anos, conheço muitos profissionais que tiveram um bom proveito dos serviços oferecidos por ela. Acho que a Mútua ainda precisa expandir, pois muitos profissionais não a conhecem e observo que ao tomarem conhecimento sobre tudo o que a Instituição oferece, esses profissionais têm interesse em se associar.”

 

 

Fonte: GECOM/Mútua

Fotos: GECOM/Mútua

 

 

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.